Podemos acabar com a malária para sempre, devemos fazê-lo?

Comentar

Nós temos a escolha de atacar um dos mais antigos inimigos com engenharia genética. Mas devemos fazê-lo?

Nós temos a escolha de atacar um dos mais antigos inimigos com engenharia genética. Mas devemos fazê-lo?

E se você pudesse usar engenharia genética para frear o predador mais perigoso da humanidade?
O animal mais mortífero do planeta, responsável pela morte de bilhões: O poderoso mosquito.
Entre outras doenças, ele é vetor da malária. Um dos parasitas mais cruéis na Terra. Possivelmente, o maior assassino da história da humanidade.


Clique     Retroceder    Avançar   Espaço /    /   F



Somente em 2015, centenas de milhões foram infectados, e quase meio milhão de pessoas morrerram.

Uma nova tecnologia pode nos ajudar a erradicar a malária para sempre. Mas para fazê-lo, precisaríamos alterar geneticamente toda uma população animal. Esse não é um problema hipotético - os mosquitos modificados já existem em laboratório.

Deveríamos usar a tecnologia? A malária é tão ruim a ponto de arriscarmos?

KURZGESAGT - Em poucas palavras.

A malária é causada por um grupo de microorganismos - o plasmódio. Microorganismos muito estranhos, que se consistem em somente uma célula. Eles são parasitas, que dependem completamente de mosquitos.

A malária sempre começa com uma picada de inseto. Em suas glândulas salivares, milhares de esporozoides esperam até que o inseto penetre sua pele. Imediatamente após de invadir você, eles partem para o fígado. Onde eles entram silenciosamente em células grandes, e se escondem do sistema imunológico. Por até um mês, eles ficam em modo escondido, consumindo as células vivas. E se transformando em sua próxima fase: pequenos merozoítos, em formato de gota.

Eles se multiplicam, gerando milhares deles mesmos, e então estouram a célula por dentro.
Então, milhares de parasitas seguem para a corrente sanguínea procurando por suas novas vítimas:
As hemoglobinas.

Para passarem desapercebidas. Elas se envolvem nas membranas das células que elas mataram.
Imagine isso: matar alguém por dentro, e então pegar a pele dele como camuflagem. Brutal.

Agora, eles atacam violentamente as hemoglobinas. Multiplicando-se dentro delas até que elas explodam. E então achando novas hemoglobinas.

E esse ciclo se repete, de novo e de novo.

Pedaços de células mortas soltam diversos materiais tóxicos que ativam uma resposta imune poderosa, causando sintomas parecidos com a gripe.

Entre os sintomas, há a febre alta, sudorese e calafrios, convulsões, cefaleia, e às vezes vômitos e diarreia.

Se a malária fura a barreira sangue-cérebro. Ela pode causar coma, danos neurológicos ou morte.

Os parasitas agora estão prontos para evacuarem. Quando outro mosquito morde o humano infectado, eles pegam uma carona. O ciclo pode se reiniciar.

Em 2015, o vírus zika, que causa danos congênitos terríveis se infectar mulheres grávidas, se espalhou rapidamente para novas áreas ao redor do globo. Ele também é espalhado por um mosquito.

O mosquito é o vetor perfeito para doenças humanas.

Eles estão ativos há pelo menos 200 milhões de anos, há trilhões deles, e um único mosquito pode botar até 300 ovos de uma só vez.
Eles são praticamente impossíveis de se erradicar, e o vetor de parasita perfeito.
Mas hoje, nós temos uma nova e revolucionária tecnologia. Que pode nos habilitar a finalmente vencer a guerra contra eles.

CRISPR.

Pela primeira vez na história humana, nós temos as ferramentas para fazer mudanças rápidas e duradouras em espécies inteiras. Alterando suas informações genéticas como quisermos.

Assim, em vez de atacar grupos isolados de insetos, por que não mudar somente o tipo que carrega as doenças?

