$show=mobile

Como falar de mudança climática de forma que as pessoas se importem

Comentar

O que parece mais urgente: “aquecimento global” ou “planeta superaquecido por um manto de poluição”? Nesta palestra prática, o estrategista ...

O que parece mais urgente: “aquecimento global” ou “planeta superaquecido por um manto de poluição”? Nesta palestra prática, o estrategista de comunicação e defensor ambiental John Marshall explica por que precisamos repensar como falamos sobre as mudanças climáticas - e oferece pequenos, mas poderosos ajustes de linguagem para que as pessoas entendam e se preocupem mais intuitivamente com essa ameaça existencial. 

Muitas vezes tenho este estranho pensamento de que os alienígenas vêm à Terra para nos verificar. Eles transportam uma centena de cientistas e lhes perguntam: “O que está acontecendo em seu planeta?”. E os alienígenas rapidamente aprendem algo: que todos esses cientistas concluíram que a poluição proveniente de nossa atividade industrial está aquecendo irreversivelmente a Terra de uma forma que nos tornará muito difícil viver aqui com segurança.



Então eles fazem a mesma coisa, mas desta vez eles transportam mais 100 pessoas, e não são cientistas, eles são pessoas normais como nós. Eles poderiam contar, por um lado, quantas dessas pessoas mencionariam até mesmo a mudança climática. Duas ou três dúzias delas talvez nunca tenham sequer ouvido o termo. E entre os americanos do grupo, apenas um em cada quatro estaria muito preocupado com a questão. Os alienígenas, eu acho, ficariam chocados. “Por que as pessoas não sabem o que está acontecendo ou o quão ruim é? Alguém deveria dizer-lhes”. O absurdo da situação é tão claro e tão real. 
O que temos aqui é uma falha na comunicação.
Meu trabalho é educar as pessoas sobre as mudanças climáticas. Por isso, olho para os conceitos, as mensagens, as imagens e os termos, e os testo com milhões de pessoas. Gostaria de lhes dizer o que estou aprendendo. Para tantas pessoas, a mudança climática parece abstrata, distante, grande demais para ser imaginada. As palavras que usamos freqüentemente para descrevê-la - emissões, CO2, metano, zero líquido, antropogênico - são, colocando de modo simples, confusas. 
Não que muitas pessoas acordem pela manhã e digam: “É um grande dia para alguma descarbonização”. 
Estas palavras tornam-se obstáculos em vez de portas de entrada para o entendimento, muito menos para o cuidado.

A maneira de corrigir esta falha de comunicação é começar não falando sobre o assunto, mas começando pelas pessoas, pensando primeiro nos indivíduos, nas pessoas que têm milhões de outras coisas em sua mente, um milhão de preocupações e desafios e esperanças e aspirações. A mudança climática é uma das maiores ameaças que a humanidade já enfrentou, e não a enfrentaremos, não na medida do necessário, se as pessoas não se importarem.

A primeira abordagem das pessoas à comunicação climática exige três coisas simples:

❶ A primeira é uma linguagem simples, óbvia e universal. Uma coisa, com certeza, as pessoas não recebem prontamente - emissões de carbono, líquido zero - são os termos mais comuns que podem ser encontrados em um livro de ciências. E, francamente, para os não iniciados, muito disso não soa tão mal. “Dois graus mais quente em 50 anos”, ou soa tão mal, que você não consegue nem mesmo colocar sua cabeça ao redor - “1,2 trilhão de toneladas de gelo”. Confusão e desesperança são os inimigos da compreensão.

Um bom teste para a linguagem é o que aparece em sua cabeça quando você a ouve. Se você ouvir um termo como “mudança climática”, o que lhe vem à cabeça? Bem, para a maioria das pessoas, a resposta é “não muito”. A linguagem não é vívida. O que nós precisamos é de uma linguagem vívida que todos tenham.

É notável quantas pessoas realmente confundem a mudança climática com o buraco na camada de ozônio. Mais de quatro em cada dez americanos pensam que o buraco do ozônio na verdade causa o aquecimento global. E muitos deles se lembram e compreendem tanto sobre o empobrecimento da camada de ozônio. Por que isso acontece? Porque é um buraco, é uma camada. As pessoas podem vê-lo, imaginá-lo, relacionar-se com ele. Ele usa uma metáfora simples que é uma imagem instantânea.

Aqui está uma pequena história que recebe um “aha” semelhante para a mudança climática. Os seres humanos estão na Terra há cerca de 300.000 anos, mas só começamos a poluir assim nos últimos 60 anos. Nossa poluição permanece no ar por milhares de anos, criando um cobertor espesso que aprisiona o calor na atmosfera. Esse calor causa furacões mais fortes, incêndios maiores, enchentes mais freqüentes e a extinção de milhares de espécies. Mas há boas notícias. Para deter a manta poluidora, basta parar de poluir. Esta “manta poluidora” é uma das mais eficazes que já testamos para que as pessoas entendam a questão. É visual, é vívido, e quando as pessoas ouvem a mensagem, elas se tornam significativamente mais engajadas. Elas a entendem.

Há tantas outras palavras e conceitos que ficam com as pessoas. Em vez de “aquecimento”, tente “superaquecer”. Em vez de “clima”, fale de “clima extremo”. Quando se fala em “energia limpa”, pode-se dizer também “energia barata”, pois esta está se tornando rapidamente barata. A palavra “irreversível” realmente chama a atenção das pessoas, como certamente é a poluição. E se você tem absolutamente que falar sobre o aumento da temperatura e vive nos EUA, diabos, use Fahrenheit por uma questão de bondade. Isso duplica a severidade. “Nove graus durante a vida de seu filho” soa muito sério. “Um ponto cinco graus Celsius para cumprir o Acordo de Paris” é bastante ignorável.

Trata-se de ir além da linguagem política misteriosa para uma linguagem que todos nós adquirimos intuitivamente. Esse é o primeiro passo: compreensão. Mas o entendimento sem relevância não tem rumo.

❷ Portanto, a segunda chave é fazer com que o clima pareça importante para você, para sua vida, individual e pessoalmente. Ninguém tem uma epifania sobre propostas de políticas. Os despertares são pessoais. Eles têm relevância local. São sobre sua vida e suas preocupações. Como exemplo, apresentamos duas mensagens a alguns milhares de pessoas na Flórida. Um pediu a eles “que exijam que cheguemos a emissões zero para impedir a mudança climática”. Outro disse simplesmente: “Pare de inundar”. A última mensagem foi quatro vezes mais eficaz em chamar sua atenção. As inundações locais foram muito mais relevantes do que o aquecimento global. O que é necessário não são melhores descrições de políticas, mas conexões mais profundas e pessoais.

Aqui está outro exemplo. Trabalhamos com uma equipe de notáveis ​​mulheres cientistas do clima para ajudar a elevar sua voz como mensageiras. Eles dedicaram suas carreiras ao estudo do assunto, desenvolvendo modelos computacionais complexos para entender os processos árticos e subindo em aviões para medir o nitrogênio na fumaça do incêndio florestal. Eles poderiam dizer tudo o que você precisa saber sobre a ciência, mas o que perguntamos a eles foi por que a estudam. E eles nos contaram sobre suas filhas e seus filhos, sobre o desejo de manter o mundo seguro, saudável e vibrante para seus filhos. E quando compartilhamos essas histórias pessoais com outros pais, eles começaram a se preocupar muito mais profundamente com a mudança climática do que olhando para gráficos de temperaturas globais. As pessoas veem pais que dedicam suas vidas para criar um mundo melhor para seus filhos. Todos os pais podem se identificar com isso. Isso importa a mim.

As mensagens certas são aquelas que conectam as mudanças climáticas à identidade pessoal. Nossa vida - não vidas futuras, não o mundo - nossa comunidade, não necessariamente ambientalismo - nossos valores, e não apenas crianças - nosso filho.

❸ Finalmente, a terceira chave para o quebra-cabeça das comunicações climáticas é mostrar que a mudança climática é um problema para pessoas como eu: os humanos são animais sociais, e isso também se aplica à forma como formamos nossas crenças. Você pode apresentar exatamente a mesma mensagem para muitas pessoas, mas quando se trata de alguém com um sotaque ou experiência semelhante, vemos aumentos de dois dígitos na eficácia da mensagem. Aqui está um mensageiro inesperado que realmente acerta o ponto. Um cara que chamamos de homem da Flórida. Ele é um residente do norte da Flórida que teve um pequeno problema com a lei depois de levar um crocodilo a uma loja de conveniência quando ele estava em uma corrida de cerveja. 

Não é exatamente o mensageiro da mudança climática mais óbvio até o momento, quando apareceu em um anúncio na Internet descrevendo à sua própria maneira como está preocupado com seu estilo de vida, isso aumentou significativamente a preocupação com o clima entre os jovens conservacionistas na Flórida. A maioria das pessoas não se vê como “ambientalista” per se e vê a mudança climática como uma “questão ambientalista”. Mas as mensagens que fogem desses marcadores de identidade estreitos tornam o problema relacionável. Eles dão às pessoas um motivo para se preocupar. Portanto, a ideia central é que, em vez de explicar o problema às pessoas... 
...é essencial trazer as pessoas para dentro da questão, para que digam: “Entendi. É importante para mim. É importante para pessoas como eu.”
Então, e somente então, estaremos preparados para agir.

Se os alienígenas inteligentes da minha história também fossem inteligentes nas comunicações, eles diriam para nós: 
“Ei, terráqueos, prestem atenção, vocês estão construindo um enorme manto de poluição que está superaquecendo sua casa. E isso vai prejudicar as pessoas e as coisas que você ama. Você fez isso e pode consertar.”
Simplesmente temos que deixar nossos oito bilhões de habitantes companheiros de nossa casa saberem o que está acontecendo. Nós não temos escolha. E quando o fizermos, alcançaremos a vontade do público necessária para enfrentar essa luta colossal, mas vencível, pelo nosso futuro.

Obrigado.

Fonte: TED (Até a data dessa publicação não havia uma tradução oficial no site do TED, a tradução acima, feita pelo Brasil Acadêmico, pode ser usada por tradutores sem quaisquer restrições).
Visto no Brasil Acadêmico

COMMENTS

BLOGGER

$show=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil,1,Abelha,3,Acessibilidade,23,Acessórios,2,Acidente,51,Acústica,16,Adestramento,5,Administração,40,Aerodinâmica,4,Aeronáutica,9,África,6,Agência Bori,1,Agência Brasil,22,Agência FAPESP,3,Agência Fiocruz,4,Agência Porvir,1,Agência Senado,1,Agência USP,4,Agricultura,6,Agropecuária,4,AirBNB,1,Alcoolismo,7,Alemanha,6,Alemão,4,Alerta,1,Algoritmo,8,Alimento,1,Alzheimer,4,Amazon,3,Amazônia,4,América Latina,1,Análise Combinatória,1,Análise de Texto,2,Anatomia,7,Android,3,Animação,50,Animais de Estimação,6,Animal,2,Antropologia,14,Apicultura,8,App,9,Apple,5,Apresentação,4,aquário,1,Argentina,4,Armamento,1,Arqueologia,6,arquitetura,33,Arte,164,Astrobiologia,3,Astrofísica,3,Astronomia,27,Ativismo,30,Áudio,3,Audio FX,2,Áustria,1,Autismo,2,Auto-ajuda,10,Automobilismo,15,Automóvel,21,aventura,3,Aviação,5,Aviônica,8,Bahia,2,Balonismo,3,Banco Central,1,Banco de Dados,5,Beber e Dirigir,1,biblioteconomia,5,Bicicleta,1,Biografia,16,Biologia,165,Biologia Marinha,15,bioquímica,6,Biotecnologia,25,Bitcoin,2,Blog,29,Blogger,33,Boato,6,Bomba,1,Botânica,5,BRASA,1,BRASA Leads,1,Brasil,40,Brasília,16,BRIC,1,Browser,10,Bugs,3,CAD,3,Calor,2,Câmera lenta,1,Campanha,47,Canadá,1,cardiologia,16,Carnaval,2,carreira,2,Cartografia,3,Casemods,1,Caso Isabella Nardoni,1,Caso Snowden,1,Ceará,1,Celebridades,6,celular,24,Células-Tronco,5,Cérebro,2,Charge,22,China,21,Cibercultura,2,Ciclovia,1,Cidadania,39,Ciência,208,Cinema,67,Climatologia,1,Clip,1,Cliparts,1,Cloud computing,4,Coaching,12,Comédia,2,competência,2,Complemento de dois,1,Comportamento,261,Computação,83,Computação em grade,5,Computação forense,3,Computação Gráfica,139,Computação Móvel,1,Computação Quântica,1,Comunicação e Marketing,140,Concurso,2,Concurso Cultural de Natal,1,Concursos Público,2,Concursos Públicos,4,Conectômica,1,Conferência,1,Congresso em Foco,1,Conspiração,2,Consumidor,7,Consumismo,3,contabilidade,2,Contos,54,Copa do Mundo,27,Cordel,3,Coreia do Norte,1,Coreia do Sul,1,Corpo,2,Coruja,1,cosmética,3,Cosmologia,21,Covid-19,87,Crash Course,1,Criança,1,Criatividade,4,Crime,48,Crime Digital,7,crise,11,crise econômica,8,crônica,7,crônicas,5,Cronologia,1,CSS,3,Cuba,4,Culinária,8,Cultura,15,Curiosidades,113,custos fixo,1,custos variáveis,1,Dança,6,DAO,1,Darwin,10,Davos,1,Debate,2,Decoração,1,demência,1,Demografia,3,Denúncia,11,Dermatologia,7,Desastre Natural,13,Descoberta,2,Desenho instrucional,14,Desenvolvimento de jogos,11,Design,31,Design Instrucional,14,Destaque,6,Dia das Mães,1,Dia do professor,1,diabetes,6,Dicas,66,Didática,1,Dieta,3,diplomacia,3,Direito,179,Direito Eleitoral,1,Direito Internacional,29,Direito Militar,1,Direito Trabalhista,1,Direito Tributário,2,Direitos Autorais,2,Direitos Humanos,37,Disney,6,Distrito Federal,4,Documentário,61,Doutorado,1,download,3,Drogas,7,Drone,3,Dubai,1,e-Book,2,e-governo,2,EBC,1,Ecologia,84,Economia,113,Editoração Eletrônica,1,Educação,383,Educação a Distância,173,Educação Corporativa,6,educação física,19,Educação sexual,6,Efeitos Sonoros,4,Egiptologia,2,Eleições,26,Eleições 2014,12,Eleições 2018,5,Eleições 2020,2,Eletricidade,10,eletrônica,3,Em Operários,1,Embrapa,4,empreendedorismo,6,enciclopédia,1,endocrinologia,6,Enem,3,Energia,14,Energia Alternativa,17,Energia Nuclear,11,Enfermagem,1,Engenharia,66,Engenharia Agrícola,1,Engenharia Civil,6,Engenharia de materiais,17,Engenharia de Software,5,Engenharia Genética,31,Engenharia Mecânica,2,Enretenimento,1,Ensino a Distância,11,Ensino Superior,5,Entomologia,7,Entretenimento,45,Entrevista,90,Entrevista.,1,Epidemiologia,68,Epistemologia,1,Equador,1,Escândalo,5,Escritório,1,Espaço,67,Espanha,1,Espanhol,2,Espeleologia,1,Espetáculo,8,Espionagem,20,Esporte,42,Estação,1,Estágio,2,Estatísticas,38,estrutura de dados,1,Ética,26,EUA,17,Europa,2,Evento,43,Evolução,5,Exercícios físicos,2,Exobiologia,3,experiência,43,fábulas,3,Facebook,19,Família,1,Farmacologia,22,Favo,1,Feminismo,1,Férias,1,Ferramentas,9,FIFA,2,Filantropia,4,Filmes,16,Filosofia,47,Finep,2,Finlândia,1,Fintech,1,Firefox,1,Física,114,Física Quântica,4,Fisiologia,9,Fisioterapia,6,Flagrante,2,Flamengo,1,Folclore,3,Fome,1,Fomento,1,Fonética,1,Fonoaudiologia,7,Fotografia,45,Fotos em 360 graus,6,França,8,Francês,4,Frase,3,Fraude,5,Freeware,72,Futebol,39,Futurologia,88,gadget,87,gadgets,1,Gafe,2,Gamificação,5,Gastroenterologia,5,Gastronomia,2,Geek,1,Genética,42,Geofísica,1,Geografia,54,Geologia,10,Geometria,6,geopolítica,21,Gerenciamento do Tempo,1,Geriatria,10,Gestão de Competências,2,Gestão de Configuração,2,Gestão de Pessoas,8,Gestão de Projetos,21,Gestão do conhecimento,7,Ginecologia,3,Glass,1,Google,79,Governo,4,GPS,1,Gradiente,1,gramática,15,Gravidez,1,Grécia,1,Grécia Antiga,2,Guerra,37,Guerra Civil,2,Guinness,1,H2,2,Haiti,3,hardware,37,História,206,HIV,1,Hololens,2,homenagem,46,Horologia,1,HPV,1,HTML,6,Humor,211,Humor Negro,9,IBGE,2,IBM,4,ICIJ,2,Idioma,55,IESB,2,IHC,8,ilo,29,ilusão,35,ilusionismo,5,Imagem 3D,16,Imagens,7,Imagine Cup,1,Império Romano,7,Imprensa,34,Impressora 3D,21,Imunologia,5,Incêndio,2,Inclusão digital,8,Índia,4,Índios,1,Infectologia,33,Infográfico,56,Informática,38,Inglaterra,4,Inglês,26,Inovação,190,Inspiração,1,Inteligência Artificial,121,intercâmbio,1,Interface,197,Interfaces Hápticas,22,Internacional,23,Internacionalização da Amazônia,3,Internet,163,Internet das Coisas,2,Inundação,2,Invenção,20,Inventos,6,iPad,1,IPEA,1,iphone,3,Irã,3,Iraque,1,Israel,6,Itália,2,Japão,5,Java,2,Java.,2,jogos,10,Jogos educativos,15,Jogos Olímpicos,10,Jornalismo,71,José Saramago,1,Justiça,4,Ken Robinson,1,Kinect,10,Le Monde Diplomatique Brasil,9,Le Monde Diplomatique Brasil,1,Letras,2,Lexicografia,5,Liderança,4,Life Hacking,20,línguas estrangeiras,3,Linguística,11,Literatura,57,Livro,66,Lógica,26,Logística,4,Loterias,4,Lua,1,Maçonaria,4,Malásia,2,Malvinas,2,Malware,1,Mapa,87,Mário Sérgio Conti,1,Marte,2,Mastologia,1,Matemática,80,Matemática Financeira,1,maternidade,1,Mecânica,8,Mecânica dos Fluidos,2,Mecatrônica,46,Medicina,538,Medicina Esportiva,1,Medicina Veterinária,4,Meio Ambiente,112,Mel,1,melanoma,1,Memória,5,memorização,4,Mente,4,Mercado de Trabalho,75,mercosul,1,Mestrado,4,meteorologia,11,Metodologia Científica,50,México,1,Microbiologia,4,Microsoft,16,Mídia Social,57,Militar,15,Mineralogia,1,Mistério,3,MIT,14,Mitologia,2,Mobilidade,1,Mobilidade Urbana,9,Moda,1,MonaVie,1,Montanhismo,1,Moodle,7,Mossad,1,Motivação,1,Movimento Maker,2,MSF,1,Mudança Climática,24,Mulher,4,Multimídia,14,museu,15,Música,88,MVC,1,Nanotecnologia,36,Nasa,16,Natação,2,Natal,17,Natureza,2,Negócios,29,Netflix,1,Neurociência,89,Neurologia,80,Nicolelis,1,Nordeste,2,Noruega,2,notícias,8,Novidades,18,Novo Enem,2,Números,2,Nutrição,67,Obama,1,Obesidade,10,Observatório da Imprensa,27,Obstetrícia,4,Oceanografia,7,odontologia,9,Offshore Leaks,2,oftalmologia,11,Olimpíadas,9,oncologia,49,ONU,9,Opinião,101,Óptica,17,Oracle,1,Oriente Médio,5,Orkut,2,Ornitologia,1,ortografia,3,Ortopedia,4,Ótica,8,Otorrinolaringologia,2,Oxfam,3,Pacifismo,1,Paginadores,1,paleontologia,3,Paquistão,1,Pará,2,Paraguai,2,parkinson,2,Passeio virtual,1,Patinação,1,Pedagogia,3,Pediatria,6,Pensamentos,3,performance,2,Periférico,1,Pesca,2,Pesquisa,236,Petição,1,Petrobrás,9,Petróleo,12,Photoshop,5,Pirataria,7,planilha de custo,1,Playstation 3,2,Plebiscito,3,Pneumologia,1,Podcast,4,Poesia,29,Política,310,Portugal,7,português,19,Pós-graduação,2,Pré-sal,5,Prêmio Nobel,7,primatologia,1,Primeira Guerra Mundial,1,privacidade,22,produtividade,5,professor Hamilton Alves,2,Programa Gratuito,4,Programação,55,Projeção Mapeada,1,Projeto Truco,2,Promoção,1,Propaganda,5,Psicanálise,1,Psicologia,277,Psicologia Animal,25,Psiquiatria,15,Pública,13,publicidade,19,Publieditorial,5,PUC Minas,1,Quadrinhos,10,Quads,5,Qualidade,3,Qualidade de Vida,11,química,33,REA,2,realidade aumentada,45,realidade diminuída,2,Realidade Misturada,3,Realidade Virtual,44,Reconhecimento de imagem,12,Reconhecimento de voz,3,Recorde,1,Recoverit,1,Recuperar vídeos,1,Redação,1,redes,12,Referência,5,Referendo,1,Reforma Política,3,Reino Unido,2,Relacionamento,2,Relações Internacionais,40,Religião,41,Responsabilidade Social,4,Retrospectiva,1,Review,12,Rio 2016,6,Rio de Janeiro,2,Rio Grande do Norte,1,Rio Grande do Sul,1,robótica,107,Roda Viva,49,Roma,6,roteiro,1,RSA,1,RTP,1,Rússia,2,Samsung,1,Sanitarismo,5,Santa Catarina,1,São Paulo,4,Saúde,586,Savant,1,Segunda Guerra Mundial,23,Segurança,122,Segurança da Informação,63,Seleção Natural,2,Séries,2,serviço,1,Serviço Online,1,Sexologia,2,sexualidade,5,Show,7,SIGGRAPH,1,Simulação,34,Singularity University,1,Síria,3,Sismologia,2,Sistema operacional,4,Sistemas de Numeração,1,Sites de Busca,18,Sociedade,5,Sociologia,54,Software,34,Software Livre,25,Sol,2,Sono,4,Sony,3,SOPA,2,Star Wars,1,Startup,2,Suécia,3,Sugestão de presentes,64,Sun,1,supercomputadores,2,Sustentabilidade,5,Tabagismo,6,Taiwan,1,Talento precoce,1,Taxas Equivalentes,1,Taxidermia,1,Teatro,26,Técnicas de Estudo,2,Tecnologia,580,Tecnologia da Informação,28,TED,434,TED-Ed,47,TedMed,2,TEDx,4,TEDx Rio+20,1,TEDxAmazônia,1,TEDxAsaSul,1,Telefonia,61,Televisão,43,Temas,1,Tempo,1,Tendências,10,Teologia,5,teoria das supercordas,1,Teoria dos Jogos,1,Terremoto,7,Terrorismo,15,Tesla,1,Testes,17,Tipologia,8,Tomada de Decisão,1,tradução,5,Trânsito,12,transporte,57,Tributo,3,Trigonometria,1,Tubarão,2,Tunísia,1,Turismo,25,Tutorial,22,Twitter,8,Uber,5,UFC,1,UFG,1,UFMG,1,ufologia,5,UFRJ,3,UFSC,1,Unicamp,4,UNIFESP,1,universidade,6,Universidade Corporativa,1,Universidade da Califórnica,1,Universidade da Geórgia,1,Universidade da Pensilvânia,1,Universidade de Brasília,1,Universidade de Cambridge,2,Universidade de Chicago,1,Universidade de Columbia,1,Universidade de Michigan,1,Universidade de Princeton,1,Universidade de Rochester,1,Universidade de Washington,3,University College London,1,Urbanismo,26,Urologia,1,User Experience,1,USP,10,Utilidade Pública,3,Utilitário,3,Vale,1,Vaticano,1,Veículo Autônomo,8,Ventriloquismo,3,Verão,1,vestibular,3,Vestimenta,1,Vida Digital,7,Vida Moderna,18,Vida Selvagem,10,Videogame,118,Vídeos,976,Vídeos 360,1,Violência,5,Vírus,18,Visão Computacional,10,Vôlei,1,Vulcanologia,6,Watergate Política,1,WCIT 2016,2,WCIT 2017,1,Web,1,Web 2.0,29,Web Application,153,Web Semântica,2,Web Seminar,1,webdesign,11,Webinar,2,widget,2,WikiLeaks,37,Wikipedia,4,Windows,5,Xadrez,2,YouTube,6,Zika,1,Zoologia,58,
ltr
item
Brasil Acadêmico: Como falar de mudança climática de forma que as pessoas se importem
Como falar de mudança climática de forma que as pessoas se importem
https://1.bp.blogspot.com/-xLwFmLUwe0Q/YIagCX3LS-I/AAAAAAABGzg/EnXEq56KXjM9h9b8-0yAVLIq4SVgUvebgCLcBGAsYHQ/s16000/marshall00.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-xLwFmLUwe0Q/YIagCX3LS-I/AAAAAAABGzg/EnXEq56KXjM9h9b8-0yAVLIq4SVgUvebgCLcBGAsYHQ/s72-c/marshall00.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2021/04/como-falar-de-mudanca-climatica-de.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2021/04/como-falar-de-mudanca-climatica-de.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Todos os posts carregados Nenhumpost encontrado VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Home Páginas POSTS Ver Todos Recomendado para você CATEGORIA ARQUIVO SEARCH TODOS POSTS Não encontrado nehum post de acordo com o seu critério Voltar para Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April Mai June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agorinha 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais que 5 semanas atrás Seguidores Seguir THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy Table of Content