$hide=/p/valores.html

A História do Brasil em 15 minutos

Documentário com animação e locução contando a história do Brasil, resumido em 15 minutos.

Documentário com animação e locução contando a história do Brasil, resumido em 15 minutos.



Império (1822-1889)

Dez milhões de habitantes! Você sabia que era esse o número de habitantes no Brasil em 1872?

Clique     Retroceder    Avançar   Espaço /    /   F


E que nessa época a cidade mais populosa do Brasil era o Rio de Janeiro? Pois bem, além das sociedades indígenas, essa população era composta basicamente por três níveis sociais: Os escravos, os homens livres e a aristocracia.

Dois foram os imperadores que o Brasil teve durante o período monárquico: Dom Pedro I e Dom Pedro II. Pai e filho.

O pai inaugurou o primeiro reinado logo após a independência do Brasil em relação a Portugal, mas uma série de problemas o levou a renunciar em nome de seu filho. O menino tinha apenas 5 anos de idade, então o país foi governado por uma série de regências até Dom Pedro II assumir o trono em 1840.

A economia da época era basicamente agrícola, voltada para a exportação. No início do século XIX o produto da vez era o açúcar, mas a partir de 1840 o café veio com tudo e dominou a produção. Quem fazia todo tipo de trabalho eram os escravos claro! Neste período surgiram as primeiras ferrovias brasileiras responsáveis pelo transporte da produção até o Porto de Santos.

Em 1888, já no apagar das luzes da monarquia, depois de muita pressão política e vários movimentos de intelectuais, muitos dos escravos já estavam livres. A abolição decretada pela Princesa Isabel apenas encerrou esse processo.

A partir daí o Brasil passou a intensificar a vinda de mão de obra imigrante.

Grandes nomes das artes brasileiras sugiram neste período. Quem não conhece:

"Minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá. As aves que aqui gorjeiam não gorjeiam como lá"?

Poema escrito em 1843 por Gonçalves Dias. Artistas como Pedro Américo e Victor Meireles pintaram quadros que são referência até os dias de hoje: "O grito do Ipiranga" e "A primeira Missa do Brasil". Na música, por exemplo, temos Carlos Gomes, compositor da ópera "O Guarani". Entre os vários pioneiros da época, o destaque fica por conta de Chiquinha Gonzaga, grande pianista de choro e a primeira mulher a reger uma orquestra.

E não podemos esquecer da criação do Museu Nacional, no Rio de Janeiro. E assim a vida ia acelerando, graças às inovações tecnológicas como a fotografia e o telefone, trazidos por Dom Pedro II, e a lâmpada elétrica. O período monárquico termina com o início da industrialização que chegou junto com a república.

Primeira República (1890-1930)

É quase óbvio: o período da nossa história conhecido como Primeira República começa oficialmente com a Proclamação da República em 1889. Quatro anos depois surgiu a primeira Constituição Republicana do Brasil. Os pontos principais: sistema presidencialista de governo, separação entre Estado e Igreja e o direito de voto para homens maiores de 21 anos.

Neste período, o café era a grande estrela econômica do Brasil, um país predominantemente agrícola. A indústria também começava a crescer: Primeiro no Rio de Janeiro, depois em são Paulo. A super produção do café trouxe momentos de crise pela baixa dos preços, mas a oligarquia agrícola, sempre presente no governo federal, acabou dando um jeito nisso. E quem é que trabalhava nas fazendas e indústrias do Brasil? Brasileiros, claro!

Mas também os cerca de 3 milhões e 800 mil imigrantes que entraram no país entre 1887 e 1930. Esse número é bastante expressivo para um país que em 1900 possuía 17 milhões de habitantes. Quanto aos ex escravos, estes enfrentaram desemprego, desigualdade social e preconceito racial.

