A História da Matemática 2 - O Gênio do Oriente

Com o declínio da Grécia antiga, o desenvolvimento da matemática estagnou na Europa. Contudo, o progresso da matemática continuou no Oriente. Veja a continuação da série narrada pelo matemático Marcus du Sautoy.





Parte 1


Os chineses criaram o primeiro sistema de posição decimal 1000 anos antes do ocidente fazer o mesmo, mas só o faziam com gravetos e nada de zero na representação escrita. Contudo, o harém imperial pode ter contribuído para a descoberta da progressão geométrica.


Parte 2


Um manual para funcionários públicos já mostrava como lidar com um dos problemas centrais da matemática: como resolver equações.


Parte 3


O sistema numérico indiano pode ser considerado uma das maiores inovações intelectuais de todos os tempos. Brahmagupta revela as propriedades do zero e seus conterrâneos chamam os números negativos de "dívidas". As abstrações matemáticas fazem surgir variáveis "coloridas".


Parte 4


A avançada trigonometria da Índia permitia que seus matemáticos calculassem distâncias no espaço sem tirar os pés do chão. Além disso, Mandhava já brincava com as séries infinitas dois éculos antes dos ocidentais.


Parte 5



Muhammad Al-Khwarizmi, erudito persa na Escola da Sabedoria de Bagdá, introduziu os números indo-arábicos no mundo ocidental (os quais usamos até hoje). Mas foi sua álgebra que forneceu uma gramática para generalizar os problemas da matemática.


Parte 6



A Itália transbordava cálculos com suas competições de matemática. Fibonacci já se envolvia com o crescimento dos coelhos. Enquanto Tartaglia gaguejava que certos problemas impossíveis não era tão impossíveis assim. Mas logo vai descobrir que um segredo só é secreto quando não é revelado a ninguém. Ainda assim, o "vazamento" permitiu novos avanços matemáticos. O Open Source tem suas vantagens.


Não deixe de ver também:
A História da Matemática 3 - As Fronteiras do Espaço
[Via BBA]
0 Comments
Disqus
Fb Comments

 
Leitura
pida