$hide=/p/valores.html

Piratas modernos

O Mini-documentário Piratas! mostra outra realidade por trás do caso dos piratas somalis. Afinal, quem são os verdadeiros piratas do Chifre ...

O Mini-documentário Piratas! mostra outra realidade por trás do caso dos piratas somalis. Afinal, quem são os verdadeiros piratas do Chifre da África?


Intrépidos... Aventureiros... Sedutores... Românticos... E também um pouco loucos.
As histórias de piratas cativaram-nos desde sempre na literatura, cinema e televisão.
A pirataria é tão antiga como a própria navegação.



Mas... o que é um pirata?
O pirata é um bandido que se dedica ao roubo e ao saque marítimo.
Apropria-se daquilo que não lhe pertence e fá-lo fortemente armado e à margem da lei.

Por vezes contam com a proteção de um estado ou nação e atuam em seu nome sob a cobertura do que antes era denominado "cartas de Corso".
Nesse caso denominavam-se "Corsários".


"Os piratas somalis ampliaram o seu raio de ação"
"São dois dos piratas"
"O exército tentou capturar os piratas"
"Finalmente a fragata 'Canárias' alcança o batel e captura os dois piratas"
"Cerca de 60 piratas partilharam os despojos de 2 milhões e meio de euros"
"Houve fogo no 'Inters-Um-Dois' repelindo os piratas"
"Temos 63 piratas a bordo de momento"
"Os trinta piratas estão armados, consomem álcool e são muito agressivos"
"O inferno da Somália"

Na atualidade, a pirataria na Somália assolapa os meios de comunicação.
Mas... existirá tal pirataria?
Em que consiste?
E... quem são realmente os piratas?
Para averiguá-lo é necessário retroceder até à origem:

"Piratas"

A Somália foi colonizada pela Itália e Inglaterra
Consegue a sua independência em 1960 mas o governo democrático dura tão somente 9 anos.
Em 1969 o ditador Mohamed Siad Barré lança um golpe de estado e forma governo.
Consegue-o com o apoio incondicional dos Estados Unidos.
E não em vão: Graças a isso as principais companhias petrolíferas ianques conseguem contratos importantes para explorar o petróleo existente no país.
Situada no Chifre da África, a Somália ocupa uma posição geo-estratégica fundamental para as rotas de transporte marítimo que unem a Europa e a Ásia.
Mais de 20.000 barcos de carga atravessam anualmente as suas costas através do Golfo de Áden, transportando mais de 10% do comércio mundial, e por ali transita também grande parte do petróleo extraído no Médio Oriente.
Há muito tempo que nações regionais e potências estrangeiras a disputavam como ponto estratégico para as rotas de transporte marítimo.
O mandado militar de Siad Barré prolonga-se até 1988 quando o Movimento Nacional Somali se revolta contra a sua ditadura.
O levantamento dá lugar a uma sangrenta guerra civil que se prolonga até 1991, ano em que Siad Barré se vê obrigado a abandonar o poder e a fugir do país.
Mas a sua saída não traz a paz.
Perante o vazio de poder, vários clãs defrontam-se entre si para tomarem o controle do país o que tem impedido a existência de um governo estável até a atualidade.
A guerra civil teve consequências devastadoras para o povo somali.
Mais de 300.000 mortos.
Um milhão e meio de refugiados e uma fome terrível que afeta todo o país agravada pela persistente seca.
Hoje em dia, o frágil governo apenas consegue o controle da capital.
Os confrontos entre as diferentes facções são constantes.
A violência, o caos e a anarquia reinam nas ruas da Somália que é considerada o país mais perigoso do mundo.
Aproveitando-se desta situação caótica sem controle nem governo um sem número de barcos de pesca procedentes de vários países começam a pescar sem nenhuma licença nas águas em frente à Somália.
Incluindo as suas águas territoriais.
Estes barcos, procedentes dos EUA, Ásia e da União Europeia praticam um tipo de pesca denominada: I.U.U.
Pesca ilegal, não declarada, não regulada.
A sua incessante e descontrolada atividade usando artes de pesca proibidas noutras regiões do planeta está a acabar com as reservas pesqueiras de um país que carece de autoridade e meios para proteger as suas costas.
Na atualidade, mais de 800 barcos de diferentes países pescam na zona.
Estima-se que os lucros anuais gerados pela pesca ilegal ascendem a mais de 450 milhões de dólares.
A pesca de atum sofreu um vertiginoso e insustentável incremento nos últimos 10 anos.
Só a frota do atum, composta fundamentalmente pela Espanha, com 60% das capturas e pela França, com 40% captura na Somália umas 500.000 toneladas de atum por ano.
As frotas pesqueiras das grandes potências com a União Europeia encabeçando contribuem desta maneira para o empobrecimento de uma das regiões mais miseráveis do mundo.
Roubam a principal fonte de proteínas da sua população e acabam com a forma de vida e sustentos dos pescadores locais.
Desta forma, condena-se sem remédio a um país frágil que agoniza e morre de fome.
Desde 1990 que a comunidade somali vem protestado reiteradamente na ONU e em diversos organismos internacionais.
Os seus protestos nunca foram escutados nem atendidos.
O grupo de supervisão para a Somália das Nações Unidas também constatou e alertou nos seus relatórios sobre a depredação sistemática da zona levada a cabo por frotas de pesca estrangeiras.
A ONU tampouco ouviu os seus próprios supervisores e não fez absolutamente nada para deter o saque.
Mas o pesadelo não termina aqui.
Desde a queda do governo, em 1991outros barcos começaram a aparecer também na costa somali.
A sua atividade é mais misteriosa.
Os barcos entram nas suas águas territoriais vertem barris no mar e abandonam o lugar.
Esta atividade suspeita alerta os pescadores somalis
Os quais tentam dissuadir os cargueiros que realizam os derrames.
Mas não têm êxito.
Os derrames continuam durante 14 anos.

