O cinismo de FHC sobre o aborto é o mesmo que sustenta a guerra às drogas

Comentar

FHC sabia que financiava algo ilícito e sabia que não seria pego pois a Justiça brasileira só tem olhos para os pobres, sabia que abusava de...

FHC sabia que financiava algo ilícito e sabia que não seria pego pois a Justiça brasileira só tem olhos para os pobres, sabia que abusava de sua posição política e econômica e que suas ações iam de encontro a seu cargo, e mesmo assim fazia, talvez não tanto por falsidade hipócrita mas pelo caráter cínico da nossa sociedade.


por Júlio Delmanto

O nome de Fernando Henrique Cardoso bombou nas redes sociais nessa semana por conta das entrevistas da ex-jornalista da TV Globo Miriam Dutra, dadas à revista BrazilcomZ e depois à Folha de S.Paulo, nas quais ela fala sobre o período em que teve uma relação amorosa com o ex-presidente, que era casado e com o qual teria tido um filho, hoje com mais de vinte anos. Nas entrevistas Miriam critica o líder tucano por nunca ter reconhecido oficialmente o filho e revela que recebeu dinheiro e ameaças, além de ter feito dois abortos de outros filhos de FHC. 

Vale destacar que o sociólogo não negou nenhuma das afirmações de Dutra, dizendo apenas que nunca enviou dinheiro a ela por meio de empresas de aliados seus. 

Claro que é um pouco estranho ela decidir, depois de tantos anos, falar sobre o caso justo agora que Lula, maior rival de FHC, está com a cabeça a prêmio. Claro que as relações extraconjugais das pessoas dizem respeito apenas aos envolvidos nelas. Mas as revelações de que Cardoso teria estimulado e financiado dois abortos – conduta proibida pelo país que ele governava - nos diz muito sobre o exercício do poder e o caráter da lei em nosso país. Vale destacar que o sociólogo não negou nenhuma das afirmações de Dutra, dizendo apenas que nunca enviou dinheiro a ela por meio de empresas de aliados seus. 

Inicialmente pensei em seguir Carla Jimenez, colunista do El País, e ressaltar a hipocrisia do ex-presidente. Ela qualifica a divulgação do fato como estarrecedora, “pois equivale a urrar num megafone 'somos todos hipócritas no Brasil', diante da informação de que um prestigiado representante da classe política patrocinou o que tenta ser coibido para pessoas simples que também precisam ter essa possibilidade ao seu alcance”. Jimenez cita Eliane Brum, que destaca a realização anual de mais de 1 milhão de abortos por métodos inseguros no Brasil, com o Sistema Único de Saúde fazendo ao menos 200 mil atendimentos por complicações pós-aborto. As mortes por procedimentos mal feitos também estariam na casa dos milhares.

Hipocrisia é a “manifestação de fingidas virtudes, sentimentos bons, devoção religiosa, compaixão, etc.”

Como define o dicionário Michaelis, a hipocrisia é a “manifestação de fingidas virtudes, sentimentos bons, devoção religiosa, compaixão, etc.” e é também fingimento, falsidade. Termo perfeito, portanto, para descrever a conduta de FHC, que mesmo tendo já se manifestado em defesa da descriminalização do aborto não fez nenhuma ação concreta para tal quando foi presidente. Uma dupla hipocrisia, uma vez que, assim como no caso das drogas, por um lado suas declarações se chocam com suas práticas de mandatário, e por outro suas ações privadas se chocam com sua posição pública de guardião da Lei. Fingimento e falsidade em sua mais pura face, e que só choca menos pelo praticamente unânime nível de hipocrisia e corrupção de toda a política institucional brasileira. 

Mas talvez mais preciso seria observar o caráter cínico do ex-presidente. No livro Cinismo e a falência da crítica, Vladimir Safatle define o cinismo como “um regime peculiar de relação à norma”, e cita Slavoj Zizek, para quem “o cínico vive da discordância entre os princípios proclamados e a prática – toda sua sabedoria consiste em legitimar a distância entre eles”. Deste modo, se Marx definia a alienação como “eles não sabem o que fazem, mas fazem mesmo assim”, Zizek define o cinismo contemporâneo como “eles sabem o que fazem, e ainda assim fazem”. FHC sabia que financiava algo ilícito e sabia que não seria pego pois a Justiça brasileira só tem olhos para os pobres, sabia que abusava de sua posição política e econômica e que suas ações iam de encontro a seu cargo, e mesmo assim fazia, talvez não tanto por falsidade hipócrita mas pelo caráter intrinsecamente cínico de nossa sociedade e suas elites, para quem as leis só devem ser seguidas quando interessa – geralmente pelos outros.  

Se Marx definia a alienação como “eles não sabem o que fazem, mas fazem mesmo assim”, Zizek define o cinismo contemporâneo como “eles sabem o que fazem, e ainda assim fazem”.

Ainda segundo Zizek, vivemos uma ordem que ri de si mesma, que não precisa mais tentar sufocar ou ridicularizar as críticas, conseguindo na verdade incorporá-las ao sistema através do que Safatle chama de “insatisfação administrada”. Neste contexto, somos incitados a operar um modo de ser muito peculiar de “suspensão de conflitos”: basta que as normas possam ser flexibilizadas para que os conflitos sejam suspensos. “Basta que sejam seguidas de maneira cínica, fazendo com que justifiquem o contrário do que pareciam indexar”. Claro que pra isso acontecer você tem que estar numa posição de poder. 

Na opinião de Safatle, essa relação cínica tende a se tornar hegemônica em contextos históricos em que há “imperativos de satisfação irrestrita” tendo que conviver com “expectativas normativas que aspiram à validade universal”. Ou seja, seria uma postura típica dos atuais tempos capitalistas, que seguem reprimindo e controlando os instintos e os corpos das pessoas mas com a novidade de agora também os estimularem a todo tempo, num bombardeio publicitário/midiático/educacional/cultural em defesa do individualismo e do prazer. A mesma sociedade que oprime e fiscaliza a livre expressão da sexualidade também está a todo tempo incitando e falando sobre sexo, o mesmo sistema que demoniza as drogas celebra e promove a busca pelo prazer e pelo risco. As regras e os indicativos morais estão aí e muitas vezes podem entrar em conflito nosso prazer, e pra quem pode a saída é adaptar as regras. 

O cinismo de Fernando Henrique Cardoso em relação ao aborto é o mesmo que construiu e sustenta as políticas de drogas proibicionistas, afinal elas existem tanto por dinheiro, racismo e controle social quanto para controlar os corpos, o direito ao prazer – o que Foucault chamava de “ortopedia social” e “sociedade de normalização”. O Estado busca controlar não o que fazem os indivíduos, mas suas potencialidades, o que eles podem fazer com seus corpos e desejos. Mesmo que se trate de um “crime sem vítimas”, como no caso do uso de drogas, ou de evitar milhares de mortes anuais, como no caso do aborto, a defesa da vida e da saúde comuns acaba sendo (cinicamente) reivindicada, com consequências terríveis para a saúde e a vida de muita gente. 

A feminista Gayle Rubin há muito escreveu a respeito da sobrevalorização da sexualidade em nossa sociedade. O mesmo acontece com as drogas. Orientações, ações e preferências sexuais, e uso de drogas, não só são condutas do âmbito privado como são apenas uma pequena parte dos inúmeros hábitos e atividades do cotidiano humano e social. Ao buscarem controlar, reprimir ou extinguir as relações sexuais e o uso de (algumas) drogas, os moralismos acabam por dar a estas condutas uma atenção e um valor muito maiores do que deveriam ter, e os fins são geralmente tão duvidosos quanto os meios, os efeitos de tais procedimentos.   

Muita gente não deixa de usar – e vender - determinadas drogas por conta da proibição. Muitas mulheres e médicos não deixam de praticar abortos por causa da proibição. Em ambos os casos, a proibição não vale para todo mundo, e todo mundo sabe disso: quem tem dinheiro pode usar e até traficar droga que nunca será preso, a mulher que tem condição pode pagar um aborto limpinho e seguro e quem sabe voltar no mesmo dia pra casa, e não ser enterrada numa vala comum como as que não tiveram a sorte – ou o azar  - de serem namoradas do presidente. Também nos dois casos o problema segue existindo e a proibição, apesar de dar a alguns a sensação de que algo está sendo feito, na verdade só agrava o problema. 

São proibições hipócritas de consequências cínicas, que explicitam e aumentam a gigantesca distância entre lei e justiça nesse país. Para Fernando Henrique Cardoso podem ser motivo de conflito interno ou arranhão de imagem: pra muita gente é questão de vida ou morte. 

PS -Sim, coxinhas haters de plantão, sim: Lula, Maduro, Fidel e mais um monte de gente supostamente de esquerda também são hipócritas sobre drogas e aborto. Isso não faz nenhum tucano melhor, só o mundo pior.  

Júlio Delmanto
Jornalista, doutorando em História Social na USP - Universidade de São Paulo.

imagem: Alessandro Carvalho/Agência de Notícias PSDB-MG/cc

Fonte:  Le Monde Diplomatique Brasil
[Visto no Brasil Acadêmico]

COMMENTS

BLOGGER: 3
  1. Sempre leio esse blog porque geralmente apresenta conteúdo em alto nível mas que decepção ao ler essa matéria, comentário desnecessário de mais um seguidor acéfalo de partido: "PS -Sim, coxinhas haters de plantão, sim: Lula, Maduro, Fidel e mais um monte de gente supostamente de esquerda também são hipócritas sobre drogas e aborto. Isso não faz nenhum tucano melhor, só o mundo pior."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então é você? :D Anônimo, tudo que eu posso dizer é que o Júlio Delmanto também deve estar cansado desse negócio de petralha, esquerdopata etc (embora não me tenha dado nenhuma procuração para defendê-lo) e que ao incluir a palavra "coxinha" no meio do texto ele reacendeu o momento de ódio mútuo entre a direita e a esquerda semelhante ao que vive os democratas e republicanos nos EUA. Mas de resto achei um texto muito rico em informações. Também achei a frase destacada desnecessária, mas, que não chega a invalidar o resto. Também aproveito para dizer que a opinião do autor não necessariamente corresponde a nossa opinião editorial e que há várias entrevistas de tucanos e outros líderes de oposição no blog. Tudo para mostrar os vários lados das questões.

      Excluir
  2. As pessoas são livres, para fumar esterco seco se quiserem.Será isto liberdade?Ser escravo de desejos é liberdade?Mesmo a "inofensiva" maconha causa danos neurológicos, esquizofrenia, danos às glândulas sexuais, etc.As propostas de liberação garantem o consumo.Com o consumo garantido o mercado se potencializa em toda sua cadeia culminando nos lucros bilionários de determinados grupos, grupos em que grandes traficantes conhecidos são apenas peões.Mas mesmo estes últimos ganhariam status de "respeitados" comerciantes com a liberação, financiando assim, mais abertamente, suas campanhas políticas. Tive que visitar uma empresa onde ao lado existia uma das chamadas cracolândias...Meu Deus, meu Deus...é uma tragédia de enormes proporções.Criminalizar o consumo não significa encarcerar usuários aumentando sua desgraça, mas defender valores civilizatórios e quebrar as bases de um mercado perverso.Mas nada mais natural que esquerdistas (declarados ou ocultos que discordam em público mas comungam em seus "ideais") defendam conflitos de toda índole. No que diferem dos direitistas que idolatram o deus mercado? Quanto ao aborto seria adequado que seus defensores observassem alguma mulher que o fez (em "reluzentes" clínicas ou em algum barraco imundo) e os resultados imediatos e ao longo de anos: o impacto psicológico é devastador e os resultados humanos, catastróficos.Mas a humanidade prefere justificar erros com outros piores ou muito mais piores. É O PROGRESSO...

    ResponderExcluir
Deixe suas impressões digitais aqui...

$show=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil,1,A divulgar,2,Abelha,3,Acessibilidade,20,acessório,2,Acidente,48,Acidentes,2,Acústica,16,Adágios,1,Adestramento,5,Administração,26,adulto,1,Aerodinâmica,4,Aeronáutica,8,África,6,Agência Brasil,18,Agência Fiocruz,1,Agência Porvir,1,Agência Senado,1,Agência USP,4,Agricultura,4,Agropecuária,2,AIDS,1,AirBNB,1,Alcoolismo,7,Alemanha,3,Alerta,1,Algoritmo,8,Alimento,1,Alzheimer,4,Amazon,1,Amazônia,4,América Latina,1,Análise Combinatória,1,Anatomia,6,Android,3,Animação,46,Animais de Estimação,6,Animal,2,Antropologia,14,Apicultura,8,App,9,Apple,5,Apresentação,4,aquário,1,Argentina,4,Arqueologia,5,arquitetura,29,Arte,149,Astrobiologia,2,Astrofísica,3,Astronomia,24,Ativismo,26,Áudio,3,Audio FX,2,Áustria,1,Autismo,2,Auto-ajuda,10,Automobilismo,14,Automóvel,19,aventura,3,Aviação,5,Aviônica,8,Bahia,2,Balonismo,3,Banco de Dados,5,Beber e Dirigir,1,biblioteconomia,3,Bicicleta,1,Biografia,16,Biologia,157,Biologia Marinha,15,bioquímica,6,Biotecnologia,25,Bitcoin,2,Blog,29,Blogger,32,Boato,5,Bomba,1,borderô de desconto,1,Botânica,5,BRASA,1,BRASA Leads,1,Brasil,34,Brasília,14,BRIC,1,Browser,10,Bugs,3,CAD,3,Calor,2,Câmera lenta,1,Campanha,44,cardiologia,14,Carnaval,2,carreira,2,Cartografia,3,Casemods,1,Caso Isabella Nardoni,1,Caso Snowden,1,Ceará,1,Celebridades,6,celular,24,Células-Tronco,3,Cérebro,2,Charge,22,China,16,Cibercultura,2,Ciclovia,1,Cidadania,39,Ciência,183,Cinema,63,Clip,1,Cliparts,1,Cloud computing,4,Coaching,12,Comédia,2,competência,1,Complemento de dois,1,Comportamento,249,Computação,81,Computação em grade,5,Computação forense,3,Computação Gráfica,135,Computação Móvel,1,Comunicação e Marketing,131,Concurso,1,Concurso Cultural de Natal,1,Concursos Público,2,Concursos Públicos,3,Conectômica,1,Conferência,1,Congresso em Foco,1,Conspiração,2,Consumidor,7,Consumismo,3,contabilidade,2,Contos,45,Copa do Mundo,27,Cordel,3,Coreia do Norte,1,Coreia do Sul,1,Corpo,2,Coruja,1,cosmética,3,Cosmologia,21,Crash Course,1,Criança,1,Criatividade,3,Crime,46,Crime Digital,7,crise,11,crise econômica,8,crônica,5,crônicas,5,Cronologia,1,CSS,3,Cuba,4,Culinária,8,Cultura,9,Curiosidades,112,custos fixo,1,custos variáveis,1,Dança,6,DAO,1,Darwin,9,Davos,1,Debate,1,Decoração,1,demência,1,Demografia,3,Denúncia,10,Dermatologia,7,Desastre Natural,13,Descoberta,2,desconto duplicatas,1,Desenho instrucional,11,Desenvolvimento de jogos,8,Design,25,Design Instrucional,6,Destaque,25,Dia das Mães,1,Dia do professor,1,diabetes,6,Dicas,66,Didática,1,Dieta,3,diplomacia,3,Direito,173,Direito Eleitoral,1,Direito Internacional,28,Direito Trabalhista,1,Direito Tributário,2,Direitos Autorais,1,Direitos Humanos,37,Disney,5,Distrito Federal,2,Documentário,60,Doutorado,1,download,3,Drogas,7,Drone,3,Dubai,1,e-Book,2,e-governo,2,EBC,1,Ecologia,81,Economia,106,Editoração Eletrônica,1,Educação,331,Educação a Distância,143,Educação Corporativa,4,educação física,19,Educação sexual,6,Efeitos Sonoros,4,Egiptologia,1,Eleições,23,Eleições 2014,12,Eleições 2018,5,Eletricidade,9,eletrônica,3,Em Operários,1,Embrapa,1,empreendedorismo,6,enciclopédia,1,endocrinologia,5,Enem,3,Energia,14,Energia Alternativa,16,Energia Nuclear,11,Engenharia,62,Engenharia Agrícola,1,Engenharia Civil,4,Engenharia de materiais,13,Engenharia de Software,4,Engenharia Genética,30,Engenharia Mecânica,1,Enretenimento,1,Ensino a Distância,9,Ensino Superior,3,Entomologia,7,Entretenimento,41,Entrevista,83,Entrevista.,1,Epidemiologia,21,Epistemologia,1,Equador,1,Escândalo,5,Escritório,1,Espaço,65,Espanha,1,Espanhol,2,Espeleologia,1,Espetáculo,8,Espionagem,19,Esporte,39,Estação,1,Estágio,2,Estatísticas,32,estrutura de dados,1,Ética,23,EUA,14,Europa,2,Evento,37,Evolução,4,Exercícios físicos,2,Exobiologia,2,experiência,42,fábulas,3,Facebook,17,Farmacologia,8,Favo,1,Feminismo,1,Férias,1,Ferramentas,6,FIFA,2,Filantropia,4,Filmes,16,Filosofia,47,Finlândia,1,Firefox,1,Física,103,Física Quântica,3,Fisiologia,7,Fisioterapia,6,Flagrante,2,Flamengo,1,Folclore,3,Fome,1,Fonética,1,Fonoaudiologia,6,Fotografia,40,Fotos em 360 graus,6,França,6,Francês,2,frases,2,Fraude,4,Freeware,67,Futebol,38,Futurologia,78,gadget,88,Gafe,2,Gamificação,5,Gastroenterologia,5,Gastronomia,2,Geek,1,Genética,38,Geofísica,1,Geografia,52,Geologia,10,Geometria,6,geopolítica,20,Gerenciamento do Tempo,1,Geriatria,10,Gestão de Competências,2,Gestão de Configuração,2,Gestão de Pessoas,3,Gestão de Projetos,17,Gestão do conhecimento,6,Ginecologia,3,Glass,1,Google,78,Governo,4,GPS,1,Gradiente,1,gramática,13,Gravidez,1,Grécia,1,Grécia Antiga,1,Guerra,35,Guerra Civil,2,Guinness,1,H2,2,Haiti,3,hardware,35,História,187,HIV,1,Hololens,2,homenagem,45,Horologia,1,HPV,1,HTML,6,Humor,208,Humor Negro,8,IBGE,2,IBM,4,ICIJ,2,Idioma,43,IHC,8,ilo,29,ilusão,34,ilusionismo,5,Imagem 3D,16,Imagens,6,Imagine Cup,1,Império Romano,5,Imprensa,33,Impressora 3D,16,Imunologia,2,Incêndio,2,Inclusão digital,8,Índia,3,Índios,1,Infectologia,16,Infográfico,47,Informática,38,Inglaterra,3,Inglês,22,Inovação,178,Inspiração,1,Inteligência Artificial,98,intercâmbio,1,Interface,188,Interfaces Hápticas,20,Internacional,22,Internacionalização da Amazônia,3,Internet,160,Internet das Coisas,2,Inundação,2,Invenção,20,Inventos,6,iPad,1,IPEA,1,iphone,3,Irã,3,Iraque,1,Israel,6,Japão,2,Java,2,Java.,2,jogos,9,Jogos educativos,13,Jogos Olímpicos,10,Jornalismo,69,Justiça,4,Kinect,10,Le Monde Diplomatique Brasil,9,Le Monde Diplomatique Brasil,1,Letras,1,Lexicografia,5,Liderança,3,Life Hacking,20,Linguística,9,Literatura,54,Livro,57,Lógica,25,Logística,4,Loterias,4,Lua,1,Maçonaria,4,Malásia,2,Malvinas,2,Malware,1,Mapa,68,Mário Sérgio Conti,1,Marte,2,Mastologia,1,Matemática,76,Matemática Financeira,1,maternidade,1,Mecânica,8,Mecânica dos Fluidos,2,Mecatrônica,46,Medicina,470,Medicina Esportiva,1,Medicina Veterinária,4,Meio Ambiente,104,Mel,1,melanoma,1,Memória,5,memorização,4,Mente,4,Mercado de Trabalho,68,mercosul,1,Mestrado,1,meteorologia,11,Metodologia Científica,44,México,1,Microbiologia,4,Microsoft,14,Mídia Social,54,Militar,14,Mineralogia,1,Mistério,2,MIT,12,Mitologia,2,Mobilidade,1,Mobilidade Urbana,9,MonaVie,1,Montanhismo,1,Moodle,7,Mossad,1,Motivação,1,Movimento Maker,1,MSF,1,Mudança Climática,20,Mulher,4,Multimídia,14,museu,10,Música,82,MVC,1,Nanotecnologia,33,Nasa,15,Natação,2,Natal,17,Natureza,1,Negócios,25,Netflix,1,Neurociência,82,Neurologia,77,Nicolelis,1,Nordeste,2,Noruega,1,notícias,8,Novidades,18,Novo Enem,2,Números,1,Nutrição,63,Obama,1,Obesidade,10,Observatório da Imprensa,26,Obstetrícia,3,Oceanografia,7,odontologia,7,Offshore Leaks,2,oftalmologia,11,Olimpíadas,7,oncologia,45,ONU,8,Opinião,92,Óptica,17,Oracle,1,Oriente Médio,5,Orkut,2,Ornitologia,1,ortografia,3,Ortopedia,3,Ótica,8,Otorrinolaringologia,1,Oxfam,2,Pacifismo,1,Paginadores,1,paleontologia,3,Paquistão,1,Pará,2,Paraguai,2,parkinson,2,Passeio virtual,1,Patinação,1,Pedagogia,1,Pediatria,6,Pensamentos,2,performance,2,Periférico,1,Pesca,2,Pesquisa,198,Petição,1,Petrobrás,9,Petróleo,12,Photoshop,5,Pirataria,7,planilha de custo,1,Playstation 3,2,Plebiscito,3,Pneumologia,1,Podcast,4,Poesia,28,Poítica,1,Politica,5,Política,287,Portugal,6,português,18,Pós-graduação,1,prazo médio,1,Pré-sal,5,Prêmio Nobel,6,primatologia,1,Primeira Guerra Mundial,1,privacidade,17,produtividade,3,professor Hamilton Alves,2,Programa Gratuito,4,Programação,51,Projeção Mapeada,1,Projeto Truco,2,Promoção,1,Propaganda,5,Psicanálise,1,Psicologia,265,Psicologia Animal,23,Psiquiatria,13,Pública,12,publicidade,18,Publieditorial,4,Quadrinhos,10,Quads,5,Qualidade,3,Qualidade de Vida,11,química,32,REA,2,realidade aumentada,44,realidade diminuída,2,Realidade Misturada,2,Realidade Virtual,37,Reconhecimento de imagem,12,Reconhecimento de voz,3,Recorde,1,Recoverit,1,Recuperar vídeos,1,Redação,1,redes,10,Referência,2,Referendo,1,Reforma Política,3,Reino Unido,1,Relacionamento,2,Relações Internacionais,40,Religião,39,Responsabilidade Social,4,Retrospectiva,1,Review,4,Rio 2016,6,Rio de Janeiro,1,Rio Grande do Norte,1,Rio Grande do Sul,1,robótica,97,Roda Viva,45,Roma,4,roteiro,1,RSA,1,Rússia,1,Samsung,1,Sanitarismo,5,Santa Catarina,1,São Paulo,4,Saúde,484,Savant,1,Segunda Guerra Mundial,20,Segurança,116,Segurança da Informação,60,Seleção Natural,2,Séries,2,serviço,1,Serviço Online,1,Sexologia,2,sexualidade,5,Show,7,SIGGRAPH,1,Simulação,28,Singularity University,1,Síria,3,Sismologia,2,Sistema operacional,4,Sistemas de Numeração,1,Sites de Busca,14,Sociedade,4,Sociologia,52,Software,32,Software Livre,25,Sol,2,Sono,4,Sony,2,SOPA,2,Star Wars,1,Suécia,3,Sugestão de presentes,61,Sun,1,supercomputadores,2,Sustentabilidade,5,Tabagismo,6,Taiwan,1,Talento precoce,1,taxa de juros efetiva,1,taxa de juros nominal,1,Taxas Equivalentes,1,Taxidermia,1,Teatro,26,Técnicas de Estudo,2,Tecnologia,538,Tecnologia da Informação,28,TED,389,TED-Ed,39,TedMed,2,TEDx,1,TEDx Rio+20,1,TEDxAmazônia,1,TEDxAsaSul,1,Telefonia,59,Televisão,43,Temas,1,Tempo,1,Tendências,10,Teologia,5,teoria das supercordas,1,Terremoto,7,Terrorismo,15,Tesla,1,Testes,17,Tipologia,8,Tomada de Decisão,1,tradução,5,Trânsito,11,transporte,55,tributo,3,Trigonometria,1,Tubarão,2,Tunísia,1,Turismo,21,Tutorial,20,Twitter,8,Uber,4,UFC,1,UFG,1,ufologia,5,UFRJ,1,Unicamp,1,UNIFESP,1,universidade,5,Universidade Corporativa,1,Universidade de Cambridge,2,Universidade de Michigan,1,Urbanismo,23,Urologia,1,User Experience,1,USP,6,Utilidade Pública,3,Utilitário,3,Vale,1,Vaticano,1,Veículo Autônomo,7,Ventriloquismo,3,Verão,1,vestibular,3,Vestimenta,1,Vida Digital,7,Vida Moderna,17,Vida Selvagem,10,Videogame,114,Vídeos,927,Vídeos 360,1,Violência,4,Vírus,2,Visão Computacional,9,Vôlei,1,Vulcanologia,6,Watergate Política,1,WCIT 2016,2,WCIT 2017,1,Web 2.0,29,Web Application,134,Web Semântica,2,Web Seminar,1,webdesign,11,Webinar,2,widget,2,WikiLeaks,37,Wikipedia,4,Windows,5,Xadrez,1,YouTube,6,Zika,1,Zoologia,56,
ltr
item
Brasil Acadêmico: O cinismo de FHC sobre o aborto é o mesmo que sustenta a guerra às drogas
O cinismo de FHC sobre o aborto é o mesmo que sustenta a guerra às drogas
https://1.bp.blogspot.com/-ljh8aircJlo/VsxtpHwRltI/AAAAAAAAj_4/ifbz-INrSHw/s320/fhc.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-ljh8aircJlo/VsxtpHwRltI/AAAAAAAAj_4/ifbz-INrSHw/s72-c/fhc.jpg
Brasil Acadêmico
https://blog.brasilacademico.com/2016/02/o-cinismo-de-fhc-sobre-o-aborto-e-o.html
https://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2016/02/o-cinismo-de-fhc-sobre-o-aborto-e-o.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Todos os posts carregados Nenhumpost encontrado VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Home Páginas POSTS Ver Todos Recomendado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS POSTS Não encontrado nehum post de acordo com o seu critério Voltar para Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agorinha 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás Ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ semanas atrás mais que 5 semanas atrás Seguidores Seguir THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy