Blog Brasil Acadêmico

Victoza: remédio pode ser novo emagrecedor da moda

Liraglutida é um antidiabético com potencial para emagrecer os não-diabéticos com baixo efeito colateral.


GLP-1:Hormônio da saciedade que é mimetizado pela liraglutida.


Fabricada pelo laboratório Novo Nordisk, da Dinamarca, o medicamento foi lançado na Europa, em 2009, e nos EUA em 2010, tendo desembarcado há três meses no Brasil.

Apesar de ser indicado para o diabetes tipo dois, a liraglutida (princípio ativo do Victoza) vem sendo largamente utilizado para o emagrecimento. O próprio fabricante busca o reconhecimento da droga como emagrecedora, tamanha a sua eficácia na perda de peso.

Os resultados da duas primeiras fases do teste foram publicados nas revistas científicas The Lancet e International Journal of Obesity. Sendo que o mais recente foi publicado em julho.

500 homens e mulheres foram acompanhados e em cinco meses 85% dos voluntários perderam, em média, 7 quilos.
Desde junho o remédio vem sendo testado em 5000 pessoas com sobrepeso (em média, 7 quilos acima do peso ideal) de 27 países, entre eles o Brasil. Esse teste configura-se como sendo a última fase antes da droga ser submetida à avaliação das autoridades sanitárias para que seja comercializada como remédio emagrecedor.

O Presidente da Sociedade Internacional para o Estudo da Obesidade, Walmir Coutinho, pede prescreve prudência aos mais afoitos.
Só com o término desses trabalhos é que teremos segurança para indicar amplamente a liraglutida para combate à gordura. Até lá recomendo cautela.
Walmir Coutinho. Presidente da Sociedade Internacional para o Estudo da Obesidade
Ele mesmo só indica a nova substância para seus pacientes não-diabéticos quando vê esgotadas as outras opções terapêuticas.

Mas os médicos têm prescrito bastante. Tanto que o fabricante havia programado uma remessa que durasse um mês e em uma semana já estava tendo que fazer a reposição nas farmácias. Os médicos ouvidos pela Revista Veja estimam que um terço tenha sido adiquirido por não-diabéticos.

Sua administração é feita aplicando-se uma injeção diária por meio de agulha de 6 milímetros (veja vídeo). Que deve ser ajustada conforme a dose indicada pelo médico.



Mas afinal, o que faz o Victoza emagecer as pessoas?

A liraglutida é uma versão produzida em laboratório de um hormônio denominado GLP-1 que é produzido naturalmente pelo organismo e é a principal substância relacionada à sensação de saciedade (veja infográfico).

Esse hormônio, além de estar associado ao mecanismo de produção de insulina do pâncreas, também reduz os movimentos de contração do intestino (denominados movimentos peristálticos) o que, em outras palavras, diminui a vontade de comer.

Mas a liraglutida possui algumas "vantagens" em relação ao GLP-1 natural:
  • Ela circula no organismo em quantidade muito maiores (8x mais, em média).
  • Seu efeito no corpo é prolongado por 24 horas (enquanto que o GLP-1 dura apenas 3 minutos). Fazendo com que a sensação de saciedade se estenda promovendo uma redução de 40% no consumo calórico.
Resultado: 85% dos paciente perdem 7 quilos em cinco meses (em média).

Efeitos colaterais: Náusea e dor de cabeça nas duas primeiras semanas.


A liraglutida é um análogo sintético do GLP-1. Nas fases iniciais de pesquisa clínica, a liraglutida mostrou diversas ações glicorregulatórias similares às ações do GLP-1 endógeno. A liraglutida suprime a excursão glicêmica pós-prandial, reduz a glicemia de jejum, aumenta a primeira fase de secreção de insulina após refeições e suprime a produção pós-prandial de glucagon. Em estudos de fase II, a liraglutida obteve reduções de 0,8% na hemoglobina glicada em comparação com o placebo. Os efeitos colaterais mais freqüentes foram náuseas e outras queixas gastrointestinais leves.
Posicionamentos Oficiais SBD - Vol. 3



[Via BBA]

12 Comments
Disqus
Fb Comments

Charge randômica