Enquanto as cidades se urbanizavam e as fazendas cresciam, a população não tinha leis trabalhista a seu favor. A Greve Geral de 1917 foi um dos resultados disso. Mas essa não foi a única mobilização operária do período, marcado pela organização de sindicatos e partidos políticos, de inspiração anarquista e socialista.

Grandes momentos culturais na Primeira República: em 1896, no Rio de Janeiro, tivemos a primeira exibição de cinema no Brasil. A literatura nos deu grandes nomes como Machado de Assis e Euclides da Cunha, e na música, a genialidade de Pixinguinha e Donga, autor de "Pelo telefone", primeiro samba gravado.

A Semana de Arte Moderna em 1922 chacoalhou São Paulo e destacou nomes que a gente conhece muito bem: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Anita Malfatti e Tarsila do Amaral.

E como símbolo do progresso nacional tivemos o surgimento e a criação de museus em algumas capitais. No cenário político, o Brasil vivia a chamada política do "café com leite": os partidos republicanos paulista e mineiro se revezando na presidência do país. Este acordo durou até são Paulo romper o combinado e lançar a candidatura de Júlio Prestes em 1930, ano da vez dos mineiros ocuparem o poder. As classes dominantes de Minas e Rio Grande do Sul formaram a Aliança Liberal e lançaram o gaúcho Getúlio Vargas como candidato.

Era Vargas (1930-1945)

Júlio Prestes venceu as eleições, mas a Revolução de 1930 colocou Vargas no poder e pôs fim a Primeira República. A figura principal da Era Vargas foi o homem que deu nome a ela, Getúlio Vargas. Ele foi presidente da República por 15 anos ininterruptos, período iniciado com a revolução de 1930. Até 1934 ele foi chefe do governo provisório, depois foi eleito indiretamente para permanecer na presidência até 1938. Mas antes que as novas eleições acontecessem... é, no final de 1937, o governo inventou, isso mesmo, INVENTOU e divulgou a descoberta de um plano batizado de "Plano COHEN", uma ameaça que iria incendiar as igrejas, invadir casas e implantar o comunismo no Brasil.

Foi o suficiente para que o Congresso Nacional declarasse estado de guerra. Em 10 de novembro de 1937, Vargas e os militares aplicaram o golpe político que iniciou a ditadura conhecida por Estado Novo.

Durante os quinze anos da era Vargas houve um grande investimento na industrialização do país, promovido pelo próprio Estado Brasileiro. A produção interna começou a substituir as impostações, e a indústria de base alcançou grande crescimento. Em 1939 foi descoberta na Bahia a primeira jazida de petróleo do Brasil; foram anos de nacionalismo, com o Estado controlando a produção nacional de petróleo e com a criação de organismos que permitiram ampliar a variedade de produtos agrícolas para exportação. Em contrapartida a todo esse desenvolvimento, a população, tanto brasileira quanto mundial, passava por uma condição de empobrecimento e desemprego. No nosso país, as reações a essa situação iniciadas na primeira república, continuaram através de várias manifestações populares.

Getúlio Vargas praticava uma política populista que o levou a ser chamado de "Pai dos pobres". Mas a despeito disso, seu governo repreendeu, perseguiu, prendeu, torturou e exilou intelectuais e políticos contrários aos seu preceitos. Então, em 1942, o Brasil entrou na Segunda Guerra Mundial e o poder de Getúlio começou a enfraquecer. A Era Vargas foi também a era do rádio.

Fundada em 1936, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro foi um marco na história do país, lançando as Rádios Novelas e inovando o jornalismo com o Repórter Esso. Ser um artista da Rádio Nacional era como ser astro de Hollywood hoje em dia: Aracy de Almeida, Ataulfo Alves, Lamartine Babo, Orlando Silva, Francisco Alves, as marchinhas de carnaval de João de Barro, tudo isso aconteceu na Era Vargas, que também teve cinema, com a produção de mais de 30 filmes em apenas 1 ano. Teve Rachel de Queiroz, Carlos Drummond de Andrade na literatura.

Teve Di Cavalcanti e o Núcleo Bernardelli nas artes plásticas, teve Carmen Miranda que divulgou nossa música no Estados Unidos e se tornou a nossa inesquecível pequena notável. E dentro da chamada política pedagógica do "Estado Novo" teve a criação dos museus nacionais. Em 29 de outubro de 1945, pressionado pelos militares, Getúlio Vargas renunciou.

O período de tempo que chamamos de Brasil Contemporâneo já tem mais de 60 anos. É muita história! Então, é melhor ir por partes. Antes disso, é importante dizer que houve um movimento que perpassou todo esse período: a intensa migração populacional entre as regiões brasileiras. E agora, que tal dividir o período em três blocos?

Quarta República (1946-1964)

Vamos ver primeiro o que aconteceu entre 1945 e 1964. Durante esses quase 20 anos, tivemos o otimismo dos anos JK, com a construção de Brasília, o desenvolvimento da indústria nacional, a instalação de grandes empresas multinacionais. Houve também a migração do campo para as cidades. Por outro lado, no cenário internacional, a Guerra Fria opunha Estados Unidos e União Soviética, conflito que influenciou ideologicamente as práticas políticas dos anos seguintes. No Brasil, essa situação entrelaçada a outros fatores, culminou com o Golpe Militar em 1 de abril de 1964. Nesses 20 anos, a vida cultural brasileira se agitava com Oscarito, Grande Otelo, Dercy Gonçalves, Mazzaropi, Cinema Novo, diversas companhias de teatro em todo o país, TV Tupi, Bossa Nova, Jorge Amado, Carolina de Jesus, Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Sérgio Buarque de Holanda. Na educação tivemos e experiência da Escola Nova, com Anísio Teixeira, e o Plano Nacional de Alfabetização de Paulo Freire.

Ah, e é claro, que o povo brasileiro vibrava muito com os gols de Pelé e Garrincha e as nossas primeiras copas do mundo em 1958 e 1962.

Ditadura militar (1964–1985)

O Regime Militar deu continuidade e ampliou o modelo econômico de JK. Foi a época dos projetos ufanistas, como a Transamazônica e a Usina de Itaipu, e os grandes planos de integração nas áreas da saúde, educação, infraestrutura e telecomunicações. Crescemos economicamente, mas a custas de indicadores sociais muito baixos, uma dívida externa de 91 bilhões de dólares e uma inflação de 223% em 1984.

A vida urbana cresceu rapidamente e o meio rural viu surgirem os boias-frias. A ditadura militar durou 21 anos, que tiveram como resultado milhares de cidadãos presos e cerca de 500 mortos e desaparecidos em decorrência das ações de órgãos de repressão. Como resposta a essa situação, os mais diversos setores da sociedade civil se reorganizaram para reivindicar a volta da democracia: o movimento de mulheres, a defesa dos direitos indígenas, o movimento negro, o movimento estudantil
são exemplos de alguns dos setores sociais articulados à campanha das "Diretas já!"

Mas ao mesmo tempo, se assistiu ao surgimento de novos partidos políticos e a reorganização dos sindicatos. Entre os artistas, muita resistência à censura dos anos de chumbo e outras manifestações artísticas. Tivemos os Festivais de MPB da Record, Jovem Guarda, Tropicalismo, Chico Buarque e Plínio Marcos, João Cabral de Mello Neto. Não podemos esquecer do Chacrinha, Nelson Rodrigues, a Pornochanchada, Os Trapalhões, Dancing Days, Elis Regina, os Novos Baianos, Secos e Molhados, o Pasquim, Clarice Lispector, o Pixote, Show da Xuxa, o Punk Rock nacional.

E no esporte, o tricampeonato do México em 1970, e ainda ganhamos o nosso primeiro campeão mundial de Fórmula 1.

Nova República (1985-atual)

A Ditadura Militar acabou, porém o processo de redemocratização foi longo. Somente em 1988 tivemos a constituinte, e em 1989, a primeira eleição direta para presidente da república. E é importante destacar no mesmo período a consolidação da legislação ambiental. Os problemas da dívida externa e da inflação permaneceram.

Somente em 1994 houve êxito na estabilização da economia com a implantação do Plano Real. Essa política econômica teve como continuidade a privatização de empresas estatais, a desvalorização da moeda brasileira e o aprofundamento do desemprego. Em 2002, foi eleito o primeiro presidente de origem operária.

Nesse período, o Brasil foi crescendo. Passamos de quase 52 milhões de habitantes, em 1950, para cerca de 188 milhões em 2006. O país sediou eventos de repercussão internacional como a Eco 92, os Jogos Pan-americanos. Acompanhamos as vitórias de Ayrton Senna e Guga, o tetra em 94, o penta em 2002. Nas telecomunicações, exportamos novelas para diversas regiões do mundo. A nossa produção cultural ganhou força na área cinematográfica, com filmes como "Carlota Joaquina" e "Central do Brasil". A música Sertaneja e o Axé Music movimentam milhões de reais na indústria fonográfica. A juventude vê surgir o Rap e o Funk, e cada vez mais a tecnologia ganha espaço: internet, celular, redes sociais... a realidade cada vez mais virtual. Mas é claro que o século XXI não é só isso: tem muito mais em arte e cultura.

Houve um fortalecimento à preservação do patrimônio nacional, e a ampliação da legislação de incentivo à cultura.

Fonte: YouTube
[Visto no Brasil Acadêmico]

Comentários

BLOGGER

$hide=/p/valores.html

[/fa fa-cloud/ Nuvem de categorias]$hide=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil A divulgar Abelha Acessibilidade acessório Acidente Acidentes Acústica Adágios Adestramento Administração adulto Aerodinâmica Aeronáutica África Agência Brasil Agência Fiocruz Agência Porvir Agência Senado Agência USP Agricultura Agropecuária AIDS Alcoolismo Alemanha Alerta Algoritmo Alimento Alzheimer Amazon Amazônia América Latina Análise Combinatória Anatomia Android Animação Animais de Estimação Animal Antropologia Apicultura App Apple Apresentação aquário Argentina Arqueologia arquitetura Arte Astrobiologia Astrofísica Astronomia Ativismo Áudio Audio FX Áustria Autismo Auto-ajuda Automobilismo Automóvel aventura Aviação Aviônica Bahia Balonismo Banco de Dados Beber e Dirigir biblioteconomia Bicicleta Biografia Biologia Biologia Marinha bioquímica Biotecnologia Bitcoin Blog Blogger Boato Bomba borderô de desconto Botânica BRASA BRASA Leads Brasil Brasília BRIC Browser Bugs CAD Calor Câmera lenta Campanha cardiologia Carnaval carreira Cartografia Casemods Caso Isabella Nardoni Caso Snowden Ceará Celebridades celular Células-Tronco Cérebro Charge China Cibercultura Ciclovia Cidadania Ciência Cinema Clip Cliparts Cloud computing Coaching Comédia competência Complemento de dois Comportamento Computação Computação em grade Computação forense Computação Gráfica Computação Móvel Comunicação e Marketing Concurso Concurso Cultural de Natal Concursos Público Concursos Públicos Conectômica Conferência Congresso em Foco Conspiração Consumidor Consumismo contabilidade Contos Copa do Mundo Cordel Coreia do Norte Coreia do Sul Corpo Coruja cosmética Cosmologia Crash Course Criança Criatividade Crime Crime Digital crise crise econômica crônica crônicas Cronologia CSS Cuba Culinária Cultura Curiosidades custos fixo custos variáveis Dança DAO Darwin Davos Debate Decoração demência Demografia Denúncia Dermatologia Desastre Natural Descoberta desconto duplicatas Desenho instrucional Desenvolvimento de jogos Design Design Instrucional Destaque Dia das Mães Dia do professor diabetes Dicas Didática Dieta diplomacia Direito Direito Eleitoral Direito Internacional Direito Tributário Direitos Humanos Disney Distrito Federal Documentário Doutorado download Drogas Drone Dubai e-Book e-governo EBC Ecologia Economia Editoração Eletrônica Educação Educação a Distância Educação Corporativa educação física Educação sexual Efeitos Sonoros Egiptologia Eleições Eleições 2014 Eleições 2018 Eletricidade eletrônica Embrapa empreendedorismo enciclopédia endocrinologia Enem Energia Energia Alternativa Energia Nuclear Engenharia Engenharia Agrícola Engenharia Civil Engenharia de materiais Engenharia de Software Engenharia Genética Engenharia Mecânica Enretenimento Ensino a Distância Ensino Superior Entomologia Entretenimento Entrevista Entrevista. Epidemiologia Epistemologia Equador Escândalo Escritório Espaço Espanha Espanhol Espeleologia Espetáculo Espionagem Esporte Estação Estágio Estatísticas estrutura de dados Ética EUA Europa Evento Evolução Exercícios físicos Exobiologia experiência fábulas Facebook Farmacologia Favo Feminismo Férias Ferramentas FIFA Filantropia Filmes Filosofia Finlândia Firefox Física Física Quântica Fisiologia Fisioterapia Flagrante Flamengo Folclore Fome Fonética Fonoaudiologia Fotografia Fotos em 360 graus França Francês frases Fraude Freeware Futebol Futurologia gadget Gafe Gastroenterologia Gastronomia Geek Genética Geofísica Geografia Geologia Geometria geopolítica Gerenciamento do Tempo Geriatria Gestão de Competências Gestão de Configuração Gestão de Pessoas Gestão de Projetos Gestão do conhecimento Ginecologia Glass Google Governo GPS Gradiente gramática Gravidez Grécia Grécia Antiga Guerra Guerra Civil Guinness H2 Haiti hardware História HIV Hololens homenagem Horologia HPV HTML Humor Humor Negro IBGE IBM ICIJ Idioma IHC ilo ilusão ilusionismo Imagem 3D Imagens Imagine Cup Império Romano Imprensa Impressora 3D Imunologia Incêndio Inclusão digital Índia Índios Infectologia Infográfico Informática Inglaterra Inglês Inovação Inspiração Inteligência Artificial intercâmbio Interface Interfaces Hápticas Internacional Internacionalização da Amazônia Internet Internet das Coisas Inundação Invenção Inventos iPad IPEA iphone Irã Iraque Israel Japão Java Java. jogos Jogos educativos Jogos Olímpicos Jornalismo Justiça Kinect Le Monde Diplomatique Brasil Le Monde Diplomatique Brasil Letras Lexicografia Liderança Life Hacking Linguística Literatura Livro Lógica Logística Loterias Lua Maçonaria Malásia Malvinas Malware Mapa Mário Sérgio Conti Marte Mastologia Matemática Matemática Financeira maternidade Mecânica Mecânica dos Fluidos Mecatrônica Medicina Medicina Esportiva Medicina Veterinária Meio Ambiente Mel melanoma Memória memorização Mente Mercado de Trabalho mercosul Mestrado meteorologia Metodologia Científica México Microbiologia Microsoft Mídia Social Militar Mineralogia Mistério MIT Mitologia Mobilidade Mobilidade Urbana MonaVie Montanhismo Moodle Mossad Motivação Movimento Maker MSF Mudança Climática Mulher Multimídia museu Música MVC Nanotecnologia Nasa Natação Natal Natureza Negócios Netflix Neurociência Neurologia Nicolelis Nordeste Noruega notícias Novidades Novo Enem Números Nutrição Obama Obesidade Observatório da Imprensa Obstetrícia Oceanografia odontologia Offshore Leaks oftalmologia Olimpíadas oncologia ONU Opinião Óptica Oracle Oriente Médio Orkut Ornitologia ortografia Ortopedia Ótica Otorrinolaringologia Oxfam Pacifismo Paginadores paleontologia Paquistão Pará Paraguai parkinson Passeio virtual Patinação Pedagogia Pediatria Pensamentos performance Periférico Pesca Pesquisa Petição Petrobrás Petróleo Photoshop Pirataria planilha de custo Playstation 3 Plebiscito Pneumologia Podcast Poesia Poítica Politica Política Portugal português Pós-graduação prazo médio Pré-sal Prêmio Nobel primatologia Primeira Guerra Mundial privacidade produtividade professor Hamilton Alves Programa Gratuito Programação Projeção Mapeada Projeto Truco Promoção Propaganda Psicanálise Psicologia Psicologia Animal Psiquiatria Pública publicidade Publieditorial Quadrinhos Quads Qualidade Qualidade de Vida química realidade aumentada realidade diminuída Realidade Misturada Realidade Virtual Reconhecimento de imagem Reconhecimento de voz Recorde Redação redes Referência Referendo Reforma Política Reino Unido Relacionamento Relações Internacionais Religião Responsabilidade Social Retrospectiva Review Rio 2016 Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul robótica Roda Viva Roma roteiro RSA Rússia Samsung Sanitarismo Santa Catarina São Paulo Saúde Savant Segunda Guerra Mundial Segurança Segurança da Informação Seleção Natural Séries serviço Serviço Online Sexologia sexualidade Show SIGGRAPH Simulação Singularity University Síria Sismologia Sistema operacional Sistemas de Numeração Sites de Busca Sociedade Sociologia Software Software Livre Sol Sono Sony SOPA Star Wars Suécia Sugestão de presentes Sun supercomputadores Sustentabilidade Tabagismo Taiwan Talento precoce taxa de juros efetiva taxa de juros nominal Taxas Equivalentes Taxidermia Teatro Técnicas de Estudo Tecnologia Tecnologia da Informação TED TED-Ed TedMed TEDx TEDx Rio+20 TEDxAmazônia TEDxAsaSul Telefonia Televisão Temas Tempo Tendências Teologia teoria das supercordas Terremoto Terrorismo Testes Tipologia Tomada de Decisão tradução Trânsito transporte tributo Trigonometria Tubarão Tunísia Turismo Tutorial Twitter Uber UFC UFG ufologia UFRJ Unicamp UNIFESP universidade Universidade Corporativa Universidade de Cambridge Universidade de Michigan Urbanismo Urologia USP Utilidade Pública Utilitário Vale Vaticano Veículo Autônomo Ventriloquismo Verão vestibular Vestimenta Vida Digital Vida Moderna Vida Selvagem Videogame Vídeos Vídeos 360 Violência Vírus Visão Computacional Vôlei Vulcanologia Watergate Política WCIT 2016 WCIT 2017 Web 2.0 Web Application Web Semântica Web Seminar webdesign Webinar widget WikiLeaks Wikipedia Windows Xadrez YouTube Zika Zoologia
false
ltr
item
Brasil Acadêmico: A História do Brasil em 15 minutos
A História do Brasil em 15 minutos
http://4.bp.blogspot.com/-tiwDj9W1I-w/Vgm5616N3iI/AAAAAAAAgsw/knf1Yeuyx7k/s400/historia.jpg
http://4.bp.blogspot.com/-tiwDj9W1I-w/Vgm5616N3iI/AAAAAAAAgsw/knf1Yeuyx7k/s72-c/historia.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2015/09/a-historia-do-brasil-em-15-minutos.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2015/09/a-historia-do-brasil-em-15-minutos.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Nenhuma artigo encontrado. VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTS Ver Todos Indicado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS ARTIGOS Nenhum artigo corresponde ao critério procurado Ir para Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir Este conteúdo é PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para o clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy