$hide=/p/valores.html

O Adeus a Michael Jackson

O velho Michael, que nunca cresceu por não ter tido infância, se foi. Embora não seja a linha do nosso blog, não poderia deixar de homenagea...

O velho Michael, que nunca cresceu por não ter tido infância, se foi. Embora não seja a linha do nosso blog, não poderia deixar de homenagear um dos mais marcantes personagens da minha geração. Sob qualquer ótica que se olhe, o velho MJ é o rei do pop. Tudo o que se diz no manual das celebridades se encaixa como uma luva prateada nesse negro com vitiligo.
O passo moonwalker. Michael Jackson virou até videogame.
Michael Jackson virou até personagem de videogame.

O Michael Jackson que eu conheci é o cara que apareceu com uma música cheia de efeitos eletrônicos sem parecer música eletrônica, ou seja, orgânicamente incorporada e dançante, muito dançante. O videoclip de Beat It ("caia fora" em uma tradução livre) onde mostrava gangues de Los Angeles (com membros de gangues rivais realmente contratados para o clip, além de dançarinos) veio com tudo ao mostrar um garoto negro com cara de mau dançando em meio a mesas de sinuca. Arrebatou o mundo e a indústria fonográfica.

Era o Michael Jackson dos anos 70, um garotinho prodígio que com sua voz de criança e postura artística de veterano conseguiu virar até desenho animado e liderar os Jackson Five (e o sustento da família) até desvincular e criar sua carreira solo.
Como muitos artistas infantis, MJ poderia ser fogo de palha e cair no esquecimento como uma lembrança engraçadinha.

Sim, eu acho James Brown um gênio, sabe, quando ele está com a Famous Flame, é inacreditável. Eu o via na televisão e ficava nervoso com o camera-man porque quando ele realmente começava a dançar ele dava um close e eu não via seus pés. E eu gritava "mostre-o, mostre-o", para eu ver e aprender.
Michael Jackson. Em entrevista a Oprah.




Contudo, por seu perfeccionismo, que poderia ser a causa de sua morte na tentativa de obter aos 50 anos a performance de outrora, ou talvez os abusos morais sofridos por ele cujo pai o chamava de feio, macaco, enquanto batia em seu rosto, fez de Michael alguém desajustado psicologicamente, a ponto de não conseguir se mirar no espelho, mas que provavelmente se libertava nos palcos fazendo o melhor entretenimento que um artista poderia construir. A mãe, Katherine Jack, ausente, foi ficando cada vez mais distante até ser substituída por Elizabeth Taylor, sua melhor amiga. Contudo, durante o julgamento do caso em que era suspeito de pedofilia, ela foi o único membro da família que compareceu na corte. E era através dela que MJ mantinha contato com a família.


A atitude que o Rock costuma exigir de seus popstars era tudo o que se via em Beat It e Billie Jean. Os clipes contavam uma história e o dançarino com cara de mau, e gritinhos freelance, incutia a idéia de que só alguém com muita confiança no que faz poderia combinar tão bem as duas coisas.

Mas a coreografia de Beat It (lançada com o albúm Thriller, em 1982) logo foi superada pela sincronia perfeita e os efeitos hollywoodianos do clipe da música Thriller (lançado em 1983). Com MJ não basta falar da música. O seu passo Moonwalker (1983), a sua girada, o equilibrar na ponta dos pés, a dança robótica, o break dance. Parecia ser a revolução na dança que a evolução tecnológica que o mundo vinha experimentando a passos largos precisava.

Você é um dançarino dos infernos.
Fred Asteire. Ator e dançarino. Para MJ após o lançamento do passo Moonwalker.



Fred Astaire. Influência no estilo?


E o álbum Thriller (1982) realmente revolucionou. Com impensáveis 4 prêmios Grammy fez tanto sucesso que foi lançado um filme em fita VHS de 30 minutos com o "making of" do videoclip. E ningém mais vai bater esse sucesso pois não se tem mais essa vendagem de discos hoje. Terá que existir outra forma de aferir o sucesso de um artista musical na era MP3. Mas, nas festas dos anos 80 os que sabiam imitar a dança daqueles clipes constituíam uma atração à parte. E todo mundo tentava fazer o Moonwalker (embora quase todos o chamavam de O Passo do Michael Jackson mesmo).



Em 1984, um susto, nas gravações de um comercial da Pepsi. Ocorreu um acidente com fogos de artifício que queimou o cabelo e o couro cabeludo de Michael. Mas não deixou de ser uma aparição na imprensa que mantinha o nome do astro em evidência ano após ano. No dia seguinte ele já obteve alta médica.