Usando engenharia genética, Cientistas criaram com sucesso uma cepa de mosquitos que são imunes ao parasita da malária.

Ao adicionar um novo gene anticorpo, que ataca plasmódios especificamente, esses mosquitos jamais espalharão a malária.

Mas só mudar a informação genética não é o suficiente. As mudanças só seriam herdadas por metade dos filhotes, porque a maioria dos genes existem duas vezes dentro do genoma, para evitar falhas.

Então, após somente duas gerações, o gene editado só seria carregado pela metade dos mosquitos no máximo.

Em uma população de bilhões de mosquitos, eles quase não fariam diferença.

Um método de engenharia genética chamada de genética dirigida resolve o problema.

Ela força o novo gene a ser dominante nas próximas gerações, substituindo o antigo gene quase completamente.

Graças a essa novidade, 99,5% dos filhotes de mosquitos alterados portarão o novo gene antimalária.
Se nós soltássemos o bastante de mosquitos alterados na natureza, pra acasalar com mosquitos normais, os genes antimalária se espalhariam extremamente rápido.

À medida que o novo gene se torna característica permanente da população de mosquito, o plasmódio perderia seu hábitat. Cientistas esperam que as mudanças sejam tão rápidas que os plasmódios não poderiam se adaptar a tempo.

A malária poderia virtualmente desaparecer. Se você levar em conta que aproximadamente meio milhão de crianças são mortas por ela todo ano, umas 5 morreram desde que esse vídeo começou.

Alguns cientistas argumentam que deveríamos usar essa tecnologia logo, em vez de aguardar.

Os mosquitos em si provavelmente se beneficiariam com isso. Eles não ganham nada em carregar parasitas. E esse pode ser só o primeiro passo - a malária pode ser só o começo.

Diferentes mosquitos também carregam a dengue e a zika, carrapatos carregam a borreliose, moscas portam a doença do sono, pulgas transmitem a peste.

Nós poderíamos salvar milhões de vidas, e prevenir sofrimento em uma escala inimaginável.
Então... por que não fizemos isso ainda?

Pra começar, alteração via CRISPR é uma tecnologia que mal tem 4 anos.

Então, até recentemente, nós simplesmente não podíamos fazer isso tão rápido e tão fácil.

E existem preocupações válidas. Nunca antes os humanos mexeram conscientemente no código genético de um organismo vivo nessa escala.

Assim que o fizermos, não poderemos voltar atrás. Então, é preciso fazê-lo corretamente, porque poderá haver consequências indesejadas se decidirmos alterar a natureza.

No caso específico da malária, contudo, o risco pode ser aceitável, uma vez que a mudança genética não altera tanto assim o genoma, ele só muda uma parte muito específica.

O pior cenário aqui é que isso pode não funcionar, ou que o parasita se adapte de maneira negativa.

Ainda há muita discussão.

Tecnologias tão poderosas quanto genética dirigida precisam ser manuseadas com muito cuidado.
Mas em algum ponto, precisaremos perguntar a nós mesmos:
Não seria antiético NÃO utilizar essa tecnologia, quando todo dia mil crianças morrem?
A humanidade precisa se decidir como agir nesse caso nos próximos anos. A discussão pública está bem atrás do avanço tecnológico, nesse caso. O que você acha?

Esse vídeo foi possível, em parte, por doações de espectadores no Patreon do KURZGESAGT.

Fonte: YouTube
[Visto no Brasil Acadêmico]

COMMENTS

BLOGGER

$show=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil,1,A divulgar,2,Abelha,3,Acessibilidade,20,acessório,2,Acidente,48,Acidentes,2,Acústica,16,Adágios,1,Adestramento,5,Administração,26,adulto,1,Aerodinâmica,4,Aeronáutica,8,África,6,Agência Brasil,18,Agência Fiocruz,1,Agência Porvir,1,Agência Senado,1,Agência USP,4,Agricultura,4,Agropecuária,2,AIDS,1,AirBNB,1,Alcoolismo,7,Alemanha,3,Alerta,1,Algoritmo,8,Alimento,1,Alzheimer,4,Amazon,1,Amazônia,4,América Latina,1,Análise Combinatória,1,Anatomia,6,Android,3,Animação,46,Animais de Estimação,6,Animal,2,Antropologia,14,Apicultura,8,App,9,Apple,5,Apresentação,4,aquário,1,Argentina,4,Arqueologia,5,arquitetura,29,Arte,149,Astrobiologia,2,Astrofísica,3,Astronomia,24,Ativismo,26,Áudio,3,Audio FX,2,Áustria,1,Autismo,2,Auto-ajuda,10,Automobilismo,14,Automóvel,19,aventura,3,Aviação,5,Aviônica,8,Bahia,2,Balonismo,3,Banco de Dados,5,Beber e Dirigir,1,biblioteconomia,3,Bicicleta,1,Biografia,16,Biologia,157,Biologia Marinha,15,bioquímica,6,Biotecnologia,25,Bitcoin,2,Blog,29,Blogger,32,Boato,5,Bomba,1,borderô de desconto,1,Botânica,5,BRASA,1,BRASA Leads,1,Brasil,34,Brasília,14,BRIC,1,Browser,10,Bugs,3,CAD,3,Calor,2,Câmera lenta,1,Campanha,44,cardiologia,14,Carnaval,2,carreira,2,Cartografia,3,Casemods,1,Caso Isabella Nardoni,1,Caso Snowden,1,Ceará,1,Celebridades,6,celular,24,Células-Tronco,3,Cérebro,2,Charge,22,China,16,Cibercultura,2,Ciclovia,1,Cidadania,39,Ciência,183,Cinema,63,Clip,1,Cliparts,1,Cloud computing,4,Coaching,12,Comédia,2,competência,1,Complemento de dois,1,Comportamento,249,Computação,81,Computação em grade,5,Computação forense,3,Computação Gráfica,135,Computação Móvel,1,Comunicação e Marketing,131,Concurso,1,Concurso Cultural de Natal,1,Concursos Público,2,Concursos Públicos,3,Conectômica,1,Conferência,1,Congresso em Foco,1,Conspiração,2,Consumidor,7,Consumismo,3,contabilidade,2,Contos,45,Copa do Mundo,27,Cordel,3,Coreia do Norte,1,Coreia do Sul,1,Corpo,2,Coruja,1,cosmética,3,Cosmologia,21,Crash Course,1,Criança,1,Criatividade,3,Crime,46,Crime Digital,7,crise,11,crise econômica,8,crônica,5,crônicas,5,Cronologia,1,CSS,3,Cuba,4,Culinária,8,Cultura,9,Curiosidades,112,custos fixo,1,custos variáveis,1,Dança,6,DAO,1,Darwin,9,Davos,1,Debate,1,Decoração,1,demência,1,Demografia,3,Denúncia,10,Dermatologia,7,Desastre Natural,13,Descoberta,2,desconto duplicatas,1,Desenho instrucional,11,Desenvolvimento de jogos,8,Design,25,Design Instrucional,6,Destaque,25,Dia das Mães,1,Dia do professor,1,diabetes,6,Dicas,66,Didática,1,Dieta,3,diplomacia,3,Direito,173,Direito Eleitoral,1,Direito Internacional,28,Direito Trabalhista,1,Direito Tributário,2,Direitos Autorais,1,Direitos Humanos,37,Disney,5,Distrito Federal,2,Documentário,60,Doutorado,1,download,3,Drogas,7,Drone,3,Dubai,1,e-Book,2,e-governo,2,EBC,1,Ecologia,81,Economia,106,Editoração Eletrônica,1,Educação,331,Educação a Distância,143,Educação Corporativa,4,educação física,19,Educação sexual,6,Efeitos Sonoros,4,Egiptologia,1,Eleições,23,Eleições 2014,12,Eleições 2018,5,Eletricidade,9,eletrônica,3,Em Operários,1,Embrapa,1,empreendedorismo,6,enciclopédia,1,endocrinologia,5,Enem,3,Energia,14,Energia Alternativa,16,Energia Nuclear,11,Engenharia,62,Engenharia Agrícola,1,Engenharia Civil,4,Engenharia de materiais,13,Engenharia de Software,4,Engenharia Genética,30,Engenharia Mecânica,1,Enretenimento,1,Ensino a Distância,9,Ensino Superior,3,Entomologia,7,Entretenimento,41,Entrevista,83,Entrevista.,1,Epidemiologia,21,Epistemologia,1,Equador,1,Escândalo,5,Escritório,1,Espaço,65,Espanha,1,Espanhol,2,Espeleologia,1,Espetáculo,8,Espionagem,19,Esporte,39,Estação,1,Estágio,2,Estatísticas,32,estrutura de dados,1,Ética,23,EUA,14,Europa,2,Evento,37,Evolução,4,Exercícios físicos,2,Exobiologia,2,experiência,42,fábulas,3,Facebook,17,Farmacologia,8,Favo,1,Feminismo,1,Férias,1,Ferramentas,6,FIFA,2,Filantropia,4,Filmes,16,Filosofia,47,Finlândia,1,Firefox,1,Física,103,Física Quântica,3,Fisiologia,7,Fisioterapia,6,Flagrante,2,Flamengo,1,Folclore,3,Fome,1,Fonética,1,Fonoaudiologia,6,Fotografia,40,Fotos em 360 graus,6,França,6,Francês,2,frases,2,Fraude,4,Freeware,67,Futebol,38,Futurologia,78,gadget,88,Gafe,2,Gamificação,5,Gastroenterologia,5,Gastronomia,2,Geek,1,Genética,38,Geofísica,1,Geografia,52,Geologia,10,Geometria,6,geopolítica,20,Gerenciamento do Tempo,1,Geriatria,10,Gestão de Competências,2,Gestão de Configuração,2,Gestão de Pessoas,3,Gestão de Projetos,17,Gestão do conhecimento,6,Ginecologia,3,Glass,1,Google,78,Governo,4,GPS,1,Gradiente,1,gramática,13,Gravidez,1,Grécia,1,Grécia Antiga,1,Guerra,35,Guerra Civil,2,Guinness,1,H2,2,Haiti,3,hardware,35,História,187,HIV,1,Hololens,2,homenagem,45,Horologia,1,HPV,1,HTML,6,Humor,208,Humor Negro,8,IBGE,2,IBM,4,ICIJ,2,Idioma,43,IHC,8,ilo,29,ilusão,34,ilusionismo,5,Imagem 3D,16,Imagens,6,Imagine Cup,1,Império Romano,5,Imprensa,33,Impressora 3D,16,Imunologia,2,Incêndio,2,Inclusão digital,8,Índia,3,Índios,1,Infectologia,16,Infográfico,47,Informática,38,Inglaterra,3,Inglês,22,Inovação,178,Inspiração,1,Inteligência Artificial,98,intercâmbio,1,Interface,188,Interfaces Hápticas,20,Internacional,22,Internacionalização da Amazônia,3,Internet,160,Internet das Coisas,2,Inundação,2,Invenção,20,Inventos,6,iPad,1,IPEA,1,iphone,3,Irã,3,Iraque,1,Israel,6,Japão,2,Java,2,Java.,2,jogos,9,Jogos educativos,13,Jogos Olímpicos,10,Jornalismo,69,Justiça,4,Kinect,10,Le Monde Diplomatique Brasil,9,Le Monde Diplomatique Brasil,1,Letras,1,Lexicografia,5,Liderança,3,Life Hacking,20,Linguística,9,Literatura,54,Livro,57,Lógica,25,Logística,4,Loterias,4,Lua,1,Maçonaria,4,Malásia,2,Malvinas,2,Malware,1,Mapa,68,Mário Sérgio Conti,1,Marte,2,Mastologia,1,Matemática,76,Matemática Financeira,1,maternidade,1,Mecânica,8,Mecânica dos Fluidos,2,Mecatrônica,46,Medicina,470,Medicina Esportiva,1,Medicina Veterinária,4,Meio Ambiente,104,Mel,1,melanoma,1,Memória,5,memorização,4,Mente,4,Mercado de Trabalho,68,mercosul,1,Mestrado,1,meteorologia,11,Metodologia Científica,44,México,1,Microbiologia,4,Microsoft,14,Mídia Social,54,Militar,14,Mineralogia,1,Mistério,2,MIT,12,Mitologia,2,Mobilidade,1,Mobilidade Urbana,9,MonaVie,1,Montanhismo,1,Moodle,7,Mossad,1,Motivação,1,Movimento Maker,1,MSF,1,Mudança Climática,20,Mulher,4,Multimídia,14,museu,10,Música,82,MVC,1,Nanotecnologia,33,Nasa,15,Natação,2,Natal,17,Natureza,1,Negócios,25,Netflix,1,Neurociência,82,Neurologia,77,Nicolelis,1,Nordeste,2,Noruega,1,notícias,8,Novidades,18,Novo Enem,2,Números,1,Nutrição,63,Obama,1,Obesidade,10,Observatório da Imprensa,26,Obstetrícia,3,Oceanografia,7,odontologia,7,Offshore Leaks,2,oftalmologia,11,Olimpíadas,7,oncologia,45,ONU,8,Opinião,92,Óptica,17,Oracle,1,Oriente Médio,5,Orkut,2,Ornitologia,1,ortografia,3,Ortopedia,3,Ótica,8,Otorrinolaringologia,1,Oxfam,2,Pacifismo,1,Paginadores,1,paleontologia,3,Paquistão,1,Pará,2,Paraguai,2,parkinson,2,Passeio virtual,1,Patinação,1,Pedagogia,1,Pediatria,6,Pensamentos,2,performance,2,Periférico,1,Pesca,2,Pesquisa,198,Petição,1,Petrobrás,9,Petróleo,12,Photoshop,5,Pirataria,7,planilha de custo,1,Playstation 3,2,Plebiscito,3,Pneumologia,1,Podcast,4,Poesia,28,Poítica,1,Politica,5,Política,287,Portugal,6,português,18,Pós-graduação,1,prazo médio,1,Pré-sal,5,Prêmio Nobel,6,primatologia,1,Primeira Guerra Mundial,1,privacidade,17,produtividade,3,professor Hamilton Alves,2,Programa Gratuito,4,Programação,51,Projeção Mapeada,1,Projeto Truco,2,Promoção,1,Propaganda,5,Psicanálise,1,Psicologia,265,Psicologia Animal,23,Psiquiatria,13,Pública,12,publicidade,18,Publieditorial,4,Quadrinhos,10,Quads,5,Qualidade,3,Qualidade de Vida,11,química,32,REA,2,realidade aumentada,44,realidade diminuída,2,Realidade Misturada,2,Realidade Virtual,37,Reconhecimento de imagem,12,Reconhecimento de voz,3,Recorde,1,Recoverit,1,Recuperar vídeos,1,Redação,1,redes,10,Referência,2,Referendo,1,Reforma Política,3,Reino Unido,1,Relacionamento,2,Relações Internacionais,40,Religião,39,Responsabilidade Social,4,Retrospectiva,1,Review,4,Rio 2016,6,Rio de Janeiro,1,Rio Grande do Norte,1,Rio Grande do Sul,1,robótica,97,Roda Viva,45,Roma,4,roteiro,1,RSA,1,Rússia,1,Samsung,1,Sanitarismo,5,Santa Catarina,1,São Paulo,4,Saúde,484,Savant,1,Segunda Guerra Mundial,20,Segurança,116,Segurança da Informação,60,Seleção Natural,2,Séries,2,serviço,1,Serviço Online,1,Sexologia,2,sexualidade,5,Show,7,SIGGRAPH,1,Simulação,28,Singularity University,1,Síria,3,Sismologia,2,Sistema operacional,4,Sistemas de Numeração,1,Sites de Busca,14,Sociedade,4,Sociologia,52,Software,32,Software Livre,25,Sol,2,Sono,4,Sony,2,SOPA,2,Star Wars,1,Suécia,3,Sugestão de presentes,61,Sun,1,supercomputadores,2,Sustentabilidade,5,Tabagismo,6,Taiwan,1,Talento precoce,1,taxa de juros efetiva,1,taxa de juros nominal,1,Taxas Equivalentes,1,Taxidermia,1,Teatro,26,Técnicas de Estudo,2,Tecnologia,538,Tecnologia da Informação,28,TED,389,TED-Ed,39,TedMed,2,TEDx,1,TEDx Rio+20,1,TEDxAmazônia,1,TEDxAsaSul,1,Telefonia,59,Televisão,43,Temas,1,Tempo,1,Tendências,10,Teologia,5,teoria das supercordas,1,Terremoto,7,Terrorismo,15,Tesla,1,Testes,17,Tipologia,8,Tomada de Decisão,1,tradução,5,Trânsito,11,transporte,55,tributo,3,Trigonometria,1,Tubarão,2,Tunísia,1,Turismo,21,Tutorial,20,Twitter,8,Uber,4,UFC,1,UFG,1,ufologia,5,UFRJ,1,Unicamp,1,UNIFESP,1,universidade,5,Universidade Corporativa,1,Universidade de Cambridge,2,Universidade de Michigan,1,Urbanismo,23,Urologia,1,User Experience,1,USP,6,Utilidade Pública,3,Utilitário,3,Vale,1,Vaticano,1,Veículo Autônomo,7,Ventriloquismo,3,Verão,1,vestibular,3,Vestimenta,1,Vida Digital,7,Vida Moderna,17,Vida Selvagem,10,Videogame,114,Vídeos,927,Vídeos 360,1,Violência,4,Vírus,2,Visão Computacional,9,Vôlei,1,Vulcanologia,6,Watergate Política,1,WCIT 2016,2,WCIT 2017,1,Web 2.0,29,Web Application,134,Web Semântica,2,Web Seminar,1,webdesign,11,Webinar,2,widget,2,WikiLeaks,37,Wikipedia,4,Windows,5,Xadrez,1,YouTube,6,Zika,1,Zoologia,56,
ltr
item
Brasil Acadêmico: Podemos acabar com a malária para sempre, devemos fazê-lo?
Podemos acabar com a malária para sempre, devemos fazê-lo?
https://1.bp.blogspot.com/-eJIo50Nx7Hk/V-c2yXvp49I/AAAAAAAAnXs/uVmv_upbv-Yu3o6kFyURN-4oqUMY7kh6ACLcB/s400/malaria.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-eJIo50Nx7Hk/V-c2yXvp49I/AAAAAAAAnXs/uVmv_upbv-Yu3o6kFyURN-4oqUMY7kh6ACLcB/s72-c/malaria.jpg
Brasil Acadêmico
https://blog.brasilacademico.com/2016/09/podemos-acabar-com-malaria-para-sempre.html
https://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2016/09/podemos-acabar-com-malaria-para-sempre.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Todos os posts carregados Nenhumpost encontrado VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Home Páginas POSTS Ver Todos Recomendado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS POSTS Não encontrado nehum post de acordo com o seu critério Voltar para Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agorinha 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás Ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ semanas atrás mais que 5 semanas atrás Seguidores Seguir THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy