$show=mobile

O Orelhão faz 50 anos

Comentar

A icônica cabine telefônica ovóide completa meio século.  Q uantas vezes namorados saíram atrás desses pavilhões auditivos de fiberglass pa...

A icônica cabine telefônica ovóide completa meio século. 

Quantas vezes namorados saíram atrás desses pavilhões auditivos de fiberglass para colar seus ouvidos em um fone monoaural – sem maiores preocupações sanitárias – ligado por uma alça grossa de plástico ao microfone, com foco apenas na duração de conversa permitida por cada ficha inserida e no diálogo com o amor na outra ponta da linha. E como a paixão tem o conhecido costume de entorpecer a razão, várias dessas fichinhas – com um risco em baixo relevo de um lado com um par deles no verso  – eram devoradas apenas na despedida.
Antes de seu affair com o rei Pelé, a rainha dos baixinhos, Xuxa Meneghel, disse que ligava quase todos os dias para Narciso Doval – um argentino que na época era jogador do Flamengo –, seu amor platônico, de um orelhão perto de casa: “Eu não falava nada, só ouvia a voz dele e desligava.”
Esse é só um dos vários gatilhos de memória afetiva que o desenho dessa peça da paisagem urbana nacional desperta em gerações de brasileiros. Todavia, como a instância londrina das cabines, as caixas vermelhas com finalidade semelhante, hoje elas fazem parte da identidade nacional mas estão sendo cada vez menos utilizadas sendo mais decorativas do que úteis (as cabines londrinas cada vez mais passam a ter carregadores solares no lugar de telefones e são pintadas de verde). Ainda assim, ao completar 50 anos de existência e bons serviços prestados, merece que recordemos sua história:

Seriáticos
Dos cerca de 100 milhões de habitantes do Brasil, 52 milhões viviam nas cidades. Assim, falar ao telefone instalado nas vias públicas era um enorme desafio. A CTB  (Companhia Telefônica Brasileira), empresa de capital canadense que, à época, era responsável pela telefonia nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, resolveu desenhar e testar a instalação de 13 cabines circulares de fibra de vidro e acrílico na cidade de São Paulo.

Talvez a iniciativa teve influência dos filmes do Superman, onde Clark Kent trocava de roupas em uma cabine telefônica novaiorquina (o estilo era de Nova York, a cidade era Metropolis) antes de sair voando. Mas por aqui a ideia não decolou. Além de um alto índice de vandalismo a empresa concluiu ainda que, a espaçosa cabine, além de abafada, acabava disputando com os transeuntes, o pouco espaço das calçadas (quem sabe daria certo no Canadá).

O problema a ser resolvido em meados de 1970: Encontrar uma solução em termos de design e acústica para protetores de telefones públicos, que apresentassem uma relação custo-benefício melhor que a dos já existentes e que se adequassem às condições ambientais. Com esses requisitos em mente, a criadora do desenho dos orelhões, a arquiteta Chu Ming Silveira (🟎 Xangai, 1941 – ♰ São Paulo, 1997), tomou como prioridade a funcionalidade. E em segundo lugar, deveria ser esquecido tudo que havia visto em termos de proteção de telefones e descobrir novas formas que deveriam responder à necessidade de proteger telefones e usuários, baixo custo de manutenção e fabricação, simplicidade de instalação, durabilidade e resistência a intempéries e danificação provocada e boa acústica. Além disso, deveria ser bonito, atraente para o público, modularidade para atender pontos de diferentes concentrações de público e ainda projetar uma boa imagem do serviço da CTB junto ao público.

Com o fracasso das cabines cilíndricas, um novo projeto de cabine telefônica era necessário.  Para se ter ideia, uma cabine cilíndrica custava em torno de Cr$ 3.500 (três mil cruzeiros) contra módicos Cr$ 500 (quinhentos cruzeiros) de um Orelhão. Para tentarmos vislumbrar o que seria isso hoje em dia, vou usar o índice Veja (inventei isso agora). Uma revista Veja custava na época Cr$ 2,50 e custa hoje R$ 8,90. Fazendo uma regrinha de três temos que cada cabine cilíndrica custava cerca de R$ 10.680 enquanto um orelhão custaria R$ 1.780.

Chu Ming, que era chefe da seção de projetos da CTB, primeiro fez uma pesquisa de materiais. E chegou a um que atendia a todos os requesitos: o acrílico. Depois criou soluções que variavam de acordo com o ambiente. 

Deste modo, criou o “Orelinha” para ambientes fechados. Era transparente (para ampliar o espaço visual) e possuía dimensões menores. Foi projetado para ser afixado em paredes e pequenos postes e diversos tipos de suportes. Grande parte do ruído era refletido e o restante, que entrava pela abertura frontal, era projetado para o seu foco, que ficava deslocado do ouvido do usuário médio, um brasileiro urbano com estatura média estimada em 1,75 m, e oferecia boa eficiência na faixa dos 30 a 50 decibéis.

Na mesma época, concluiu o projeto dos protetores para ambientes semi-abertos, com formato de concha acrílica e com o mesmo princípio de funcionamento do orelinha, só que com uma eficiência maior, na faixa de 50 a 60 decibéis de ruído.

Aí veio o Orelhão, mais difícil de projetar devido às condições desfavoráveis de uso: aplicação externa com sujeição a todo tipo de público, alto nível de ruído nas vias públicas e pouco espaço disponível nas calçadas com grande fluxo de pessoas. Dessa vez optou-se por um material ainda mais resistente que o acrílico: o fiberglass opaco.

Com funcionamento idêntico ao do orelinha, mas com uma maior eficiência na proteção acústica, na faixa de 70 a 90 decibéis de ruído, era prevista a disposição modular dos Orelhões que, com frequência, era colocados aos pares nas calçadas, ou em trios, nas praças. Presos na terra por tubos de ferro dava um aspecto semelhante uma flor. Por isso, dentre às várias denominações, os Orelhões também já foram chamados de “tulipa”.

Outro nome divertido era “capacete de astronauta”, porém, seu nome oficial era Chu II,  em homenagem à sua arquiteta. Suas cores eram as da CTB, o laranja e o azul, e eram equipados com aparelhos telefônicos vermelhos produzidos na cidade japonesa de Osaka, popularmente chamados de “vermelhinhos” ou “tamurinhas”.  A idéia surgiu em princípios de 1970 e por diversas razões o primeiro protótipo em acrílico de 6 mm de espessura só foi executado em meados de 1971, no saguão do edifício sede da CBT, na Rua 7 de Abril, região central de São Paulo.

No dia 20 de janeiro de 1972, dia de seu padroeiro, São Sebastião, a cidade do Rio de Janeiro recebeu, os primeiros Orelhões da CTB.  “Em cada cabina foi colocada uma fitinha amarela e, preso ao aparelho, o aviso: Hoje é dia de São Sebastião. Por favor, corte a fitinha e inaugure este telefone em nome de todos os cariocas.” Relatava o Estado de São Paulo em 21 de janeiro de 1972.

O jornal O Diário de São Paulo em reportagem sobre o aniversário da capital paulista, em 25 de janeiro, aproveitou para anunciar a chegada dos novos telefones às ruas da cidade:

"...E nesse dia, São Paulo ganha um presente da Cia. Telefônica Brasileira: 170 cabines de telefone de um novo modelo, batizado como “Tulipa” pela sua criadora, a arquiteta chinesa Chu Ming."
Mantendo o tom comemorativo, o texto destacava a qualidade do design das ditas Tulipas, “em que a técnica se alia à beleza ambiental”.

 Em março de 1972, a CTB avaliava que a instalação dos novos equipamentos impulsionara um acréscimo de 12% na média diária dessas chamadas.
“Eu sabia que a melhor forma acústica era o ovo e, que além de simples, o projeto precisava permitir que a pessoa que fosse utilizar o telefone se sentisse à vontade”.
Chu Ming Silveira. Em matéria do “Estado de São Paulo”, 23/01/1972
Os Orelhões foram considerados excelentes para as regiões tropicais, e em 1973 foram vendidos para Moçambique, cujo clima é idêntico ao do Rio (de Janeiro).

A arquiteta Chu Ming participou da Bienal de Arquitetura de São Paulo com seus projetos de protetores telefônicos: Orelhinha, Concha e Orelhão.

Quando os orelhões começaram a ser exportados para outros países, a empresa Telesp substituiu a CTB na operação da telefonia no Estado de São Paulo.
Modelos da Call Parade

E em 1975, chegaram às ruas os orelhões azuis, para chamadas interurbanas (o serviço chamado de DDD – Discagem Direta a Distância).

Segundo pesquisas de mercado realizadas para a Telesp, nos anos de 1977 e 1978: o serviço de telefones públicos fora considerado ótimo por 18,8%, em 1977 e, no ano seguinte, por 20,4%. Bom para 36,4% em 77 e para 37,7%, em 78. Os orelhões, segundo a pesquisa, eram usados por 82% da população. 40% usavam-no pelo menos uma vez por semana. Quanto à “modernidade”, em 1978, 73% concordavam absolutamente. 70% concordavam que os Orelhões eram “muito apresentáveis” e 66%, que estavam “bem localizados”.

Mas toda essa demonstração de reconhecimento pela utilidade e qualidade do serviço não impediam atos de vandalismo contra os Orelhões que eram frequentes e em grande número. O prejuízo levou a Telesp a contratar o publicitário José Zaragoza, da agência Dpz, que criou, em 1980, um filme que viria a tornar-se um ícone da publicidade brasileira. Utilizando elementos da crônica policial, o filme “A Morte do Orelhão” causou forte impacto, ao mostrar um Orelhão incapacitado de prestar serviço, vítima de violência.

A Morte do Orelhão


Em 1982, a Telesp inaugurou o primeiro Orelhão comunitário na favela da Vila Prudente, um telefone público que recebia chamadas.

Já a revista Seleções Reader´s Digest de março de 2002 destacava: 
Talvez não esteja nos seus planos viajar para países como Angola e China. Mas, se por acaso for a algum deles, não fique surpreso ao topar com um orelhão idêntico aos nossos. Até porque, sim, ele é made in Brazil.

Em 2012, a “Call Parade” – uma alusão à “Cow Parade”, maior evento de arte a céu aberto do mundo, onde Artistas selecionados usam uma escultura de uma vaca em tamanho natural, e em fibra de vidro, como suporte –, organizada pela Vivo, homenageou o Orelhão e sua criadora, com a exposição de cem Orelhões customizados por renomados artistas e designers brasileiros, nas ruas de São Paulo.

Small Cell entre dois orelhões (Wikipedia).


A partir de 2013, a Telefônica começou a adicionar uma nova utilidade aos orelhões em São Paulo através dos equipamentos Small Cell. Desenvolvidos pela empresa, uma Small Cell é uma caixa ligada por fibra óptica que contém uma pequena antena 3G ou 4G de telefonia móvel. Estes equipamentos fornecem cobertura de sinal num raio de até 100 m e estão presentes em locais onde se concentram grandes tráfegos de celular.
“Seria como voltar ao orelhão.”
Luís Roberto Barroso. Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a tentativa de se voltar ao voto impresso.
Os pouco mais de 213 mil orelhões que existem no país terão que ser mantidos pelo menos até 2025, quanto terminaria legalmente os atuais contratos de concessão, vendidos em 1998. No auge do serviço, passava de um milhão de TUPs (telefones de Uso Público, ou orelhões). Mas com o surgimento do celular e da banda larga, a Anatel foi, aos poucos, trocando os investimentos nesses serviços para outras alternativas de universalização.

Fonte: Orelhão – Ícone do Design, Wikipedia , TV Foco, O Globo, Telesíntese


COMMENTS

BLOGGER

$show=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil,1,Abelha,3,Acessibilidade,24,Acessórios,2,Acidente,51,Acústica,16,Adestramento,5,Administração,41,Aerodinâmica,4,Aeronáutica,9,África,6,Agência Bori,1,Agência Brasil,24,Agência FAPESP,4,Agência Fiocruz,5,Agência Porvir,1,Agência Senado,2,Agência USP,4,Agricultura,6,Agropecuária,4,AirBNB,1,Alcoolismo,7,Alemanha,6,Alemão,4,Alerta,2,Algoritmo,8,Alimento,1,Alzheimer,4,Amazon,3,Amazônia,4,América Latina,1,Análise Combinatória,1,Análise de Texto,2,Anatomia,7,Android,3,Animação,51,Animais de Estimação,6,Animal,2,Antropologia,14,Apicultura,8,App,9,Apple,5,Apresentação,4,aquário,1,Argentina,4,Armamento,1,Arqueologia,6,arquitetura,33,Arte,166,Astrobiologia,3,Astrofísica,3,Astronomia,28,Ativismo,31,Áudio,3,Audio FX,2,Áustria,1,Autismo,2,Auto-ajuda,10,Automobilismo,15,Automóvel,21,aventura,3,Aviação,5,Aviônica,8,Bahia,2,Balonismo,3,Banco Central,1,Banco de Dados,5,Beber e Dirigir,1,biblioteconomia,6,Bicicleta,1,Biografia,16,Biologia,169,Biologia Marinha,15,bioquímica,6,Biotecnologia,25,Bitcoin,2,Blog,29,Blogger,33,Boato,6,Bomba,1,Botânica,5,BRASA,1,BRASA Leads,1,Brasil,40,Brasília,16,BRIC,1,Browser,10,Bugs,3,CAD,3,Calor,2,Caltech,1,Câmera lenta,1,Campanha,47,Canadá,1,cardiologia,16,Carnaval,2,carreira,2,Cartografia,3,Casemods,1,Caso Isabella Nardoni,1,Caso Snowden,1,Ceará,1,Celebridades,6,celular,24,Células-Tronco,5,Cérebro,2,Charge,22,China,21,Cibercultura,2,Ciclovia,1,Cidadania,39,Ciência,211,Cinema,67,Climatologia,1,Clip,1,Cliparts,1,Cloud computing,4,Coaching,12,Comédia,2,competência,2,Complemento de dois,1,Comportamento,262,Computação,83,Computação em grade,5,Computação forense,3,Computação Gráfica,139,Computação Móvel,1,Computação Quântica,1,Comunicação e Marketing,140,Concurso,2,Concurso Cultural de Natal,1,Concursos Público,2,Concursos Públicos,4,Conectômica,1,Conferência,1,Congresso em Foco,1,Conspiração,2,Consumidor,7,Consumismo,3,contabilidade,2,Contos,54,Copa do Mundo,27,Cordel,3,Coreia do Norte,1,Coreia do Sul,1,Corpo,2,Coruja,1,cosmética,3,Cosmologia,21,Covid-19,95,Crash Course,1,Criança,1,Criatividade,4,Crime,48,Crime Digital,7,crise,11,crise econômica,8,crônica,7,crônicas,5,Cronologia,1,CSS,3,Cuba,4,Culinária,8,Cultura,15,Curiosidades,113,custos fixo,1,custos variáveis,1,Dale Dougherty,2,Dança,6,DAO,1,Darwin,11,Davos,1,Debate,2,Decoração,1,demência,1,Demografia,3,Denúncia,11,Dermatologia,7,Desastre Natural,14,Descoberta,2,Desenho instrucional,14,Desenvolvimento de jogos,11,Design,31,Design Instrucional,14,Destaque,8,Dia das Mães,1,Dia do professor,1,diabetes,6,Dicas,66,Didática,1,Dieta,3,diplomacia,3,Direito,181,Direito Eleitoral,1,Direito Internacional,29,Direito Militar,1,Direito Trabalhista,1,Direito Tributário,2,Direitos Autorais,3,Direitos Humanos,37,Disney,7,Distrito Federal,4,Documentário,63,Doutorado,1,download,3,Drogas,7,Drone,3,Dubai,1,e-Book,2,e-governo,2,EBC,1,Ecologia,84,Economia,113,Editoração Eletrônica,1,Educação,389,Educação a Distância,178,Educação Corporativa,6,educação física,19,Educação sexual,6,Efeitos Sonoros,4,Egiptologia,2,Eleições,26,Eleições 2014,12,Eleições 2018,5,Eleições 2020,2,Eletricidade,10,eletrônica,4,Em Operários,1,Embrapa,4,empreendedorismo,6,enciclopédia,1,endocrinologia,6,Enem,3,Energia,14,Energia Alternativa,17,Energia Nuclear,11,Enfermagem,1,Engenharia,67,Engenharia Agrícola,1,Engenharia Civil,6,Engenharia de materiais,17,Engenharia de Software,5,Engenharia Genética,32,Engenharia Mecânica,2,Enretenimento,1,Ensino a Distância,11,Ensino Superior,5,Entomologia,7,Entretenimento,45,Entrevista,90,Entrevista.,1,Epidemiologia,69,Epistemologia,1,Equador,1,Escândalo,5,Escritório,1,Espaço,67,Espanha,1,Espanhol,2,Espeleologia,1,Espetáculo,8,Espionagem,20,Esporte,42,Estação,1,Estágio,2,Estatísticas,38,estrutura de dados,1,Ética,27,EUA,17,Europa,2,Evento,47,Evolução,5,Exercícios físicos,2,Exobiologia,3,experiência,43,fábulas,3,Facebook,19,Família,1,Farmacologia,22,Favo,1,Feminismo,1,Férias,1,Ferramentas,10,FIFA,2,Filantropia,4,Filmes,16,Filosofia,47,Finep,2,Finlândia,1,Fintech,1,Firefox,1,Física,114,Física Quântica,4,Fisiologia,10,Fisioterapia,6,Flagrante,2,Flamengo,1,Folclore,3,Fome,1,Fomento,1,Fonética,1,Fonoaudiologia,7,Fotografia,45,Fotos em 360 graus,6,França,8,Francês,4,Frase,3,Fraude,5,Freeware,74,Futebol,39,Futurologia,91,gadget,87,gadgets,1,Gafe,2,Gamificação,7,Gastroenterologia,5,Gastronomia,2,Geek,1,Genética,43,Geofísica,1,Geografia,54,Geologia,10,Geometria,6,geopolítica,21,Gerenciamento do Tempo,1,Geriatria,10,Gestão de Competências,2,Gestão de Configuração,2,Gestão de Pessoas,8,Gestão de Projetos,21,Gestão do conhecimento,7,Ginecologia,3,Glass,1,Google,80,Governo,4,GPS,1,Gradiente,1,gramática,15,Gravidez,1,Grécia,1,Grécia Antiga,2,Guerra,37,Guerra Civil,2,Guinness,1,H2,2,Haiti,3,hardware,37,História,208,HIV,1,Hololens,2,homenagem,46,Horologia,1,HPV,1,HTML,6,Humor,211,Humor Negro,9,IBGE,2,IBM,4,ICIJ,2,Idioma,55,IESB,2,IHC,8,ilo,29,ilusão,35,ilusionismo,5,Imagem 3D,16,Imagens,7,Imagine Cup,1,Império Romano,7,Imprensa,34,Impressora 3D,21,Imunologia,6,Incêndio,2,Inclusão digital,8,Índia,4,Índios,1,Infectologia,34,Infográfico,56,Informática,38,Inglaterra,4,Inglês,26,Inovação,195,Inspiração,1,Inteligência Artificial,128,intercâmbio,1,Interface,197,Interfaces Hápticas,22,Internacional,23,Internacionalização da Amazônia,3,Internet,163,Internet das Coisas,2,Inundação,2,Invenção,20,Inventos,6,iPad,1,IPEA,1,iphone,3,Irã,3,Iraque,1,Israel,6,Itália,2,Japão,5,Java,2,Java.,2,jogos,10,Jogos educativos,15,Jogos Olímpicos,10,Jornalismo,71,José Saramago,1,Justiça,4,Ken Robinson,1,Kinect,10,Le Monde Diplomatique Brasil,9,Le Monde Diplomatique Brasil,1,Letras,2,Lexicografia,5,Liderança,4,Life Hacking,20,línguas estrangeiras,3,Linguística,11,Literatura,57,Livro,67,Lógica,26,Logística,4,Loterias,4,Lua,1,Maçonaria,4,Malásia,2,Malvinas,2,Malware,1,Mapa,91,Mário Sérgio Conti,1,Marte,3,Mastologia,1,Matemática,80,Matemática Financeira,1,maternidade,1,Mecânica,8,Mecânica dos Fluidos,2,Mecatrônica,47,Medicina,543,Medicina Esportiva,1,Medicina Veterinária,4,Meio Ambiente,116,Mel,1,melanoma,1,Memória,5,memorização,4,Mente,4,Mercado de Trabalho,75,mercosul,1,Mestrado,4,meteorologia,11,Metodologia Científica,53,México,1,Microbiologia,4,Microsoft,16,Mídia Social,57,Militar,15,Mineralogia,1,Mistério,3,MIT,14,Mitologia,2,Mobilidade,1,Mobilidade Urbana,9,Moda,1,MonaVie,1,Montanhismo,1,Moodle,7,Mossad,1,Motivação,1,Movimento Maker,2,MSF,1,Mudança Climática,24,Mulher,4,Multimídia,14,museu,15,Música,88,MVC,1,Nanotecnologia,36,Nasa,17,Natação,2,Natal,17,Natureza,2,Negócios,30,Netflix,1,Neurociência,89,Neurologia,80,Nicolelis,1,Nordeste,2,Noruega,2,notícias,8,Novidades,18,Novo Enem,2,Números,2,Nutrição,68,Obama,1,Obesidade,10,Observatório da Imprensa,27,Obstetrícia,4,Oceanografia,7,odontologia,9,Offshore Leaks,2,oftalmologia,11,Olimpíadas,9,oncologia,49,ONU,9,Opinião,102,Óptica,17,Oracle,1,Oriente Médio,5,Orkut,2,Ornitologia,1,ortografia,3,Ortopedia,4,Ótica,8,Otorrinolaringologia,2,Oxfam,3,Pacifismo,1,Paginadores,1,paleontologia,4,Paquistão,1,Pará,2,Paraguai,2,parkinson,2,Passeio virtual,1,Patinação,1,Paulo Freire,1,Pedagogia,3,Pediatria,6,Pensamentos,3,performance,2,Periférico,1,Pesca,2,Pesquisa,237,Petição,1,Petrobrás,9,Petróleo,12,Photoshop,5,Pirataria,7,planilha de custo,1,Playstation 3,2,Plebiscito,3,Pneumologia,1,Podcast,4,Poesia,29,Política,311,Portugal,7,português,19,Pós-graduação,2,Pré-sal,5,Prêmio Nobel,7,primatologia,1,Primeira Guerra Mundial,1,privacidade,22,produtividade,7,professor Hamilton Alves,2,Programa Gratuito,4,Programação,57,Projeção Mapeada,1,Projeto Truco,2,Promoção,1,Propaganda,5,Psicanálise,1,Psicologia,279,Psicologia Animal,25,Psiquiatria,15,Pública,13,publicidade,19,Publieditorial,5,PUC Minas,1,Quadrinhos,10,Quads,5,Qualidade,3,Qualidade de Vida,11,química,33,REA,2,realidade aumentada,45,realidade diminuída,2,Realidade Misturada,3,Realidade Virtual,44,Reconhecimento de imagem,12,Reconhecimento de voz,3,Recorde,1,Recoverit,1,Recuperar vídeos,1,Redação,1,redes,12,Referência,5,Referendo,1,Reforma Política,3,Reino Unido,2,Relacionamento,2,Relações Internacionais,40,Religião,42,Responsabilidade Social,4,Retrospectiva,1,Review,15,Rio 2016,6,Rio de Janeiro,2,Rio Grande do Norte,1,Rio Grande do Sul,1,robótica,108,Roda Viva,49,Roma,6,roteiro,1,RSA,1,RTP,1,Rússia,2,Samsung,1,Sanitarismo,5,Santa Catarina,1,São Paulo,4,Saúde,591,Savant,1,Segunda Guerra Mundial,23,Segurança,122,Segurança da Informação,63,Seleção Natural,3,Séries,2,serviço,1,Serviço Online,1,Sexologia,2,sexualidade,5,Show,7,SIGGRAPH,1,Simulação,35,Singularity University,1,Síria,3,Sismologia,2,Sistema operacional,4,Sistemas de Numeração,1,Sites de Busca,18,Sociedade,5,Sociologia,54,Software,34,Software Livre,25,Sol,2,Sono,4,Sony,3,SOPA,2,Star Wars,1,Startup,2,Steve Cutts,1,Suécia,3,Sugestão de presentes,64,Sun,1,supercomputadores,2,Sustentabilidade,5,Tabagismo,6,Taiwan,1,Talento precoce,1,Taxas Equivalentes,1,Taxidermia,1,Teatro,26,Técnicas de Estudo,2,Tecnologia,583,Tecnologia da Informação,28,TED,439,TED-Ed,47,TedMed,2,TEDx,4,TEDx Rio+20,1,TEDxAmazônia,1,TEDxAsaSul,1,Telefonia,61,Televisão,43,Temas,1,Tempo,1,Tendências,10,Teologia,5,teoria das supercordas,1,Teoria dos Jogos,1,Terremoto,7,Terrorismo,15,Tesla,1,Testes,17,Tipologia,8,Tomada de Decisão,1,tradução,5,Trânsito,12,transporte,57,Tributo,3,Trigonometria,1,Tubarão,2,Tunísia,1,Turismo,25,Tutorial,23,Twitter,8,Uber,5,UFC,1,UFG,1,UFMG,1,ufologia,5,UFRJ,3,UFSC,1,UNB,1,Unicamp,4,UNIFESP,1,universidade,6,Universidade Corporativa,1,Universidade da Califórnica,1,Universidade da Geórgia,1,Universidade da Pensilvânia,1,Universidade de Brasília,1,Universidade de Cambridge,2,Universidade de Chicago,1,Universidade de Columbia,1,Universidade de Michigan,1,Universidade de Princeton,1,Universidade de Rochester,1,Universidade de Washington,3,University College London,1,Urbanismo,26,Urologia,2,User Experience,1,USP,10,Utilidade Pública,3,Utilitário,3,Vale,1,Vaticano,1,Veículo Autônomo,8,Ventriloquismo,3,Verão,1,vestibular,3,Vestimenta,1,Vida Digital,7,Vida Moderna,18,Vida Selvagem,10,Videogame,118,Vídeos,981,Vídeos 360,1,Violência,5,Vírus,18,Visão Computacional,10,Vôlei,1,Vulcanologia,7,Watergate Política,1,WCIT 2016,2,WCIT 2017,1,Web,1,Web 2.0,29,Web Application,155,Web Semântica,2,Web Seminar,1,webdesign,11,Webinar,2,widget,2,WikiLeaks,37,Wikipedia,4,Windows,5,Xadrez,2,YouTube,6,Zika,1,Zoologia,59,
ltr
item
Brasil Acadêmico: O Orelhão faz 50 anos
O Orelhão faz 50 anos
https://1.bp.blogspot.com/-sxBCOV3lyQo/YNuDYvWYTnI/AAAAAAABHJY/dOn3uVPAG3sYl6UOt9BsMbLRggnv88mLwCLcBGAsYHQ/s320/orelhao00.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-sxBCOV3lyQo/YNuDYvWYTnI/AAAAAAABHJY/dOn3uVPAG3sYl6UOt9BsMbLRggnv88mLwCLcBGAsYHQ/s72-c/orelhao00.jpg
Brasil Acadêmico
https://blog.brasilacademico.com/2021/06/o-orelhao-faz-50-anos.html
https://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2021/06/o-orelhao-faz-50-anos.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Todos os posts carregados Nenhumpost encontrado VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Home Páginas POSTS Ver Todos Recomendado para você CATEGORIA ARQUIVO SEARCH TODOS POSTS Não encontrado nehum post de acordo com o seu critério Voltar para Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April Mai June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agorinha 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais que 5 semanas atrás Seguidores Seguir THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy Table of Content