Mas 1984 realmente iniciaria o turbilhão de factóides que marcaria a carreira do "Rei do Pop", como gostava de ser chamado (merecidamente, é bom que se diga).


Encenação do acidente com o MJ durante a gravação de um comercial de refrigerante


A medida que aumenta sua fama, começaram a circular notícias estranhas sobre a vida do artista em diversos tablóides, que diziam, por exemplo, que o artista dormiria em uma cama de oxigênio e que queria comprar os restos mortais do homem-elefante Joseph Merrick.

A partir deste ano, as excentricidades da vida doméstica do artista começam a aparecer na mesma proporção que seus sucessos musicais.
Ainda em 1984, o artista compra o rancho Neverland ("Terra do Nunca" em inglês, uma referência à terra mágica onde vive o personagem Peter Pan, o garoto que na ficção se recusava a crescer), com um parque de diversões e um zoológico.

MJ começou a ficar rodeado de crianças que as levava para o rancho/parque temático, Michael assumiu que sofria de Síndrome de Peter Pan, se envolveu em suspeitas de pedofilia e ficou às voltas com a justiça pagando advogados e fazendo acordo com quem o acusava de pedófilo.
Mesmo assim acabou indo parar nos tribunais, onde foi inocentado das acusações.

Em entrevista à apresentadora Oprah Winfrey, em 1991, Michael Jackson, contou a suas versões das inúmeras histórias a seu respeito.

Oprah: Quando eu vi essas suas fitas, e céus, as juntando eu creio ter visto todos os vídeos feitos de você, e assistindo á essas fitas, especialmente na adolescência, você realmente tinha muita energia no palco. Você é tão feliz fora do palco como parece em cima dele?

Michael: Bem, o palco é para mim como a minha casa. Me sinto muito confortável no palco mas quando saio do palco, eu sou, muito triste.

Oprah: Sério?

Michael: Sim.

Oprah: E triste quando tudo começou, por que tão triste?

Michael: Sozinho, triste, tendo que encarar a popularidade e tudo isso. Existem horas que tenho muitos bons momentos com meus irmãos, guerra de travesseiros e essas coisas, mas eu estava, sempre chorando de solidão.

Oprah: Com qual idade isso começou?

Michael: Oh, muito pequeno, oito, nove.

Oprah: Foi quando se tornou famoso?

Michael: Sim.


Michael falou sobre o quanto se tinha que se dedicar ao trabalho e que não teve uma infância como as outras crianças.

Oprah: Eu falei com Suzane dePasse outro dia, e Suzane dePasse me disse que vocês trabalharam juntos na Motown e ela realmente o enfeitou inteiro e lhe arrumou roupas para o programa de Ed Sullivan. Nós falamos sobre você perder seu estímulo por isso ou se ainda não está perdido, não é?

Michael: Bem, especialmente agora eu compreendo - e - eu ia pra minha escola onde estudava durante três horas com um professor e imediatamente depois ia pro estúdio gravar, e eu
gravava por horas e horas até ser hora de dormir. E eu me lembro de ir pro estúdio gravar e ter um parque do outro lado da rua, e via todas aquelas crianças brincando e eu chorava porque me deixava triste porque tinha que trabalhar duro.

(...)

Oprah: Suzane disse que isso teve um duro preço. Gostaria de saber quão alto foi o preço, perdendo sua infância ou tendo esse tipo de vida?

Michael: Bem, você não pode fazer coisas que as outras crianças fazem, tendo amigos e fazendo festas. Não havia nada disso pra mim. Eu não tive amigos quando era pequeno. Meus irmãos eram meus amigos.

Oprah: Existe sempre um lugar onde... -porque você conhece as crianças- porque eu me lembro falando comigo mesma e brincando com minhas bonecas...eu acho que toda criança precisa de um lugar para se refugiar, um mundo de criança, a imaginação de uma criança, teve alguma vez que você pôde fazer isso?

Michael: Não. E é por isso que eu penso que não a tive. Eu me compensei por aquilo. Pessoas sempre se maravilham quando estou com crianças ao meu redor, porque vejo nelas as coisas que nunca tive, sabe, Disneyland, parques de diversão, jogos. Eu adoro todas essas coisas porque quando era pequeno eraapenas trabalho, trabalho, trabalho de um concerto ao outro. Se não haviam concertos eram gravações em estúdio, se não era isso eram apresentações na TV ou sessões de fotos. Sempre tinha alguma coisa para fazer.

Oprah: Smokey Robinson disse isso sobre você, e teve muitas outras pessoas também, que você é como uma alma velha em um corpo jovem.