O conteúdo desses barris é um mistério até finais de 2004.
Ano em que um terrível tsunami assola o sudeste asiático.


Quando a onda do tsunami chega à Somália centenas de barris são arrastados contra a costa. Os barris rompem-se. Há vazamentos. O conteúdo vai à superfície e termina nas praias.
A gente da zona começa a adoecer. Infecções das vias respiratórias
Hemorragias intestinais... estranhas reações químicas na pele e mais de 300 mortes repentinas causam alarme entre a povoação.
Após algum tempo ocorrem nascimentos com malformações e diversas enfermidades.
Nick Nuttall, porta-voz do programa do meio-ambiente das Nações Unidas, explicou que quando as embalagens se romperam pela força das ondas os contentores trouxeram à luz uma atividade espantosa:

"A Somália está a ser utilizada como vertedouro de resíduos perigosos desde o início dos anos 90, e continuou desde a guerra civil não-resolvida nesse país.
O lixo é das mais diversas classes: há resíduos radioactivos de urânio, o lixo principal, e metais pesados como Cádmio e Mercúrio.
Também há lixo industrial, resíduos hospitalares, lixo de substâncias químicas e o que se queira nomear.
O mais alarmante aqui é que se está a descarregar lixo nuclear.
O lixo radioativo está matando potencialmente os somalis e está a destruir totalmente o oceano".

Ahmedou Ould Abdallah, representante especial do ONU na Somália, declarou à Al-Jazeera que as descargas de resíduos tóxicos continuam a acontecer na atualidade.
O diplomata afirmou que possuía informações fidedignas de que são corporações europeias e asiáticas as que estão a despejar químicos e resíduos nucleares nas costas da Somália.

Sim, as Nações Unidas enviaram os seus representantes para constatar a catástrofe.
E sem embargo, o capítulo foi encerrado.
Por ora não existiu um único despacho judicial, detenção ou condenação por estes atos criminosos.

E isto não ocorre unicamente na Somália.
As águas de outros países africanos como a Costa do Marfim, Nigéria, Congo ou Benim também são usadas como vertedouros tóxicos pelos países industrializados.
Unicamente no ano 2011, chegaram a África 600.000 toneladas de resíduos tóxicos.
O continente africana converteu-se na lixeira de resíduos radioativos gerados pelos países ricos.

Um país devastado que morre de fome. Os países ricos correm para lhes arrebatar a pesca e de passagem contaminar as suas águas com lixo tóxico e nuclear.
Este é o contexto em que apareceram os homens que alguns meios de comunicação denominam de "piratas".

Perante esta situação de absoluta impotência alguns pescadores reagiram de uma maneira desesperada.
Começaram a aliar-se em pequenos grupos armados e usando lanchas rápidas tentam afugentar os barcos pesqueiros estrangeiros e dissuadir os navios que despejam resíduos nas suas águas.
"Há muitos anos conseguíamos pescar muitíssimo... o suficiente para comer e para vender no mercado.
Mas depois chegaram os navios estrangeiros de pesca ilegal que muitas vezes despejam produto tóxicos que dizimam as reservas pesqueiras. Não me restou alternativa."
Chamam-se a si mesmos os "Guarda-Costas Voluntários da Somália" e contam com o total apoio da população local.
Segundo uma pesquisa, 70% da população somali apoia fortemente esta atividade como um meio de defesa das águas territoriais do país.

Um dos seus líderes, Sugule Alí, explicou os seus motivos:

- Parar a pesca ilegal e as descargas nas nossas águas. Não nos consideramos bandidos do mar. Consideramos que os bandidos do mar são os que pescam ilegalmente e despejam lixo.


Mas inicialmente ninguém os leva a sério.
As frotas pesqueiras estrangeiras continuam a pescar impunemente e as descargas tóxicas continuam.
Tendo em conta que tudo isto ocorre num país cheio de armas e dividido em grupos rivais a estes pescadores rapidamente se unem ex-combatentes e acabam convertendo-se em grupos fortemente armados.
Pressentem um lucrativo negócio na captura destes barcos e na exigência de um resgate.

Quando começam a reter barcos a zona vai se esvaziando e as frotas estrangeiras deixam de chegar com tanta frequência.

As grandes potências vêem agora ameaçada a sua atividade de pesca lucrativa e vêem-se privados do seu particular e muito econômico vertedouro de resíduos tóxicos e nucleares.

A ONU, que ignorou sistematicamente as reclamações somalis agora atende às reclamações dos países afetados por estas ações.
Espanha e França, países com importantes frotas pesqueiras na zona, encabeçam uma petição de uma reação militar conjunta.
Desta maneira nasce a Operação Atalanta.
A missão dispões inicialmente de 8 vasos de guerra, barcos de abastecimento e aviões de reconhecimento e vigilância.
Após o fracasso inicial da operação, é ampliado o seu prazo e dotação, com mais de 20 navios e 1.800 militares.

O custo estimado para o governo espanhol ascende a mais de 6 milhões de euros mensais.
A segurança privada dos atuneiros galegos e bascos ascende a meio milhão de euros mensais.
O governo espanhol suporta metade desse custo por intermédio do Orçamento de Estado.
Recordemos a definição de pirata:

Roubam no mar, apropriando-se do que não lhes pertence.
Realizam as suas ações fortemente armados.
E em algumas ocasiões contam com a proteção de um Estado ou de uma Nação.

Mas... Por que razão pescam ali estas frotas?
Não poderiam por acaso fazê-lo nas suas águas territoriais?
No seus oceanos?
Não. E a causa é terrível
Já não resta nada que pescar.
Devastaram e saquearam todas as suas reservas.
Os países ricos exterminaram a vida marinha dos seus próprios oceanos.
Os sistemas de pesca dos países capitalistas industrializaram-se.
Os ecossistemas marinhos são explorados até ao limite com o intuito de maximizar os lucros.

Destrói-se a capacidade de regeneração das espécies marinhas
A cadeia alimentar é quebrada e as espécies extinguem-se.
Como denuncia a Greenpeace International pelo menos um quarto de todas as criaturas marinha capturadas são atiradas de volta ao mar, mortas.
Baleias, golfinhos, ... albatrozes, ... tartarugas.

São o que a indústria pesqueira denomina frivolamente de capturas acessórias.
Desde os mares do Norte ao Golfo da Biscaia, o Cantábrico e o Mediterrâneo esgotou-se e destruiu-se o habitat da maioria das espécies.
O professor de História do Pensamento Político, José Carlos García Fajardo, afirma:

"Por isso as nossas frotas europeias foram à procura das ricas reservas de África, América Latina e Ásia.
Em muitos países serviram-se de governantes sem escrúpulos, da falta de meios para defender a pesca nas suas próprias águas ou de falsas joint ventures criadas para roubar as suas riquezas.
No ano de 2006, tendo em vista proteger os seus recursos naturais, o Senegal não renovou os acordos pesqueiros com os países da União Europeia.
Mas parece impossível deter as frotas pesqueiras capitalistas.
Estas burlam as leis criando joint ventures, comprando licenças de outros países e agitando bandeiras de conveniência.
Atualmente, através da Internet pode-se comprar uma bandeira de conveniência em alguns minuto e por menos de 500 euros.
No Senegal, os barcos de pesca deixaram de ser úteis para a sua finalidade original e são agora usados para transportar imigrantes que procuram um futuro melhor em países europeus.
Ironicamente os mesmos países que lhes arrebataram o seu futuro.
Na Somália, os barcos deixaram de ser úteis para a pesca e são usados agora para a pirataria.

A Conferência Global dos Oceanos anunciou que 75% dos bancos de pesca mundiais desapareceram.


A FAO também alertou que 80% das reservas mundiais estão sobreexplorados e 30% das espécies marinhas se encontram abaixo do limite biológico de segurança.
Por tudo isso, diversos estudos científicos calculam que no ano 2048 estarão esgotados todos os recursos pesqueiros do planeta.

[Via BBA]

Comentários

BLOGGER: 4
Loading...

$hide=/p/valores.html

[/fa fa-cloud/ Nuvem de categorias]$hide=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil A divulgar Abelha Acessibilidade acessório Acidente Acidentes Acústica Adágios Adestramento Administração adulto Aerodinâmica Aeronáutica África Agência Brasil Agência Fiocruz Agência Porvir Agência Senado Agência USP Agricultura Agropecuária AIDS Alcoolismo Alemanha Alerta Algoritmo Alimento Alzheimer Amazon Amazônia América Latina Análise Combinatória Anatomia Android Animação Animais de Estimação Animal Antropologia Apicultura App Apple Apresentação aquário Argentina Arqueologia arquitetura Arte Astrobiologia Astrofísica Astronomia Ativismo Áudio Audio FX Áustria Autismo Auto-ajuda Automobilismo Automóvel aventura Aviação Aviônica Bahia Balonismo Banco de Dados Beber e Dirigir biblioteconomia Bicicleta Biografia Biologia Biologia Marinha bioquímica Biotecnologia Bitcoin Blog Blogger Boato Bomba borderô de desconto Botânica BRASA BRASA Leads Brasil Brasília BRIC Browser Bugs CAD Calor Câmera lenta Campanha cardiologia Carnaval carreira Cartografia Casemods Caso Isabella Nardoni Caso Snowden Ceará Celebridades celular Células-Tronco Cérebro Charge China Cibercultura Ciclovia Cidadania Ciência Cinema Clip Cliparts Cloud computing Coaching Comédia competência Complemento de dois Comportamento Computação Computação em grade Computação forense Computação Gráfica Computação Móvel Comunicação e Marketing Concurso Concurso Cultural de Natal Concursos Público Concursos Públicos Conectômica Conferência Congresso em Foco Conspiração Consumidor Consumismo contabilidade Contos Copa do Mundo Cordel Coreia do Norte Coreia do Sul Corpo Coruja cosmética Cosmologia Crash Course Criança Criatividade Crime Crime Digital crise crise econômica crônica crônicas Cronologia CSS Cuba Culinária Cultura Curiosidades custos fixo custos variáveis Dança DAO Darwin Davos Debate Decoração demência Demografia Denúncia Dermatologia Desastre Natural Descoberta desconto duplicatas Desenho instrucional Desenvolvimento de jogos Design Design Instrucional Destaque Dia das Mães Dia do professor diabetes Dicas Didática Dieta diplomacia Direito Direito Eleitoral Direito Internacional Direito Tributário Direitos Humanos Disney Distrito Federal Documentário Doutorado download Drogas Drone Dubai e-Book e-governo EBC Ecologia Economia Editoração Eletrônica Educação Educação a Distância Educação Corporativa educação física Educação sexual Efeitos Sonoros Egiptologia Eleições Eleições 2014 Eleições 2018 Eletricidade eletrônica Embrapa empreendedorismo enciclopédia endocrinologia Enem Energia Energia Alternativa Energia Nuclear Engenharia Engenharia Agrícola Engenharia Civil Engenharia de materiais Engenharia de Software Engenharia Genética Engenharia Mecânica Enretenimento Ensino a Distância Ensino Superior Entomologia Entretenimento Entrevista Entrevista. Epidemiologia Epistemologia Equador Escândalo Escritório Espaço Espanha Espanhol Espeleologia Espetáculo Espionagem Esporte Estação Estágio Estatísticas estrutura de dados Ética EUA Europa Evento Evolução Exercícios físicos Exobiologia experiência fábulas Facebook Farmacologia Favo Feminismo Férias Ferramentas FIFA Filantropia Filmes Filosofia Finlândia Firefox Física Física Quântica Fisiologia Fisioterapia Flagrante Flamengo Folclore Fome Fonética Fonoaudiologia Fotografia Fotos em 360 graus França Francês frases Fraude Freeware Futebol Futurologia gadget Gafe Gastroenterologia Gastronomia Geek Genética Geofísica Geografia Geologia Geometria geopolítica Gerenciamento do Tempo Geriatria Gestão de Competências Gestão de Configuração Gestão de Pessoas Gestão de Projetos Gestão do conhecimento Ginecologia Glass Google Governo GPS Gradiente gramática Gravidez Grécia Grécia Antiga Guerra Guerra Civil Guinness H2 Haiti hardware História HIV Hololens homenagem Horologia HPV HTML Humor Humor Negro IBGE IBM ICIJ Idioma IHC ilo ilusão ilusionismo Imagem 3D Imagens Imagine Cup Império Romano Imprensa Impressora 3D Imunologia Incêndio Inclusão digital Índia Índios Infectologia Infográfico Informática Inglaterra Inglês Inovação Inspiração Inteligência Artificial intercâmbio Interface Interfaces Hápticas Internacional Internacionalização da Amazônia Internet Internet das Coisas Inundação Invenção Inventos iPad IPEA iphone Irã Iraque Israel Japão Java Java. jogos Jogos educativos Jogos Olímpicos Jornalismo Justiça Kinect Le Monde Diplomatique Brasil Le Monde Diplomatique Brasil Letras Lexicografia Liderança Life Hacking Linguística Literatura Livro Lógica Logística Loterias Lua Maçonaria Malásia Malvinas Malware Mapa Mário Sérgio Conti Marte Mastologia Matemática Matemática Financeira maternidade Mecânica Mecânica dos Fluidos Mecatrônica Medicina Medicina Esportiva Medicina Veterinária Meio Ambiente Mel melanoma Memória memorização Mente Mercado de Trabalho mercosul Mestrado meteorologia Metodologia Científica México Microbiologia Microsoft Mídia Social Militar Mineralogia Mistério MIT Mitologia Mobilidade Mobilidade Urbana MonaVie Montanhismo Moodle Mossad Motivação Movimento Maker MSF Mudança Climática Mulher Multimídia museu Música MVC Nanotecnologia Nasa Natação Natal Natureza Negócios Netflix Neurociência Neurologia Nicolelis Nordeste Noruega notícias Novidades Novo Enem Números Nutrição Obama Obesidade Observatório da Imprensa Obstetrícia Oceanografia odontologia Offshore Leaks oftalmologia Olimpíadas oncologia ONU Opinião Óptica Oracle Oriente Médio Orkut Ornitologia ortografia Ortopedia Ótica Otorrinolaringologia Oxfam Pacifismo Paginadores paleontologia Paquistão Pará Paraguai parkinson Passeio virtual Patinação Pedagogia Pediatria Pensamentos performance Periférico Pesca Pesquisa Petição Petrobrás Petróleo Photoshop Pirataria planilha de custo Playstation 3 Plebiscito Pneumologia Podcast Poesia Poítica Politica Política Portugal português Pós-graduação prazo médio Pré-sal Prêmio Nobel primatologia Primeira Guerra Mundial privacidade produtividade professor Hamilton Alves Programa Gratuito Programação Projeção Mapeada Projeto Truco Promoção Propaganda Psicanálise Psicologia Psicologia Animal Psiquiatria Pública publicidade Publieditorial Quadrinhos Quads Qualidade Qualidade de Vida química realidade aumentada realidade diminuída Realidade Misturada Realidade Virtual Reconhecimento de imagem Reconhecimento de voz Recorde Redação redes Referência Referendo Reforma Política Reino Unido Relacionamento Relações Internacionais Religião Responsabilidade Social Retrospectiva Review Rio 2016 Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul robótica Roda Viva Roma roteiro RSA Rússia Samsung Sanitarismo Santa Catarina São Paulo Saúde Savant Segunda Guerra Mundial Segurança Segurança da Informação Seleção Natural Séries serviço Serviço Online Sexologia sexualidade Show SIGGRAPH Simulação Singularity University Síria Sismologia Sistema operacional Sistemas de Numeração Sites de Busca Sociedade Sociologia Software Software Livre Sol Sono Sony SOPA Star Wars Suécia Sugestão de presentes Sun supercomputadores Sustentabilidade Tabagismo Taiwan Talento precoce taxa de juros efetiva taxa de juros nominal Taxas Equivalentes Taxidermia Teatro Técnicas de Estudo Tecnologia Tecnologia da Informação TED TED-Ed TedMed TEDx TEDx Rio+20 TEDxAmazônia TEDxAsaSul Telefonia Televisão Temas Tempo Tendências Teologia teoria das supercordas Terremoto Terrorismo Testes Tipologia Tomada de Decisão tradução Trânsito transporte tributo Trigonometria Tubarão Tunísia Turismo Tutorial Twitter Uber UFC UFG ufologia UFRJ Unicamp UNIFESP universidade Universidade Corporativa Universidade de Cambridge Universidade de Michigan Urbanismo Urologia USP Utilidade Pública Utilitário Vale Vaticano Veículo Autônomo Ventriloquismo Verão vestibular Vestimenta Vida Digital Vida Moderna Vida Selvagem Videogame Vídeos Vídeos 360 Violência Vírus Visão Computacional Vôlei Vulcanologia Watergate Política WCIT 2016 WCIT 2017 Web 2.0 Web Application Web Semântica Web Seminar webdesign Webinar widget WikiLeaks Wikipedia Windows Xadrez YouTube Zika Zoologia
false
ltr
item
Brasil Acadêmico: Piratas modernos
Piratas modernos
http://1.bp.blogspot.com/-bvsObxjeFrA/TsLJphfeBaI/AAAAAAAAHj8/mYoF5vjEYO4/s400/piracy.jpg
http://1.bp.blogspot.com/-bvsObxjeFrA/TsLJphfeBaI/AAAAAAAAHj8/mYoF5vjEYO4/s72-c/piracy.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2011/11/piratas-modernos.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2011/11/piratas-modernos.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Nenhuma artigo encontrado. VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTS Ver Todos Indicado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS ARTIGOS Nenhum artigo corresponde ao critério procurado Ir para Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir Este conteúdo é PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para o clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy