Menu

O blog do acadêmico descolado

 


Em homenagem ao passamento do escritor português José Saramago, autor de Ensaio sobre a Cegueira e O Evangelho Segundo Jesus Cristo, coletamos algumas de suas pérolas.



O ateu que a Igreja lamentou a perda.

Não sou um ateu total, todos os dias tento encontrar um sinal de Deus, mas infelizmente não o encontro.
José Saramago


Sobre a posse:

Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar.
José Saramago


Grandes analogias.

O espelho e os sonhos são coisas semelhantes, é como a imagem do homem diante de si próprio.
José Saramago




Tudo a seu tempo.

Não tenhamos pressa,mas não percamos tempo.
José Saramago


Experiência acumulada.

Aprender com a experiência dos outros é menos penoso do que aprender com
a própria.
José Saramago




O engajado.

O Socialismo não produziu socialistas.
José Saramago


A relatividade da física.

Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória.
José Saramago


Emocional.

Se tens um coração de ferro, bom proveito. o meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia.
José Saramago



Ao lado de Fernando Meirelles, diretor de Cidade de Deus e de Ensaio sobre a Cegueira

Sobre a tecnologia.

É ainda possível chorar sobre as páginas de um livro, mas não se pode derramar lágrimas sobre um disco rígido.
José Saramago


Comentário sobre os blogs.

Os sismógrafos não escolhem os terremotos, reagem aos que vão ocorrendo, e o blog é isso, um sismógrafo.
José Saramago



Encarar os problemas de frente.

A única maneira de liquidar o dragão é cortar-lhe a cabeça, aparar-lhe as unhas não serve de nada.
José Saramago



Escrever, qualquer um escreve.

Somos todos escritores, só que alguns escrevem e outros não.
José Saramago


Já. Talento...

O talento ou acaso não escolhem, para manisfestar-se, nem dias nem lugares.
José Saramago


Vida intensa.

É preciso variar, se não tivermos cuidado a vida torna-se rapidamente previsível, monótona, uma seca.
José Saramago


Quem cala...

O silêncio ainda é o melhor aplauso.
José Saramago

Postar um comentário

  1. O silencio ainda e o melhor aplauso, bravo!

    ResponderExcluir
  2. Ponho-me a pensar o pesar da tua falta!


    José de Souza Saramago o gênio de uma geração e inventor de estilos. Porque não dizer; o mago, o Saramago da literatura. Que não se deleitou com Ensaio sobre a Cegueira? Lindo livro e contundente como seu autor. Pessimista é claro, realista, metafórico. Um exemplo para humanidade, porque, sua preocupação com a humanidade vai fundo, e essa, é sua marca registrada. Esse é Saramago.
    O gênio nascido em 16 novembro de 1922 em Azinhaga, Golegã. Distrito de Santarém Portugal. Não fazia idéia do legado que deixaria para o mundo. Nem tinha si quer suspeita, que viria a ser, um dos mais importantes escritores de nossa hera! E quando recebeu O Prêmio Nobel de Literatura em 1998, o prêmio mais homejado pela classe literária - Ele apenas falou; dedico esse prêmio ao homem mais sábio que conheci ao meu avo, que era analfabeto!
    Vieram Os Prêmios Camões, as palestras e o reconhecimento. Suas obras sempre ressaltando o homem simples e o pensamento sobre estar no mundo. Indignado com a situação do homem na sociedade e com a injustiça. Saramago um profeta dos novos tempos, rebelde e aniquílador do capitalismo global. Visionário irremediável, sempre em busca da justiça social. Membro do partido comunista Português, em que foi Diretor Adjunto e fundador da Frente Nacional Para a Defesa da Cultura (FNDC).
    Reflexões Saramagoianas: “Acho que na sociedade atual falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de reflexão, que pode não ter um objetivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objetivos. Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que sem idéias não vamos à parte alguma”.
    A sua religião, mas que religião? Jesus é uma pessoa normal, e não é filho de Deus, e sim de José. Teve relações amorosas com Maria Madalena. Esse é o Saramago cético, nem tanto, realista e empírico. E por causa dessas idéias brilhantes, se auto-exilou nas Ilhas Canárias em Lazarote. O proscrito, blasfemador, cético e comunista. Então ele agora, ascende como um grande mago, o nosso Saramago. Andarilho em Lazaronte, ainda vai mais longe - Bonito ver aquele ancião que chegou há poucos dias na Ilha? - Quem? - O eremita sábio, o mago, Saramago!
    Dizem os estudiosos que desde Kafka, Guimarães Rosa e Fernando Pessoa, ainda não tinham lido ninguém com originalidade e capacidade de prosa. E Saramago é; consciência e maestria em seus romances, na ficção e poesia. Sua letra rítmica dança entre os parágrafos que quase nem existem, assim como as vírgulas e pontos. Literatura água corrente feito rio, fluindo em imagens e signos universais.
    Saramgo foi-se, ateu, cético, pessimista e comunista. Mas foi convicto de que era isso mesmo. Tinha tanta convicção, até mais, que muitos religiosos que conhecemos. Até mesmo, de muitos ateus que conhecemos aqueles que na hora H recorrem a Deus.
    Parafraseando Guimarães Rosa; Saramago não se foi, apenas ficou Encantado...

    Ass, Agathe

    ResponderExcluir
  3. Já estou correndo atrás de um livro dele.
    Não sei como é que deixei que passasse tanto tempo sem esse contato enriquecedor.
    Também eu procuro sinais de Deus todos os dias e tenho concluído que minha capacidade de análise é tão pequena que mesmo encontrando tais sinais não seria capaz de reconhecê-los. Tem que se ter coragem e discernimento para ser ateu.Para crer, nem tanto. Não se pode ser cristão sem ser um pouco comunista. Não há o que distribuir sem primeiro produzir (capitalismo?) - A castidade é uma virtude que todo dia desmorona um pouco.
    Precisamos ler Saramago urgentemente.
    Parabéns pela excelente e oportuna abordagem.

    ResponderExcluir
  4. Adoro José Saramago!

    Perdemos um dos homens mais humanos que tinha-mos...
    E ao contrário daquilo q comentem sobre a sua estranha pontuação, sempre compreendi na perfeição o q queria dizer. acho ate que por vezes era muito mais concreto que outros escritores.
    Vibrei com o ensaio sobre a cegueira, é uma obra fantástica, não vi o filme, achei que não valia apena apagar as imagens que criei para cada parte do livro, pois foram sensações extraordinárias.
    O Ensaio sobre a cegueira mostra o quão eguistas somos, mostra a essencia do ser humano com as maiores fragilidades e hipocrisias do mundo mas, ao mesmo tempo, está simplesmente a mostrar-nos que a vida é muito mais que a "casca" que resguarda os nossos sonhos e personalidades, a vida é muito mais q isso, está para lá do visivel, desta forma, Saramago ensinou-me a "cegar", a fechar os olhos e não pensar nos outros e em mim atraves da "casca" mas sim como um ser que se encontra rodeado por semelhantes q têm os mesmos direitos e necessidades q eu por isso merecem tanto quanto eu!
    E a história desenrola-se com a tentativa de superioridade mas, para quem leu o Memorial do Convento, ele apela ao dever de avançar e nunca desistir mesmo quando temos obstáculos que dificultam a concretização do sonho. No Memorial do Convento a construção da Passarola é simplesmente isso, a concretização de muitos sonhos q sempre foram sonhados mas nunca tiveram forças para avançar, Saramago mostra q temos essa força so precisamos de lutar por ela, em conjunto (visto que a Passarola foi construida por 3 mas com a indispenssavel junção de muitas vontades) e sem a nessecidade da sobreposição de ninguem, nem mesmo da igreja no caso.

    Saramago é muito mais que um homem, é muito mais q palavras, é uma lição de vida e a valorização do Homem e da sua força de vontade aliada a covivencia com o outro.

    ResponderExcluir
  5. Eu gostaria de saber qual foi a primeira e a ultima frase que saramago fez.

    ResponderExcluir
  6. As 15 frases de Saramago, postadas neste blog, por si só transformam-no num pequeno tesouro. Não é sem razão que se diz que Saramago foi o ateu que a igreja lamentou a perda. A sua constante procura de Deus não deixa de ser algo que a própria igreja preconiza. Se não conseguiu encontrá-lo -- como afirma -- já é uma outra circunstância que talvez nem mesmo dependesse dele

    ResponderExcluir
  7. Até este dia 10 de janeiro de 2012 não me caiu a ficha daquele 18 de junho de 2010, em que desapareceu Saramago. Desde então sinto-me órfão. A morte o levou como se fosse um comum dos mortais. Mas levou apenas seu físico jamais a sua memória e espírito, que permanecem vivos. Não discuto a vontade do Altíssimo, mas nutro a esperança de um dia encontrá-lo, a ele, Saramago, na Eternidade

    ResponderExcluir
  8. Bravo! Grande José Saramago. Escreveu a sua história com letras lapidares. Sua existência não fora em vão.Seu legado para a humanidade tem valor inestimável. Conquanto se proclamasse ateu, foi uma pessoa sensível, humana, linda! Agradeço a Deus pela sua passagem no nosso meio.

    ResponderExcluir
  9. Pra quem disse que todos os dias procura uma prova que Deus realmente existe...
    Uma dica muito simples: ao acordar apenas olhe pra você mesmo!

    ResponderExcluir
  10. Melhor que saramago são frases que contem a propria vida dentro de si...E so Jesus é claro sabe cria-.las...Te amo Jesus..

    ResponderExcluir

Deixe suas impressões digitais aqui...

 
Top