Michael: Eu me lembro de ouvir isso toda vez quando era pequeno. Eles me chamavam de semi 45 anos onde quer que eu fosse...assim como quando as pessoas falam com você quando é pequeno e você começa a cantar você
não acha isso bom? E eu digo que nunca pensei sobre isso. Eu apenas o fiz e isso saiu de mim. Eu realmente nunca pensei nisso.

Oprah: Então aqui está você, Michael Jackson, você teve todos os sucessos, teve muitos sucessos - quatro sucessos de uma vez - e você ficava chorando por não ser como as outras crianças.

Michael: Bem, eu amava a fama e continuo amando a fama, mas algumas vezes você deseja se divertir e essa parte me deixa triste. Eu me lembro uma vez que estávamos nos preparando para ir para a América do Sul e tudo estava embalado e o carro estava pronto para ir e eu me escondi e estava chorando porque eu não queria ir. Eu queria brincar. Eu não queria ir.


E falou sobre seu pai:

Oprah: Bem, vamos voltar quando você estava crescendo e sentindo tudo isso, bem, eu creio que foi uma angústia, porque não houve ninguém para brincar a não ser seus irmãos. Você nunca teve festas?

Michael: Nunca.

Oprah: Eu estou maravilhada por você, sendo esse garotinho fofo que todos adoraram e todos indo até você e puxando suas bochechas e te achando bonitinho. E depois veio a fase da adolescência onde tudo é novidade fiquei maravilhada quando você começou a ser adolescente tendo consigo aquela criança super talentosa, essa foi uma época difícil para você?

Michael: Muito, muito, muito difícil, sim. Porque eu acho que toda criança famosa sofre durante esse período porque você não é mais o bonitinho e a criança charmosa que você era. Você começa a crescer, e eles querem te manter pequeno para sempre.

Oprah: Quem são eles?

Michael: O público, e hum, a natureza toma o seu rumo.

Oprah: Ela toma.

Michael: Sim, e eu tive espinhas tão grandes que me deixavam com vergonha. Eu não me olhava. Eu escondia meu rosto no escuro. Eu não queria me olhar no espelho e meu pai me provocava com isso e eu odiava e chorava todo dia.

Oprah: Seu pai te provocava por causa das espinhas?

Michael: Sim e me dizia que eu era feio.

Oprah: Seu pai dizia isso?

Michael: Sim ele dizia. Desculpe Joseph.

Oprah: Como é o seu relacionamento com ele?

Michael: Eu amo meu pai, mas não o conheço.

Oprah: Você está nervoso com ele por ter feito aquilo? Eu acho uma crueldade.

Michael: Se estou nervoso com ele?

Oprah: Porque a adolescência já é difícil o bastante sem um pai dizendo que você é feio.

Michael: Se estou nervoso com ele? Muitas vezes eu fiquei nervoso. Eu não o conheci como gostaria de ter conhecido. Minha mãe é maravilhosa. Para mim ela é a perfeição. Eu apenas desejo poder entender meu pai.

Oprah: Então vamos falar sobre a juventude. Foi quando você começou a se conhecer? Porque obviamente você não falou com o mundo durante 14 anos. Então você se fechou, ficou recluso. Foi para se proteger?

Michael: Eu sinto que não há nada importante pra mim á dizer e esses foram tristes, tristes anos pra mim.

Oprah: Por que tão triste? Porque no palco você esteve atuando, você pegou seus Grammy. Por que tão triste?

Michael: Oh, existiram muitas tristezas sobre meu passado e minha adolescência, sobre meu pai e esses tipos de coisas.

Oprah: Então ele não o provocava, ele ria de você.

Michael: Sim.

Oprah: E ele...ele já bateu em você?

Michael: Sim.

Oprah: E por que ele bateu em você?

Michael: Ele me via, ele me queria, eu imagino...eu não sei se era a sua criança de ouro ou tanto fazia, mas ele era muito rigoroso, muito rígido, muito severo. Apenas um olhar já assustava você.

Oprah: E você tinha medo dele?

Michael: Muito. Havia vezes que ele ia me procurar, eu ficava doente, começava a vomitar.

Oprah: Como criança ou como adulto?

Michael: Ambos. Ele nunca ouviu eu dizer isso. Sinto muito, não fique bravo comigo.

Oprah: Bem eu certamente suponho que todos têm que ter responsabilidade com quem eles deram a vida. E o seu pai é uma daquelas pessoas que também teria que ter responsabilidade.

Michael: Mas eu o amo.

Oprah: Sim...eu entendo isso.

Michael: E eu o estou perdoando.

Oprah: Você realmente o perdoa?

Michael: Eu perdôo. Existe tanta sujeira e lixo escrito sobre mim, e isso é mentira, eles são uns completos mentirosos, e essas são coisas que eu quero falar sobre. A pressão é muito grande...Deus...terrível, histórias horríveis...isso me faz crer que quando você escuta muito uma mentira, você começa a acreditar nela.


Deu a sua versão de algumas histórias a seu respeito:

Oprah: Hum, nós falamos sobre os rumores durante o comercial e são muitos.
Primeiro de tudo eu vim á esta casa preparada para isso e eu olhei por toda a casa, subi escadas enquanto você não estava vendo, procurando por aquela câmara de oxigênio, e eu não encontrei nenhuma câmara de oxigênio em lugar nenhum da casa.

Michael: Esta história é tão maluca, é mais um daqueles tablóides, é completamente uma invenção.

Oprah: (quadro de Michael em uma câmara de oxigênio é mostrada pela câmera)
OK, mas você está em alguma coisa ali, há um quadro seu, de onde veio isso? Como isso começou?

Michael: Isto é...eu fiz um comercial para a Pepsi e eu fui muito queimado e nós ganhamos 1 milhão de dólares e eu doei todo o dinheiro...nós construímos esse lugar chamado de O Centro de Queimaduras de Michael Jackson e é uma central de tecnologia usada para pessoas queimadas, certo. Então eu estava olhando esse centro de tecnologia e decidi ir lá dentro apenas por curiosidade, alguém bateu a foto, quando eles revelaram a fotografia a pessoa que revelou a foto disse, "Oh Michael Jackson". Ele fez uma cópia e essa foto se espalhou pelo mundo com essa mentira junto. É uma mentira, por que as pessoas compram esses jornais? Não é a verdade. Eu estou aqui para dizer. Não julgue uma pessoa, não faça julgamento, ah não ser que tenha falado com elas uma a uma. Eu não me importo com essas histórias, apenas não as considere porque são uma mentira.

Oprah: Você está certo e essa história é como se tivesse criado pernas.

Michael: Isto é loucura. Por que eu iria dormir em uma câmara? (risos)

Oprah: Os rumores são que você estava dormindo numa câmara porque não queria envelhecer.

A suposta câmara de dormir de Michael Jackson. Uma redoma a la Branca de Neves

Michael: Isto é ridículo. É completamente inventado. Eu estou envergonhado. posso perdoar qualquer um, eu ensino todos a amar e a perdoar, que é o que tenho em meu coração, mas por favor não acredite nessas loucuras, nessas coisas horríveis.

Oprah: Você comprou os ossos do Homem Elefante? Você estava tentando os adquirir...

Michael: Não. Essa é outra história estúpida. Eu amo a história do homem Elefante, ele me traz á memória muitas coisas, e eu posso me referir á ela, isso me faz chorar porque eu me vejo na história, mas não eu nunca falei sobre...onde eu colocaria ossos?

Michael: ...E par que eu iria querer ossos?

Oprah: Eu não sei. Então de onde veio essa história?

Michael: Alguém inventou, e todos acreditaram. Se você ouve uma mentira muitas vezes, você começa a acreditar nela.

Oprah: Sim e pessoas ganham dinheiro vendendo tablóides.

Michael: Sim.


Falou também sobre o branqueamento de sua pele:

Oprah: OK, vamos então para a coisa que é mais discutida sobre você, ou seja, a cor da sua pele...
é obviamente muito diferente de quando você era jovem, e eu acho que isso causou um grande número de especulações e controvérsias sobre o que você fez ou está fazendo, você está embranquecendo a sua
pele, e a sua pele está ficando clara porque você não gosta de ser negro?
Branqueamento da pele de Michael Jackson
Michael: Em primeiro lugar, que eu saiba não há nada que embranqueça a pele. Eu nunca vi isso, eu não sei do que se trata isso.

Oprah: Bem, eles têm esse produto, eu me lembro de crescer sempre ouvindo "sempre use branqueamento e brilho", mas você deve ter 300.000 galões.

Michael: OK, mas em primeiro lugar, essa é a situação. Eu tenho um problema de pele que destrói a pigmentação da minha pele, e é algo que eu não posso me ajudar, OK? Mas quando pessoas inventam histórias que eu não quero ser quem eu sou, isso me machuca.

Oprah: Então é isso...

Michael: Esse é um problema que eu não posso controlar...mas e quanto aos milhões de pessoas que sentam-se ao sol, para parecem mais escuras, para parecem quem não são. Ninguém fala nada sobre isso.

Oprah: Então, quando isso começou? Quando a sua...quando a cor da sua pele começou a mudar?

Michael: Oh, eu não...algum tempo após Thriller, em torno de Off The Wall, Thriller, algum tempo em torno disso.

Oprah: Mas no que você pensou?

Michael: Está na minha família, meu pai disse que é do seu lado. Eu não posso controlar isso, eu não entendo, isso me deixa muito triste. Eu não quero falar sobre meu histórico médico porque é pessoal, mas é a situação até aqui.

Oprah: OK, eu só quero que seja honesto, você não está tomando nada para mudar a cor da sua pele?

Michael: Oh Deus não, nós tentamos controlar isso usando maquiagem contra isso porque causava manchas na minha pele.
Eu tentei igualar a minha pele. Mas sabe o que é engraçado, por que isso é tão importante? Isso não é importante pra mim. Eu sou um grande fã de arte. Eu amo Michelangelo, se eu tivesse uma chance de falar com ele ou ler sobre ele, eu gostaria de saber o que o inspirou a ser o que ele é, a anatomia de sua destreza, e não com quem ele esteve na noite passada...o que há de errado nisso...Eu sei que isso é o importante pra mim.


E ainda confessou algumas cirurgias plásticas:

Oprah: Quantas cirurgias plásticas você fez?

Michael: Muito, muito poucas, eu digo que você pode contar nos meus dois dedos, vamos fazer assim, se você quiser saber essas coisas, todas as pessoas do mundo, leiam meu livro Moonwalk está tudo no meu livro.
Você sabe,vamos levar por esse lado, se todas as pessoas de Hollywood que fizeram cirurgia plástica, se todos eles saíssem de férias, não teria uma só pessoa na cidade.

Oprah: Hmmm, Eu creio que você esteja certo.

Michael: Eu sei que estou certo. Ela ficaria tão vazia.

Oprah: Você começou a fazer cirurgias plásticas por causa da sua juventude por não gostar do caminho que aquilo seguia?

Michael: Não, não exatamente. Foram por apenas dois motivos. Sério, leia meu livro, não é uma má idéia.

Oprah: Você não quer falar disso comigo? Você mexeu no seu nariz, obviamente.

Michael: Sim, e fiz isso com muitas pessoas que conheço.

Oprah: E então, quando você escuta todas essas coisas sobre você, e sabe que existem mais.

Michael: Eu nunca mexi nas maçãs do meu rosto, nunca mexi nos meus olhos, nunca mexi nos meus lábios e todas essas coisas, eles mudaram sozinhos.

Oprah: Você está satisfeito com o rumo que...

Michael: Eu nunca estou satisfeito com nada, eu sou perfeccionista, faz parte de quem eu sou.

Oprah: Então quando você se olha no espelho agora e vê a sua imagem há dias em que você diz que gosta, ou que gosta de como seu cabelo...

Michael: Não, eu nunc...

Oprah: ...ou eu estou bonito hoje...

Michael: ...(risos)...bonito hoje...não, eu nunca estou satisfeito comigo mesmo. Não, eu tento não me olhar no espelho.


Falou também sobre sua dança sexy:

Oprah: Eu tenho que te perguntar isso, muitas mães em minha audiência me pediram para lhe fazer essa pergunta. Por que você pega seu "pau".

Michael: (risos) Por que eu seguro meu "pau".

Oprah: Você tem alguma coisa com seu "pau".

Michael: Eu acho que isso acontece subitamente. Quando você está dançando, sabe, você está apenas interpretando a música e os sons e o acompanhamento. Se existe uma base se há um ritmo, se há uma corda, você se torna uma emoção daquele som. Então se estou fazendo um movimento e "Bam" e eu me pego isso é...isso é a música que me força a fazer isso.
Não é um bom lugar para descer a mão, você não pensa sobre isso, isso apenas acontece. Muitas vezes eu olho na filmagem e digo..."Eu fiz isso?", então eu sou um escravo do ritmo...


Michael Jackson não bebia, não fumava e era, até a data dessa entrevista, provavelmente "virgem".

Oprah: Você sai, tem encontros?

Michael: Sim.

Oprah: Quem você encontra?

Michael: Bem agora é a Brooke Shields. Nós tentamos não estar em todo lugar, ir em todo lugar, geralmente é em casa. Ela vem aqui. Eu vou á casa dela, porque eu não gosto de sair em público.

Oprah: Você está apaixonado?

Michael: Sim.

Oprah: Por Brooke Shields?

Michael: Sim, e outra garota.

Oprah: E outra garota? Deixe-me perguntar isso, é muito vergonhoso pra mim te perguntar isso, mas perguntarei assim mesmo, você é virgem?

Michael: Uhhh... Como você me pergunta uma coisa dessa?

Oprah: Eu só queria saber.

Michael: Eu sou um cavalheiro.

Oprah: Você é um cavalheiro?

Michael: Eu sou um cavalheiro.

Oprah: Eu devo interpretar que você acredita que uma dama é uma dama e conseqüentemente...

Michael: Isso é uma coisa pessoal. Eu disse, disse que não deveria ser falado sobre minha privacidade. Você pode me perguntar sobre velhas modas se quiser, mas, sabe, eu digo que isso é muito pessoal.

Oprah: Então você não irá responder isso?

Michael: Eu estou envergonhado.


Em 1996, Michael gravou um clipe da música They Don´t Care About Us (Eles não ligam para nós) com participação do grupo musical Olodum no Pelourinho, Salvador, e na Favela do Morro Santa Marta, no Rio.


Eles não ligam para nós. Eles quem cara pálida? MJ tentando parecer subversivo.


A repórter Glória Maria, enviada pela TV Globo para cobrir o evento, conversou com o megastar sem gravar entrevista. Ela falou que ele parecia uma pessoa normal, frágil e doente. Devido à moléstia que afetou a pigmentação da pele de MJ. A cirurgia plástica no nariz, segundo Glória Maria, seria devido a um desvio do septo nasal que atrapalhava ele alcançar algumas notas. Conforme ela declarou na Globo News logo após a notícia do passamento do astro pop.


Declarações da repórter Glória Maria na época do clipe.

Em 2003, após uma incerta no rancho de Neverland, a polícia consegue um mandado de prisão contra o artista. MJ é acusado de molestar sexualmente Gavin Arvizo, um menino de 14 anos. O artista se entrega e é preso.

Em 2005, após um julgamento que durou cinco meses, o artista é inocentado de todas as acusações.

Durante as investigações, o perfil de Michael foi examinado por um profissional da saúde mental chamado Dr. Stan Katz; o médico também passou várias horas com o acusador. Em sua avaliação Dr. Katz disse que MJ tinha a mente de um garoto e não se encaixava no perfil de um pedófilo.

Depois do julgamento, MJ se muda para Dubai em meio a rumores sobre sua falência econômica.

Assim foi a vida de Michael Jackson, uma mistura da pessoa e da personagem. O compositor do We Are The World que pendurou o filho, um bebê, do lado de fora da sacada em um hotel, em Berlim, por alguns segundos. Com muitos mistérios e controvérsias até no dia de sua morte, a poucas semanas de iniciar uma série de shows, a que séria a última de sua carreira.

Michael acena com seu filho do lado de fora da sacada para os fãs
Como pode o filho de MJ ser tão branquinho? Será o mesmo problema do pai?


Existe até uma teoria de que haveria mais de 100 músicas gravadas por ele que só poderiam ser publicadas após sua morte (o que levou alguns fãs egoístas a desejarem o passamento do Rei do Pop só para ouvirem gravações inéditas).
Essa seria a vontade expressa por ele, de acordo com seu biógrafo Ian Halperin, e seria uma espécie de herança para seus filhos. Isso explicaria a quantidade de tempo que MJ ficou sem compor. Isso não seria por preguiça ou desinteresse e sim por MJ estar envolvido nesse projeto. Essa nota vista no site ScrapeTV.

Até a data deste post o resultado da necrópsia da causa mortis levaria semanas para sair devido a exigência de se fazer um exame toxicológico.

Oficialmente ele teria tido um infarto e amigos próximos relatavam estarem preocupados com o excesso de analgésicos que MJ estivera tomando.

Já adiantando as piadinhas post mortem:
Sabe o que aconteceu quando MJ chegou ao céu? Esconderam o menino Jesus.

Humor negro com vitiligo contado na Rádio CBN por Juca Kfouri.


A entrevista com a Oprah pode ser lida no original AQUI.
Para saber mais:
Os altos e baixos da carreira de Michael Jackson - Estadão
Michael Jackson - Wikipedia

Comentários

BLOGGER: 22
Loading...

$hide=/p/valores.html

[/fa fa-cloud/ Nuvem de categorias]$hide=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil A divulgar Abelha Acessibilidade acessório Acidente Acidentes Acústica Adágios Adestramento Administração adulto Aerodinâmica Aeronáutica África Agência Brasil Agência Fiocruz Agência Porvir Agência Senado Agência USP Agricultura Agropecuária AIDS Alcoolismo Alemanha Alerta Algoritmo Alimento Alzheimer Amazon Amazônia América Latina Análise Combinatória Anatomia Android Animação Animais de Estimação Animal Antropologia Apicultura App Apple Apresentação aquário Argentina Arqueologia arquitetura Arte Astrobiologia Astrofísica Astronomia Ativismo Áudio Audio FX Áustria Autismo Auto-ajuda Automobilismo Automóvel aventura Aviação Aviônica Bahia Balonismo Banco de Dados Beber e Dirigir biblioteconomia Bicicleta Biografia Biologia Biologia Marinha bioquímica Biotecnologia Bitcoin Blog Blogger Boato Bomba borderô de desconto Botânica BRASA BRASA Leads Brasil Brasília BRIC Browser Bugs CAD Calor Câmera lenta Campanha cardiologia Carnaval carreira Cartografia Casemods Caso Isabella Nardoni Caso Snowden Ceará Celebridades celular Células-Tronco Cérebro Charge China Cibercultura Ciclovia Cidadania Ciência Cinema Clip Cliparts Cloud computing Coaching Comédia competência Complemento de dois Comportamento Computação Computação em grade Computação forense Computação Gráfica Computação Móvel Comunicação e Marketing Concurso Concurso Cultural de Natal Concursos Público Concursos Públicos Conectômica Conferência Congresso em Foco Conspiração Consumidor Consumismo contabilidade Contos Copa do Mundo Cordel Coreia do Norte Coreia do Sul Corpo Coruja cosmética Cosmologia Crash Course Criança Criatividade Crime Crime Digital crise crise econômica crônica crônicas Cronologia CSS Cuba Culinária Cultura Curiosidades custos fixo custos variáveis Dança DAO Darwin Davos Debate Decoração demência Demografia Denúncia Dermatologia Desastre Natural Descoberta desconto duplicatas Desenho instrucional Desenvolvimento de jogos Design Design Instrucional Destaque Dia das Mães Dia do professor diabetes Dicas Didática Dieta diplomacia Direito Direito Eleitoral Direito Internacional Direito Tributário Direitos Humanos Disney Distrito Federal Documentário Doutorado download Drogas Drone Dubai e-Book e-governo EBC Ecologia Economia Editoração Eletrônica Educação Educação a Distância Educação Corporativa educação física Educação sexual Efeitos Sonoros Egiptologia Eleições Eleições 2014 Eleições 2018 Eletricidade eletrônica Embrapa empreendedorismo enciclopédia endocrinologia Enem Energia Energia Alternativa Energia Nuclear Engenharia Engenharia Agrícola Engenharia Civil Engenharia de materiais Engenharia de Software Engenharia Genética Engenharia Mecânica Enretenimento Ensino a Distância Ensino Superior Entomologia Entretenimento Entrevista Entrevista. Epidemiologia Epistemologia Equador Escândalo Escritório Espaço Espanha Espanhol Espeleologia Espetáculo Espionagem Esporte Estação Estágio Estatísticas estrutura de dados Ética EUA Europa Evento Evolução Exercícios físicos Exobiologia experiência fábulas Facebook Farmacologia Favo Feminismo Férias Ferramentas FIFA Filantropia Filmes Filosofia Finlândia Firefox Física Física Quântica Fisiologia Fisioterapia Flagrante Flamengo Folclore Fome Fonética Fonoaudiologia Fotografia Fotos em 360 graus França Francês frases Fraude Freeware Futebol Futurologia gadget Gafe Gastroenterologia Gastronomia Geek Genética Geofísica Geografia Geologia Geometria geopolítica Gerenciamento do Tempo Geriatria Gestão de Competências Gestão de Configuração Gestão de Pessoas Gestão de Projetos Gestão do conhecimento Ginecologia Glass Google Governo GPS Gradiente gramática Gravidez Grécia Grécia Antiga Guerra Guerra Civil Guinness H2 Haiti hardware História HIV Hololens homenagem Horologia HPV HTML Humor Humor Negro IBGE IBM ICIJ Idioma IHC ilo ilusão ilusionismo Imagem 3D Imagens Imagine Cup Império Romano Imprensa Impressora 3D Imunologia Incêndio Inclusão digital Índia Índios Infectologia Infográfico Informática Inglaterra Inglês Inovação Inspiração Inteligência Artificial intercâmbio Interface Interfaces Hápticas Internacional Internacionalização da Amazônia Internet Internet das Coisas Inundação Invenção Inventos iPad IPEA iphone Irã Iraque Israel Japão Java Java. jogos Jogos educativos Jogos Olímpicos Jornalismo Justiça Kinect Le Monde Diplomatique Brasil Le Monde Diplomatique Brasil Letras Lexicografia Liderança Life Hacking Linguística Literatura Livro Lógica Logística Loterias Lua Maçonaria Malásia Malvinas Malware Mapa Mário Sérgio Conti Marte Mastologia Matemática Matemática Financeira maternidade Mecânica Mecânica dos Fluidos Mecatrônica Medicina Medicina Esportiva Medicina Veterinária Meio Ambiente Mel melanoma Memória memorização Mente Mercado de Trabalho mercosul Mestrado meteorologia Metodologia Científica México Microbiologia Microsoft Mídia Social Militar Mineralogia Mistério MIT Mitologia Mobilidade Mobilidade Urbana MonaVie Montanhismo Moodle Mossad Motivação Movimento Maker MSF Mudança Climática Mulher Multimídia museu Música MVC Nanotecnologia Nasa Natação Natal Natureza Negócios Netflix Neurociência Neurologia Nicolelis Nordeste Noruega notícias Novidades Novo Enem Números Nutrição Obama Obesidade Observatório da Imprensa Obstetrícia Oceanografia odontologia Offshore Leaks oftalmologia Olimpíadas oncologia ONU Opinião Óptica Oracle Oriente Médio Orkut Ornitologia ortografia Ortopedia Ótica Otorrinolaringologia Oxfam Pacifismo Paginadores paleontologia Paquistão Pará Paraguai parkinson Passeio virtual Patinação Pedagogia Pediatria Pensamentos performance Periférico Pesca Pesquisa Petição Petrobrás Petróleo Photoshop Pirataria planilha de custo Playstation 3 Plebiscito Pneumologia Podcast Poesia Poítica Politica Política Portugal português Pós-graduação prazo médio Pré-sal Prêmio Nobel primatologia Primeira Guerra Mundial privacidade produtividade professor Hamilton Alves Programa Gratuito Programação Projeção Mapeada Projeto Truco Promoção Propaganda Psicanálise Psicologia Psicologia Animal Psiquiatria Pública publicidade Publieditorial Quadrinhos Quads Qualidade Qualidade de Vida química realidade aumentada realidade diminuída Realidade Misturada Realidade Virtual Reconhecimento de imagem Reconhecimento de voz Recorde Redação redes Referência Referendo Reforma Política Reino Unido Relacionamento Relações Internacionais Religião Responsabilidade Social Retrospectiva Review Rio 2016 Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul robótica Roda Viva Roma roteiro RSA Rússia Samsung Sanitarismo Santa Catarina São Paulo Saúde Savant Segunda Guerra Mundial Segurança Segurança da Informação Seleção Natural Séries serviço Serviço Online Sexologia sexualidade Show SIGGRAPH Simulação Singularity University Síria Sismologia Sistema operacional Sistemas de Numeração Sites de Busca Sociedade Sociologia Software Software Livre Sol Sono Sony SOPA Star Wars Suécia Sugestão de presentes Sun supercomputadores Sustentabilidade Tabagismo Taiwan Talento precoce taxa de juros efetiva taxa de juros nominal Taxas Equivalentes Taxidermia Teatro Técnicas de Estudo Tecnologia Tecnologia da Informação TED TED-Ed TedMed TEDx TEDx Rio+20 TEDxAmazônia TEDxAsaSul Telefonia Televisão Temas Tempo Tendências Teologia teoria das supercordas Terremoto Terrorismo Testes Tipologia Tomada de Decisão tradução Trânsito transporte tributo Trigonometria Tubarão Tunísia Turismo Tutorial Twitter Uber UFC UFG ufologia UFRJ Unicamp UNIFESP universidade Universidade Corporativa Universidade de Cambridge Universidade de Michigan Urbanismo Urologia USP Utilidade Pública Utilitário Vale Vaticano Veículo Autônomo Ventriloquismo Verão vestibular Vestimenta Vida Digital Vida Moderna Vida Selvagem Videogame Vídeos Vídeos 360 Violência Vírus Visão Computacional Vôlei Vulcanologia Watergate Política WCIT 2016 WCIT 2017 Web 2.0 Web Application Web Semântica Web Seminar webdesign Webinar widget WikiLeaks Wikipedia Windows Xadrez YouTube Zika Zoologia
false
ltr
item
Brasil Acadêmico: O Adeus a Michael Jackson
O Adeus a Michael Jackson
http://2.bp.blogspot.com/_cM2l6Y3Ulgg/SkVYJUPprVI/AAAAAAAAB7A/SiTIjuRApI0/s320/moonwalker.jpg
http://2.bp.blogspot.com/_cM2l6Y3Ulgg/SkVYJUPprVI/AAAAAAAAB7A/SiTIjuRApI0/s72-c/moonwalker.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2009/06/o-adeus-michael-jackson.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2009/06/o-adeus-michael-jackson.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Nenhuma artigo encontrado. VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTS Ver Todos Indicado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS ARTIGOS Nenhum artigo corresponde ao critério procurado Ir para Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir Este conteúdo é PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para o clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy