Por que ser médico se transformou em uma das profissões mais miseráveis?

Comentar

Para discutir esse artigo recomenda-se antes uma olhada no documentário Sicko, SOS Saúde e no post Dois médicos norte-americanos avaliam o ...

Para discutir esse artigo recomenda-se antes uma olhada no documentário Sicko, SOS Saúde e no post Dois médicos norte-americanos avaliam o sistema de saúde de Cuba.


Assim, conhecendo os modelos, poderemos ter melhor poder de discernimento na hora de opinar sobre qual deve ser o modelo brasileiro. Carreira de Estado para os médicos do serviço público? Mais vagas nos cursos? Mais residências médicas? Mais medicina preventiva? Mais verbas? Mais gerentes de projetos?

O texto a seguir foi traduzido do original em inglês publicado no The Daily Beast (How Being a Doctor Became the Most Miserable Profession), as opiniões não refletem necessariamente a opinião editorial do blog. Mas foi colocado em pauta por ser um ponto de vista considerado relevante. O artigo trata da realidade nos Estados Unidos:

Nove entre 10 médicos desencorajam outras pessoas a ingressarem na profissão, e 300 médicos cometem suicídio a cada ano.

Quando foi que ser médico se tornou tão ruim? Até o final deste ano, estima-se que 300 médicos vão cometer suicídio. Embora a depressão entre os médicos não é nova, a poucos anos atrás, ele foi considerada a segunda ocupação com mais suicidas - o nível de pura infelicidade entre médicos está em ascensão.

Simplificando, ser médico tornou-se um miserável e humilhante empreendimento. De fato, muitos médicos acham que a América declarou guerra contra os médicos e ambos, os médicos e os pacientes, são os perdedores.


Não surpreendentemente, muitos médicos querem sair. Os estudantes de medicina optam por especialidades com altos salários para que eles possam se aposentar o mais rápido possível. MBA Médico, programas que prometem os médicos um caminho para atuar em gestão estão florescendo. O site conhecido como o Drop-Out-Club - que conecta os médicos com fundos de investimento e empresas de capital de risco, tem um sólido número de seguidores. Na verdade, os médicos estão tão descontentes que 9 em cada 10 médicos desencorajaria qualquer um de entrar na profissão.

É difícil para qualquer um fora da profissão para entender o quanto o trabalho tornou-se apodrecido, e o quanto isso é um má notícia para o sistema de saúde americano.

Talvez por isso o autor Malcolm Gladwell recentemente deu a entender que para corrigir a crise na saúde, o público precisaria entender o que é ser um médico. Imagine, que para que as coisas melhorem para os pacientes, eles precisam ter empatia para com os médicos - o que decididamente é uma tarefa difícil em nossos tempos não-empáticos e nocivos.

Afinal de contas, o público vê os oftalmologistas e radiologistas procrastinando feito bandidos e se pergunta porque deveria sentir algo além de desprezo por esses médicos, especialmente quando os americanos não têm obtido um aumento em décadas. Mas ser um médico de atenção básica não é como ser, digamos, um cirurgião-plástico. Profissional que garante tanto respeito e quanto uma boa aposentadoria. Tendo em conta que os médicos de cuidados primários fazer o trabalho que ninguém mais está disposto a fazer, sendo que um médico de atenção básica é mais como ser um cuidador, mas sem o status social ou a proteção sindical.

Infelizmente, as coisas estão ficando cada vez pior para a maioria dos médicos, especialmente aqueles que ainda aceitam plano de saúde. Apenas o processamento dos formulários do plano custa US$ 58 para cada encontro com o paciente, de acordo com Dr. Stephen Schimpff, um internista e ex-CEO da Universidade de Maryland Medical Center, que está escrevendo um livro sobre a crise na atenção primária. Para fazer face às despesas, os médicos tiveram de aumentar o número de pacientes que assistem. O resultado final é que uma consulta médica face-a-face dura em média cerca de 12 minutos.


Nem os pacientes nem os médicos estão felizes com isso. O que preocupa muitos médicos, no entanto, é que o Affordable Care Act, codificou este sistema quebrado em lei. Enquanto forçando todos a comprar seguro de saúde, ACA poderia ter encomendado um procedimento uniforme simplificado ou alegações de que teria ido um longo caminho para melhorar o acesso aos cuidados. Como Malcolm Gladwell observou, "Você não treinar alguém para todos aqueles anos em [a medicina] ... e então eles têm que executar uma operação de processamento de pedidos de companhias de seguros."

Para fazer face às despesas, os médicos tiveram de aumentar o número de pacientes que vêem. O resultado final é que a visita média face-a-face clínica dura cerca de 12 minutos.

Nem os pacientes nem os médicos estão felizes com isso. O que preocupa muitos médicos, no entanto, é que o Affordable Care Act (ACA), transformou este sistema falido em lei. Enquanto força a todos a comprar um seguro de saúde, o ACA poderia ter encomendado um procedimento uniforme simplificado que leva a um longo caminho para melhorar o acesso aos cuidados com a saúde. Como Malcolm Gladwell observou:

Você não treina alguém todos aqueles anos em [a medicina]... para que ele tenha que executar uma operação de processamento de pedidos de companhias de seguros.

Na verdade, as dificuldades de lidar com os planos de saúde levou os médicos a fecharem seus consultórios para ir trabalhar para os planos de saúde. Para os pacientes, consultarem-se com um médico empregado não significou maior tempo de consulta, pois estes profissionais possuem agenda completa. "Uma agenda de aproximadamente 2000 a 2500 pacientes é demais", diz o Dr. Schimpf. Esse é o número de pacientes que médicos da atenção básica são obrigados a manejar. Isso significa ver 24 ou mais pacientes por dia, e frequentemente, eles tem 10 ou mais problemas de saúde. Qualquer médico sabe que isso dá pra ser feito, porém é certamente longe do ideal.

A maioria dos pacientes experimentaram uma consulta apressada e é aí que a quebra de um bom tratamento médico começa. "Médicos que estão com pressa não tem tempo para ouvir", diz Dr. Schimpff. "Muitas vezes, os pacientes serão encaminhados a especialistas quando o problema poderia ser resolvido naquela visita ao consultório." É verdade que as referências especializadas estão em ascensão, mas a falta de tempo também faz com que os médicos trabalhem com diretrizes em vez de dar uma atenção individualizada. Infelizmente, Infelizmente, seguir diretrizes sem pensar pode resultar em maus resultados.

No entanto, médicos devem seguir, sempre tentando melhorar a sua "produtividade" e índices de satisfação dos pacientes - ou o risco de perder seus empregos. Os líderes do setor são fixados na satisfação do paciente, apesar do fato de que altas pontuações estão correlacionados com piores resultados e custos mais elevados.

Realmente, tentar agradar a todos os pacientes que chegam destroi a integridade do nosso trabalho. É um fato que os médicos aquiescer para demandas dos paciente demandas -de narcóticos, raios-X, receitas - sem levar em conta os indicadores. E agora os pagamentos do Medicare serão atrelados à satisfação dos pacientes - este problema será ainda pior. Médicos precisam ter a habilidade de dizer não. Se não, ao invés do paciente ir a uma consulta, eles não terão um médico, terão sim um refém.


O médico da atenção básica não tem o poder político de dizer não a nada - então a lista de afazeres continua a alongar. Um número impressionante e incontrolável de formulários, muitas vezes ilegíveis - aparecem diariamente na mesa do médico, com a necessidade de serem assinados. Resmas de resultados de laboratório, e-mails e chamadas de retorno aparecem continuamente na tela do computador. Telefonemas para explicar condutas as companhias de seguros são frequentes ao longo do dia. Cada decisão traz consigo uma ameaça implícita de litígio em imperícia. Deixar de comparecer a estas coisas traz medidas disciplinares prontas ou queixas dos pacientes. E sem piedade, todas essas tarefas tem de ser feitas no tempo "livre" do médico exausto.

Quase que comicamente, a resposta das lideranças médicas é chamar para mais testes. Na verdade, o Conselho Americano de Medicina Interna (ABIM), em seu próprio ato de tomada de reféns, decidiu que, além de serem testados a cada dez anos, os médicos devem estar de acordo com as novas, caras, "two year milestones [comprovação da educação médica continuada]." Para muitos médicos, se eles não fazerem tais testes até o fim deste mês, a ABIM vai anunciar "a falta de cumprimento" do médico em seu site.

Numa época em que os profissionais de enfermagem e assistentes de médicos [ essa profissão não é regulamentada no Brasil - Physician Assistent] têm mostrado que eles podem fornecer um excelente atendimento primário, é sem sentido levantar as barreiras para os médicos. Numa época em que você pode procurar orientações em seu smartphone, exigir mais testes aos médicos é uma resposta absurda e des-serviço

É absurdo. É punitivo. É errado. E, praticamente, os médicos não podem fazer nada sobre isso. Não admira que médicos sejam suicidas. Não admira que jovens médicos não querem nada com a atenção primária.

Certamente, a cobertura da imprensa é implacavelmente negativa contra os médicos, e ela dá o tom. "Há uma narrativa da mídia que culpa os médicos, por coisas que o médico não tem controle", diz Kevin Pho, MD, um clínico geral com um blog popular, onde os médicos muitas vezes desabafam suas frustrações. De fato, na imprensa popular recentemente responsabiliza por tudo, desde a quantidade de cadeira de rodas até pelas taxas de laboratório para os testes de Papanicolaou.

A ideia de que os médicos estão fugindo de algo e de que precisam de treinamento constante, observados e regulamentados, tem sido amplamente espalhada. Com isto em mente, é quase um reflexo para os políticos se debruçarem sobre os regulamentos. Regular o médico é uma venda fácil, porque é uma fantasia, uma febre freudiana, um sonho. É o desejo de abrandar, punir e controlar um familiar decepcionado, dar-lhe cartão de relatório, e dizer-lhe para lavar as mãos.


Há a certeza de que muitas pessoas com boas intenções estão trabalhando para resolver a crise de saúde. Mas as respostas que eles apresentam estão elevando os custos e descaracterizando os médicos. Talvez seja pedir demais por empatia, e talvez a vida dos médicos não importa para a maioria das pessoas.

Mas para a saúde dos Estados Unidos ser salvaguardada, o bem-estar dos cuidadores dos Estados Unidos vai ter que começar a importar a alguém.

Fonte: The Daily Beast, Academia Médica
[Via BBA]

COMMENTS

BLOGGER

$show=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil,1,A divulgar,2,Abelha,3,Acessibilidade,20,acessório,2,Acidente,48,Acidentes,2,Acústica,16,Adágios,1,Adestramento,5,Administração,26,adulto,1,Aerodinâmica,4,Aeronáutica,8,África,6,Agência Brasil,18,Agência Fiocruz,1,Agência Porvir,1,Agência Senado,1,Agência USP,4,Agricultura,4,Agropecuária,2,AIDS,1,AirBNB,1,Alcoolismo,7,Alemanha,3,Alerta,1,Algoritmo,8,Alimento,1,Alzheimer,4,Amazon,1,Amazônia,4,América Latina,1,Análise Combinatória,1,Anatomia,6,Android,3,Animação,46,Animais de Estimação,6,Animal,2,Antropologia,14,Apicultura,8,App,9,Apple,5,Apresentação,4,aquário,1,Argentina,4,Arqueologia,5,arquitetura,29,Arte,149,Astrobiologia,2,Astrofísica,3,Astronomia,24,Ativismo,26,Áudio,3,Audio FX,2,Áustria,1,Autismo,2,Auto-ajuda,10,Automobilismo,14,Automóvel,19,aventura,3,Aviação,5,Aviônica,8,Bahia,2,Balonismo,3,Banco de Dados,5,Beber e Dirigir,1,biblioteconomia,3,Bicicleta,1,Biografia,16,Biologia,157,Biologia Marinha,15,bioquímica,6,Biotecnologia,25,Bitcoin,2,Blog,29,Blogger,32,Boato,5,Bomba,1,borderô de desconto,1,Botânica,5,BRASA,1,BRASA Leads,1,Brasil,34,Brasília,14,BRIC,1,Browser,10,Bugs,3,CAD,3,Calor,2,Câmera lenta,1,Campanha,44,cardiologia,14,Carnaval,2,carreira,2,Cartografia,3,Casemods,1,Caso Isabella Nardoni,1,Caso Snowden,1,Ceará,1,Celebridades,6,celular,24,Células-Tronco,3,Cérebro,2,Charge,22,China,16,Cibercultura,2,Ciclovia,1,Cidadania,39,Ciência,183,Cinema,63,Clip,1,Cliparts,1,Cloud computing,4,Coaching,12,Comédia,2,competência,1,Complemento de dois,1,Comportamento,249,Computação,81,Computação em grade,5,Computação forense,3,Computação Gráfica,135,Computação Móvel,1,Comunicação e Marketing,131,Concurso,1,Concurso Cultural de Natal,1,Concursos Público,2,Concursos Públicos,3,Conectômica,1,Conferência,1,Congresso em Foco,1,Conspiração,2,Consumidor,7,Consumismo,3,contabilidade,2,Contos,45,Copa do Mundo,27,Cordel,3,Coreia do Norte,1,Coreia do Sul,1,Corpo,2,Coruja,1,cosmética,3,Cosmologia,21,Crash Course,1,Criança,1,Criatividade,3,Crime,46,Crime Digital,7,crise,11,crise econômica,8,crônica,5,crônicas,5,Cronologia,1,CSS,3,Cuba,4,Culinária,8,Cultura,9,Curiosidades,112,custos fixo,1,custos variáveis,1,Dança,6,DAO,1,Darwin,9,Davos,1,Debate,1,Decoração,1,demência,1,Demografia,3,Denúncia,10,Dermatologia,7,Desastre Natural,13,Descoberta,2,desconto duplicatas,1,Desenho instrucional,11,Desenvolvimento de jogos,8,Design,25,Design Instrucional,6,Destaque,25,Dia das Mães,1,Dia do professor,1,diabetes,6,Dicas,66,Didática,1,Dieta,3,diplomacia,3,Direito,173,Direito Eleitoral,1,Direito Internacional,28,Direito Trabalhista,1,Direito Tributário,2,Direitos Autorais,1,Direitos Humanos,37,Disney,5,Distrito Federal,2,Documentário,60,Doutorado,1,download,3,Drogas,7,Drone,3,Dubai,1,e-Book,2,e-governo,2,EBC,1,Ecologia,81,Economia,106,Editoração Eletrônica,1,Educação,331,Educação a Distância,143,Educação Corporativa,4,educação física,19,Educação sexual,6,Efeitos Sonoros,4,Egiptologia,1,Eleições,23,Eleições 2014,12,Eleições 2018,5,Eletricidade,9,eletrônica,3,Em Operários,1,Embrapa,1,empreendedorismo,6,enciclopédia,1,endocrinologia,5,Enem,3,Energia,14,Energia Alternativa,16,Energia Nuclear,11,Engenharia,62,Engenharia Agrícola,1,Engenharia Civil,4,Engenharia de materiais,13,Engenharia de Software,4,Engenharia Genética,30,Engenharia Mecânica,1,Enretenimento,1,Ensino a Distância,9,Ensino Superior,3,Entomologia,7,Entretenimento,41,Entrevista,83,Entrevista.,1,Epidemiologia,21,Epistemologia,1,Equador,1,Escândalo,5,Escritório,1,Espaço,65,Espanha,1,Espanhol,2,Espeleologia,1,Espetáculo,8,Espionagem,20,Esporte,39,Estação,1,Estágio,2,Estatísticas,32,estrutura de dados,1,Ética,23,EUA,14,Europa,2,Evento,37,Evolução,4,Exercícios físicos,2,Exobiologia,2,experiência,42,fábulas,3,Facebook,17,Farmacologia,8,Favo,1,Feminismo,1,Férias,1,Ferramentas,6,FIFA,2,Filantropia,4,Filmes,16,Filosofia,47,Finlândia,1,Firefox,1,Física,103,Física Quântica,3,Fisiologia,7,Fisioterapia,6,Flagrante,2,Flamengo,1,Folclore,3,Fome,1,Fonética,1,Fonoaudiologia,6,Fotografia,40,Fotos em 360 graus,6,França,6,Francês,2,frases,2,Fraude,4,Freeware,67,Futebol,38,Futurologia,78,gadget,88,Gafe,2,Gamificação,5,Gastroenterologia,5,Gastronomia,2,Geek,1,Genética,38,Geofísica,1,Geografia,52,Geologia,10,Geometria,6,geopolítica,20,Gerenciamento do Tempo,1,Geriatria,10,Gestão de Competências,2,Gestão de Configuração,2,Gestão de Pessoas,3,Gestão de Projetos,17,Gestão do conhecimento,6,Ginecologia,3,Glass,1,Google,78,Governo,4,GPS,1,Gradiente,1,gramática,13,Gravidez,1,Grécia,1,Grécia Antiga,1,Guerra,35,Guerra Civil,2,Guinness,1,H2,2,Haiti,3,hardware,35,História,187,HIV,1,Hololens,2,homenagem,45,Horologia,1,HPV,1,HTML,6,Humor,208,Humor Negro,8,IBGE,2,IBM,4,ICIJ,2,Idioma,43,IHC,8,ilo,29,ilusão,34,ilusionismo,5,Imagem 3D,16,Imagens,6,Imagine Cup,1,Império Romano,5,Imprensa,33,Impressora 3D,16,Imunologia,2,Incêndio,2,Inclusão digital,8,Índia,3,Índios,1,Infectologia,16,Infográfico,47,Informática,38,Inglaterra,3,Inglês,22,Inovação,178,Inspiração,1,Inteligência Artificial,98,intercâmbio,1,Interface,188,Interfaces Hápticas,20,Internacional,22,Internacionalização da Amazônia,3,Internet,160,Internet das Coisas,2,Inundação,2,Invenção,20,Inventos,6,iPad,1,IPEA,1,iphone,3,Irã,3,Iraque,1,Israel,6,Japão,2,Java,2,Java.,2,jogos,9,Jogos educativos,13,Jogos Olímpicos,10,Jornalismo,69,Justiça,4,Kinect,10,Le Monde Diplomatique Brasil,9,Le Monde Diplomatique Brasil,1,Letras,1,Lexicografia,5,Liderança,3,Life Hacking,20,Linguística,9,Literatura,54,Livro,57,Lógica,25,Logística,4,Loterias,4,Lua,1,Maçonaria,4,Malásia,2,Malvinas,2,Malware,1,Mapa,68,Mário Sérgio Conti,1,Marte,2,Mastologia,1,Matemática,76,Matemática Financeira,1,maternidade,1,Mecânica,8,Mecânica dos Fluidos,2,Mecatrônica,46,Medicina,470,Medicina Esportiva,1,Medicina Veterinária,4,Meio Ambiente,104,Mel,1,melanoma,1,Memória,5,memorização,4,Mente,4,Mercado de Trabalho,68,mercosul,1,Mestrado,1,meteorologia,11,Metodologia Científica,44,México,1,Microbiologia,4,Microsoft,14,Mídia Social,54,Militar,14,Mineralogia,1,Mistério,2,MIT,12,Mitologia,2,Mobilidade,1,Mobilidade Urbana,9,MonaVie,1,Montanhismo,1,Moodle,7,Mossad,1,Motivação,1,Movimento Maker,1,MSF,1,Mudança Climática,20,Mulher,4,Multimídia,14,museu,10,Música,82,MVC,1,Nanotecnologia,33,Nasa,15,Natação,2,Natal,17,Natureza,1,Negócios,25,Netflix,1,Neurociência,82,Neurologia,77,Nicolelis,1,Nordeste,2,Noruega,1,notícias,8,Novidades,18,Novo Enem,2,Números,1,Nutrição,63,Obama,1,Obesidade,10,Observatório da Imprensa,26,Obstetrícia,3,Oceanografia,7,odontologia,7,Offshore Leaks,2,oftalmologia,11,Olimpíadas,7,oncologia,45,ONU,8,Opinião,92,Óptica,17,Oracle,1,Oriente Médio,5,Orkut,2,Ornitologia,1,ortografia,3,Ortopedia,3,Ótica,8,Otorrinolaringologia,1,Oxfam,2,Pacifismo,1,Paginadores,1,paleontologia,3,Paquistão,1,Pará,2,Paraguai,2,parkinson,2,Passeio virtual,1,Patinação,1,Pedagogia,1,Pediatria,6,Pensamentos,2,performance,2,Periférico,1,Pesca,2,Pesquisa,198,Petição,1,Petrobrás,9,Petróleo,12,Photoshop,5,Pirataria,7,planilha de custo,1,Playstation 3,2,Plebiscito,3,Pneumologia,1,Podcast,4,Poesia,28,Poítica,1,Politica,5,Política,287,Portugal,6,português,18,Pós-graduação,1,prazo médio,1,Pré-sal,5,Prêmio Nobel,6,primatologia,1,Primeira Guerra Mundial,1,privacidade,17,produtividade,3,professor Hamilton Alves,2,Programa Gratuito,4,Programação,51,Projeção Mapeada,1,Projeto Truco,2,Promoção,1,Propaganda,5,Psicanálise,1,Psicologia,265,Psicologia Animal,23,Psiquiatria,13,Pública,12,publicidade,18,Publieditorial,4,Quadrinhos,10,Quads,5,Qualidade,3,Qualidade de Vida,11,química,32,REA,2,realidade aumentada,44,realidade diminuída,2,Realidade Misturada,2,Realidade Virtual,37,Reconhecimento de imagem,12,Reconhecimento de voz,3,Recorde,1,Recoverit,1,Recuperar vídeos,1,Redação,1,redes,10,Referência,2,Referendo,1,Reforma Política,3,Reino Unido,1,Relacionamento,2,Relações Internacionais,40,Religião,39,Responsabilidade Social,4,Retrospectiva,1,Review,4,Rio 2016,6,Rio de Janeiro,1,Rio Grande do Norte,1,Rio Grande do Sul,1,robótica,97,Roda Viva,45,Roma,4,roteiro,1,RSA,1,Rússia,1,Samsung,1,Sanitarismo,5,Santa Catarina,1,São Paulo,4,Saúde,484,Savant,1,Segunda Guerra Mundial,21,Segurança,116,Segurança da Informação,60,Seleção Natural,2,Séries,2,serviço,1,Serviço Online,1,Sexologia,2,sexualidade,5,Show,7,SIGGRAPH,1,Simulação,28,Singularity University,1,Síria,3,Sismologia,2,Sistema operacional,4,Sistemas de Numeração,1,Sites de Busca,14,Sociedade,4,Sociologia,52,Software,32,Software Livre,25,Sol,2,Sono,4,Sony,2,SOPA,2,Star Wars,1,Suécia,3,Sugestão de presentes,61,Sun,1,supercomputadores,2,Sustentabilidade,5,Tabagismo,6,Taiwan,1,Talento precoce,1,taxa de juros efetiva,1,taxa de juros nominal,1,Taxas Equivalentes,1,Taxidermia,1,Teatro,26,Técnicas de Estudo,2,Tecnologia,538,Tecnologia da Informação,28,TED,389,TED-Ed,40,TedMed,2,TEDx,1,TEDx Rio+20,1,TEDxAmazônia,1,TEDxAsaSul,1,Telefonia,59,Televisão,43,Temas,1,Tempo,1,Tendências,10,Teologia,5,teoria das supercordas,1,Terremoto,7,Terrorismo,15,Tesla,1,Testes,17,Tipologia,8,Tomada de Decisão,1,tradução,5,Trânsito,11,transporte,55,tributo,3,Trigonometria,1,Tubarão,2,Tunísia,1,Turismo,21,Tutorial,20,Twitter,8,Uber,4,UFC,1,UFG,1,ufologia,5,UFRJ,1,Unicamp,1,UNIFESP,1,universidade,5,Universidade Corporativa,1,Universidade de Cambridge,2,Universidade de Michigan,1,Urbanismo,23,Urologia,1,User Experience,1,USP,6,Utilidade Pública,3,Utilitário,3,Vale,1,Vaticano,1,Veículo Autônomo,7,Ventriloquismo,3,Verão,1,vestibular,3,Vestimenta,1,Vida Digital,7,Vida Moderna,17,Vida Selvagem,10,Videogame,114,Vídeos,928,Vídeos 360,1,Violência,4,Vírus,2,Visão Computacional,9,Vôlei,1,Vulcanologia,6,Watergate Política,1,WCIT 2016,2,WCIT 2017,1,Web 2.0,29,Web Application,134,Web Semântica,2,Web Seminar,1,webdesign,11,Webinar,2,widget,2,WikiLeaks,37,Wikipedia,4,Windows,5,Xadrez,1,YouTube,6,Zika,1,Zoologia,56,
ltr
item
Brasil Acadêmico: Por que ser médico se transformou em uma das profissões mais miseráveis?
Por que ser médico se transformou em uma das profissões mais miseráveis?
http://3.bp.blogspot.com/-WcpOyLfFJKc/U20WAPw3n5I/AAAAAAAAY40/QzumbxV3f3E/s400/esteto.jpg
http://3.bp.blogspot.com/-WcpOyLfFJKc/U20WAPw3n5I/AAAAAAAAY40/QzumbxV3f3E/s72-c/esteto.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2014/05/por-que-ser-medico-se-transformou-em.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2014/05/por-que-ser-medico-se-transformou-em.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Todos os posts carregados Nenhumpost encontrado VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Home Páginas POSTS Ver Todos Recomendado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS POSTS Não encontrado nehum post de acordo com o seu critério Voltar para Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agorinha 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás Ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ semanas atrás mais que 5 semanas atrás Seguidores Seguir THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy