$hide=/p/valores.html

Steve Jobs: O gênio malvado

Jobs nem era para ser Jobs. Ele foi dado para adoção pouco após o nascimento e batizado com o sobrenome dos pais adotivos. Talvez essa rejei...

Jobs nem era para ser Jobs. Ele foi dado para adoção pouco após o nascimento e batizado com o sobrenome dos pais adotivos. Talvez essa rejeição tenha sido preponderante para o seu aparente egoísmo, sua notória arrogância e eterna busca da perfeição.



Steve Jobs nasceu em São Francisco, em 1955, e era filho de Joanne Schieble (mais tarde Simpson) e do imigrante sírio Abdulfattah John Jandali. Escapou, portanto, de se chamar Steve Simpson ou John Jandali Jr.



Sem dúvida, um ótimo lugar para um dos futuros líderes da indústria da tecnologia nascer, já que é bem próxima do Vale do Silício.

Os seus pais biológicos deram-no para adoção, logo após o nascimento, pois não podiam proporcionar a ele condições para que Steve se formasse na universidade. Embora exista outra versão que conta que, na verdade, o pai de Joanne não queria o casamento e então ela teria decidido dar o bebê para adoção.

Na época estudantes, vieram a se casar mais tarde e Joanne se tornou fonoaudióloga e Abdulfattah virou professor de ciências políticas. Tiveram então uma filha: A romancista Mona Simpson.

O fato é que houve essa condição para que Paul e Clara Hagopian Jobs (um maquinista e uma contabilista) pudessem adotá-lo: que ele entrasse na universidade. Seu pais adotivos lhe deram o nome de Steven Paul.

Em 1971, um amigo em comum, Bill Fernandez, apresentou Steve Wozniak, 21, a Steve Jobs, 16.



Jobs frequentou a Cupertino Junior High e a Homestead High School, em Cupertino, Califórnia. Depois da escola assistia palestras na empresa Hewlett-Packard em Palo Alto, Califórnia e mais tarde foi contratado lá, trabalhando com Wozniak em um emprego de verão. Nesse momento Jobs respirava silício.

Em 1972, entrou para a Reed College em Portland, Oregon e, depois de 6 meses, se viu obrigado a abandonar a universidade, devido aos seus elevados custos.

Ele continuou nas aulas em Reed como ouvinte, enquanto dormia no chão do quarto de amigos. Vendia cascos de Coca-cola para arrumar dinheiro para comer e pegava refeições semanais gratuitas no templo Hare Krishna local. Jobs mais tarde disse:

Se eu não tivesse feito aquele único curso de caligrafia no college, o Mac nunca teria tido múltiplos ‘typefaces’ e fontes proporcionalmente espaçadas.


No Outono de 1974, Jobs retornou para a Califórnia e começou a freqüentar reuniões do Homebrew Computer Club, com Wozniak. Ele aceitou um emprego como técnico na Atari, fabricante do popular videogame, mas visando poupar dinheiro para um retiro espiritual na Índia. Nesse ponto Jobs respirava incenso.

Viajou para a Índia para visitar o guru Neem Karoli Baba em seu Ashram Kainchi com um amigo da faculdade Reed, Daniel Kottke (mais tarde, o primeiro funcionário da Apple), em busca de iluminação espiritual. Ele já voltou um budista, com a cabeça raspada e vestindo roupa tradicional indiana.

Durante este tempo, Jobs teve experiências com drogas psicodélicas, chamando sua experiências com LSD "uma das duas ou três coisas mais importantes [que tinha] feito em [sua] vida". Nesse altura Jobs respirava... deixa para lá.

Mais tarde, ele disse que as pessoas ao seu redor que não compartilhavam as raízes de sua contracultural não poderiam compreender totalmente o seu pensamento.

Jobs retornou ao seu trabalho anterior na Atari e a ele foi dada a tarefa de criar uma placa de circuito para o jogo Breakout (que deu origem ao Arkanoid). De acordo com Nolan Bushnell fundador da companhia, a Atari havia oferecido US $ 100 para cada chip que foi eliminada na máquina. Jobs tinha pouco interesse ou conhecimento em circuito de design da placa, mas fez um acordo com Wozniak para dividir o bônus igualmente entre eles se Wozniak pudesse minimizar o número de chips. Para o espanto da Atari, Wozniak reduziu o número de chips em 50, um projeto tão apertado que era impossível de reproduzir em uma linha de montagem.

De acordo com Wozniak, Jobs disse que a Atari tinha dado a eles apenas US$ 700 (em vez dos US$ 5 mil) e que a parte de Wozniak foi, portanto, US$ 350.

Inventou na garagem dos pais ao lado do amigo, Steve Wozniak, o que viria a ser o primeiro computador pessoal do mundo: o Apple.



Em 1976, Steve Jobs e Steve Wozniak fundam a Apple Computer com US$250.000 de investimento provenientes do ‘angel investor’ Mike Markkula. Três anos depois, já acumulavam 100 milhões de dólares. Sobre o episódio, Jobs observou:

Fomos a Atari e dissemos ‘Ei, nós temos esta coisa fenomenal, construída até com partes desenvolvidas por vocês, e o que pensam acerca de nos financiarem? Ou então podem ter isto de graça. Nós só queremos acabá-la. Paguem-nos um salário e nós trabalharemos para esta companhia.’ E eles disseram ‘Não.’ Então fomos à Hewlett-Packard e eles disseram ‘Não precisamos de vocês. Vocês nem sequer acabaram os estudos.’


Como os negócios cresciam sem parar, a empresa começou a procurar um executivo experiente para ajudar a gerenciar sua expansão. Em 1978, a Apple recrutou Mike Scott da National Semiconductor para servir como CEO. Sua gestão foram anos turbulentos.



Nesse mesmo ano, nasce sua filha Lisa Brennan-Jobs, filha de um caso com a pintora Chris-Ann Brennan. Quando Brennan-Jobs nasceu, Jobs se recusou a reconhecer a paternidade, dizendo em documentos judiciais que ele não poderia ser pai de Lisa, porque ele era "estéril e infértil, e, portanto, não teria capacidade física para procriar uma criança."



Porém, naquele mesmo ano a Apple lança o revolucionário computador LISA, jurando que o nome era o acrônimo de Local Integrated Software Architecture (Seria cinismo por parte de Jobs? Uma maneira perversa de se vingar da mãe de sua filha?). O primeiro computador pessoal a ter interface gráfica e mouse. Essa interface foi inspirada nas estações de trabalho Xerox. Uma prévia demonstração da tecnologia foi vista por Jobs numa polêmica visita ao PARC da Xerox Corporation, o que lhe rendeu algumas acusações sem provas concretas de espionagem industrial.



Apesar de revolucionário para a época, o Lisa foi um enorme fracasso comercial. Lançado custando quase 10 mil dólares, em uma época em que 96 KB de RAM eram considerados uma extravagância, parte importante do preço do Lisa (e do seu fracasso) pode ser atribuída ao seu excesso de memória. A título de comparação, em 1990 ainda se vendiam computadores com menos memória que o Lisa proporcionava 7 anos antes.

Steve Jobs, co-fundador da Apple, participou de seu desenvolvimento até 1982, quando juntou-se ao projeto Macintosh.



Em 1983, Steve Jobs atraiu John Sculley da Pepsi-Cola para servir ser o CEO da Apple, perguntando:

Você quer vender água com açúcar para o resto de sua vida, ou você quer vir comigo e mudar o mundo?




Em 1984, a Apple lançou o Macintosh, o primeiro e único computador geral com recursos de desenho, tipografia, além de uma interface gráfica abundante. O lançamento do computador foi feito com um grande estardalhaço através de uma campanha publicitária exibida nos intervalos do Super Bowl, evento que atinge picos de audiência enormes. Este comercial de TV foi emblemático pela sua ideia criativa e já demonstrava uma certa disputa entre Apple e IBM. O comercial faz uma analogia ao livro de ficção científica homônimo de George Orwell "1984", ficando subentendido que a IBM seria o Big Brother em questão.

No mesmo ano em que a BusinessWeek apelidou Jobs e Sculley de ‘Dupla Dinâmica’ a relação entre os dois começara a se deteriorar. Sculley descobriu que Jobs tentou livrar-se dele com manobras de bastidor. Jobs é expulso da Apple pelo homem que ele contratou. E forma a NeXT, uma companhia que tenta desenvolver um computador que iria revolucionar os mercados da educação superior e administração.

Os computadores não foram um grande sucesso de mercado e saíram de linha. Mas o sistema operacional não. Conhecido como "Mach", o sistema possuía uma interface gráfica denominada "NexTStep", famosa por sua facilidade de uso e beleza.



Em 1986, Jobs compra a empresa de entretenimento Pixar Animation Studios de George Lucas. A propósito desse momento, este disse:

Não temos muitas oportunidades, mas quando as temos devemos ser excelentes no que fazemos. Isto é a nossa vida… A vida é breve e depois morremos…


A companhia era uma divisão da Lucasfilm, a Graphics Group, liderada pelo Dr. Edwin E. Catmull do New York Institute of Technology. A Graphics Group criou softwares de computação gráfica e colaborou com a Industrial Light & Magic na criação de alguns efeitos visuais, principalmente nos filmes Star Trek II: The Wrath of Khan e Young Sherlock Holmes.

A companhia foi comprada por Jobs por US$10 milhões, se estabelecendo como uma companhia independente, com Catmull como presidente e Jobs como CEO. Dados os últimos sucessos da companhia, a venda da Lucasfilm foi descrita pela revista Total Film em 2004 como a 6ª "decisão mais idiota na história do cinema".

A companhia foi rebatizada "Pixar", um pseudo-verbo em espanhol que significaria "fazer pixels".

No princípio a Pixar era uma companhia de hardware, com seu produto primário sendo o computador Pixar Image Computer. Um dos maiores compradores do computador era a Walt Disney Pictures, que mais tarde em colaboração com a Pixar desenvolveu o CAPS, um software que permitia colorizar animação tradicional no computador. O Image Computer nunca fez muito sucesso, e para tentar alavancar vendas, um dos empregados, John Lasseter, produzia curtas animados como Luxo Jr. que mostravam as capacidades do aparelho. Depois a divisão de animação passou a fazer comerciais. Mas Jobs gastava tanto dinheiro na companhia, que só desconsiderou a idéia de vendê-la em 1991, quando após demissões em massa a Pixar assinou um contrato com a Disney por US$26 milhões para fazer três longas animados, o primeiro sendo Toy Story, lançado nos cinemas em 1995.

Talvez o Brasil tenha ajudado Jobs a sair do vermelho devido ao desenvolvimento da animação digital Cassiopéia.


A polêmica foi lançada quando a Disney ficou sabendo que Cassiopéia estava sendo produzido no Brasil (estava com 40 minutos prontos), investiram US$ 50 milhões para sair na frente. Lançaram uma forte campanha de marketing, dizendo que Toy Story (EUA, 1995) era o primeiro filme totalmente criado em computador. Isso não era verdade, a Disney usou modelos em argila para criação antes do computador, Cassiopéia não, houve um cuidado especial na produção, em não importar qualquer tipo de informação externa para dentro do computador, pois isto tiraria a primazia de ser o primeiro trabalho do mundo em longa-metragem totalmente produzido através de computador. Esta é a principal diferença entre os dois filmes, assim, Cassiopéia é considerado o primeiro do gênero no mundo inteiro, representa um marco na animação computadorizada e na cinematografia brasileira e mundial, visto que desenvolveu conceitos próprios neste tipo de produção. Cassiopéia é portanto, o PRIMEIRO LONGA-METRAGEM PURAMENTE VIRTUAL DO MUNDO.
Museu da Computação e Informática


Em 1996 a Apple, que estava desenvolvendo um novo sistema operacional, comprou de Steve Jobs a NeXT Computer para poder utilizar o NeXTStep como base para o seu novo sistema operacional, o Mac OS X. Com esta operação, Jobs retornou para a Apple, tornando-se novamente o seu CEO.

O meu papel não é ter mão leve com os empregados. A minha função é fazê-los melhor.


A companhia foi salva da falência a tempo com a venda de 40% das ações à rival Microsoft, com uma ideia e um produto criativo de impacto introduzindo o iMac em 1998 com o novo sistema operacional, o Mac OS 9. Com o passar dos anos a Apple readquiriu as ações que a Microsoft comprara.



Por que nesse ponto a Microsoft estava melhor que a Apple? Talvez porque a MS sempre teve um sistema operacional aberto para que vários fabricantes de computadores pudessem usá-lo. Já a Apple apostava que o computador e SO deveriam ser integrados de forma a garantir a qualidade além de torná-los bem amigáveis.

Assim seus computadores eram caros, o que não fazia a cabeça dos diretores de empresa, já que sempre haveria equipes de suporte nas empresas. Mas com o tempo o perfil dos compradores de computadores pessoais viria a mudar e aí a visão da Apple de aliar qualidade à facilidade de uso e design começou a conquistar cada vez mais adeptos fora do nicho tradicional do applemaníacos.

Com seu alto nível de exigência, Jobs passou a ser conhecido como um chefe implacável, que podia demitir um funcionário no elevador caso ele não tivesse na ponta da língua resposta sobre um produto em desenvolvimento na companhia. Em outras situações de trabalho, era comum que os colaboradores fossem interrompidos logo que pronunciavam as primeiras palavras de um raciocínio: "Já entendi. Mas o que penso sobre esse assunto é o seguinte..."

Em 2001, foi lançado o iPod, um reprodutor portátil de música, uma espécie de walkman para a geração MP3. Integrado com uma loja de venda de música online (iTunes) o iPod conquistou o público pela sua simplicidade e modernidade e recolocou a marca Apple. Agora ela era uma empresa de eletrônicos e conteúdo. E não apenas de computadores.

Em 2004, Jobs submete-se a uma intervenção cirúrgica para tratar de um câncer de pâncreas.

Ele tinha um jeito de examinar minhas ideias e dizer: 'Isto não é bom, isto não é muito bom, gosto disso'. E depois eu me sentava na plateia e ele falava daquilo como se fosse ideia sua. Presto uma atenção insana para entender de onde vem uma ideia, a ponto de encher cadernos com minhas ideias. Por isso dói quando ele assume a autoria de um dos meus designs.
Jonathan Ive. Chefe do Departamento de Design da Apple, em relato na biografia de Jobs.


Em 2007 a Apple lança o iPhone. Um smartphone (celular com funções de computador pessoal) com tela multi-touch.


De Simpson para Simpson


Em 2010, A Apple lança o iPad touchscreen tablet, que rapidamente se torna num dos produtos mais populares da companhia. Em menos de dois anos, quase 30 milhões de unidades foram vendidas.

Quando se inova, por vezes cometemos erros. A melhor atitude é admitir o erro e continuar a trabalhar para melhorar outras inovações.


Em 2011, Jobs se afasta da empresa. A Apple caminhará sob comando de Tim Cook, antigo chefe de operações da companhia, que assumiu o cargo de CEO no final de agosto. Um dia depois do afastamento de Jobs, as ações da companhia caíram cerca de 2%.

No dia 05, Jobs não respira mais. Mas seu talento vai inspirar muito que admiravam seu senso estético e perfeccionismo.

Campo de Distorção da Realidade


Campo de distorção da realidade (CDR) é um termo criado por Bud Tribble da Apple Inc. em 1981, para descrever o carisma do co-fundador da empresa Steve Jobs e seus efeitos sobre os desenvolvedores que trabalham no projeto Mac. Posteriormente, o termo também tem sido usado para se referir aos efeitos que Steve causa durante suas palestras nos observadores e usuários dedicados de computadores e produtos da Apple.

Na essência, a expressão baseia-se na ideia de que Steve Jobs é capaz de convencer a si mesmo e aos outros a acreditar em quase tudo com uma mistura de charme, carisma, exagero e marketing persistente. Muitas vezes o termo é usado como um comentário depreciativo para criticar os produtos da Apple e os seus adeptos mais entusiastas. Vamos tentar retirar um pouco da distorção:

A Apple resistiu muito a implantar um programa de reciclagem de lixo eletrônico até 2005. Além do estranho fato da empresa chinesa Foxconn, fabricante dos iPods, iPads e iPhones, ter números altos de suicídio entre seus funcionários.



Jobs extinguiu totalmente as ações filantrópicas da Apple quando reassumiu a empresa em 1997, ao contrário de Bill Gates, que se esforça em parecer um filantropo. Para alguém que "filava bóia" no templo. O que é exatamente mudar o mundo para melhor?

Fazer produtos bem projetados totalmente fechados para a ideia de software e hardware livre e sem comprometimento social? Jobs pode ser um gênio mas podemos elencar também uma lista de fracassos empresariais que colocariam em dúvida essa aclamada "visão".

A Associated Press lista os sete fracassos de Jobs:


O primeiro é o Apple III que, em 1981, sucedia ao Apple II. Destinava-se a usuários empresariais. O preço elevado e o hardware de pouca confiança garantiram que seria o IBM PC a liderar o segmento.

O preço elevado voltou a comprometer a Apple, desta vez com o lançamento do Lisa, dois anos depois. O aparelho custava quase 10 mil dólares, e o Macintosh, mais barato, triunfou.

Em 1989, o NeXT Computer assinalava o trabalho de Jobs depois de ter sido despedido da sua própria empresa. A ideia de Jobs era visionária, demasiado visionária para a época, e cara para as massas.

Nove anos depois, o Puck Mouse – que, com o novo iMac, assinalava o regresso de Steve Jobs à Apple – perdia-se na mão dos usuários, que nem sempre conseguiam perceber em que sentido estava posicionado o pequeno e redondo objecto.

Em 2000, o The Cube ganhou prémios de design com a sua pequena caixa de plástico com um computador dentro mas, uma vez mais, o elevado preço não garantiu bons resultados nas lojas. Os críticos dizem também que não trazia grandes inovações comparado com os seus antecessores da Apple.

O iPhone não foi a primeira aventura da Apple no mundo dos celulares. No final de 2005, o ROKR – uma parceria com a Motorola Inc. – também conhecido como iTunes phone deixava os amantes de música pensando que o iPod era muito melhor. Só podia passar 100 músicas e era difícil baixá-las do computador. Além disso, o nome enganava: não era possível descarregar músicas da loja iTunes.

A última falha de Steve Jobs foi referido pelo próprio como um "passatempo". Em 2007, a Apple TV permitia ligar a televisão ao computador: com um pequeno comando, o usuário podia, na televisão, ver os filmes ou ouvir as músicas que corriam no computador. O aparelho custava 249 dólares e era difícil de usar. Além do mais, os filmes descarregados do iTunes apareciam com baixa qualidade nas televisões HD. No ano passado, a marca lançou um aparelho mais barato e melhorado, com ligação direta à internet.



É certo que Jobs marcou a indústria da tecnologia com seu estilo Rock´n Roll. Mas será com um certo distanciamento do seu campo de distorção que saberemos como ele passará para história.

Fonte: Wikipedia, Revista Veja, Filme: Piratas do Vale do Silício
Saiba mais:
Steve Jobs levou fama por invenções de terceiros - Folha [do Valor]

[Via BBA]

Comentários

BLOGGER: 11
Loading...

$hide=/p/valores.html

[/fa fa-cloud/ Nuvem de categorias]$hide=mobile

Nome

#existepesquisanobrasil A divulgar Abelha Acessibilidade acessório Acidente Acidentes Acústica Adágios Adestramento Administração adulto Aerodinâmica Aeronáutica África Agência Brasil Agência Fiocruz Agência Porvir Agência Senado Agência USP Agricultura Agropecuária AIDS Alcoolismo Alemanha Alerta Algoritmo Alimento Alzheimer Amazon Amazônia América Latina Análise Combinatória Anatomia Android Animação Animais de Estimação Animal Antropologia Apicultura App Apple Apresentação aquário Argentina Arqueologia arquitetura Arte Astrobiologia Astrofísica Astronomia Ativismo Áudio Audio FX Áustria Autismo Auto-ajuda Automobilismo Automóvel aventura Aviação Aviônica Bahia Balonismo Banco de Dados Beber e Dirigir biblioteconomia Bicicleta Biografia Biologia Biologia Marinha bioquímica Biotecnologia Bitcoin Blog Blogger Boato Bomba borderô de desconto Botânica BRASA BRASA Leads Brasil Brasília BRIC Browser Bugs CAD Calor Câmera lenta Campanha cardiologia Carnaval carreira Cartografia Casemods Caso Isabella Nardoni Caso Snowden Ceará Celebridades celular Células-Tronco Cérebro Charge China Cibercultura Ciclovia Cidadania Ciência Cinema Clip Cliparts Cloud computing Coaching Comédia competência Complemento de dois Comportamento Computação Computação em grade Computação forense Computação Gráfica Computação Móvel Comunicação e Marketing Concurso Concurso Cultural de Natal Concursos Público Concursos Públicos Conectômica Conferência Congresso em Foco Conspiração Consumidor Consumismo contabilidade Contos Copa do Mundo Cordel Coreia do Norte Coreia do Sul Corpo Coruja cosmética Cosmologia Crash Course Criança Criatividade Crime Crime Digital crise crise econômica crônica crônicas Cronologia CSS Cuba Culinária Cultura Curiosidades custos fixo custos variáveis Dança DAO Darwin Davos Debate Decoração demência Demografia Denúncia Dermatologia Desastre Natural Descoberta desconto duplicatas Desenho instrucional Desenvolvimento de jogos Design Design Instrucional Destaque Dia das Mães Dia do professor diabetes Dicas Didática Dieta diplomacia Direito Direito Eleitoral Direito Internacional Direito Tributário Direitos Humanos Disney Distrito Federal Documentário Doutorado download Drogas Drone Dubai e-Book e-governo EBC Ecologia Economia Editoração Eletrônica Educação Educação a Distância Educação Corporativa educação física Educação sexual Efeitos Sonoros Egiptologia Eleições Eleições 2014 Eleições 2018 Eletricidade eletrônica Embrapa empreendedorismo enciclopédia endocrinologia Enem Energia Energia Alternativa Energia Nuclear Engenharia Engenharia Agrícola Engenharia Civil Engenharia de materiais Engenharia de Software Engenharia Genética Engenharia Mecânica Enretenimento Ensino a Distância Ensino Superior Entomologia Entretenimento Entrevista Entrevista. Epidemiologia Epistemologia Equador Escândalo Escritório Espaço Espanha Espanhol Espeleologia Espetáculo Espionagem Esporte Estação Estágio Estatísticas estrutura de dados Ética EUA Europa Evento Evolução Exercícios físicos Exobiologia experiência fábulas Facebook Farmacologia Favo Feminismo Férias Ferramentas FIFA Filantropia Filmes Filosofia Finlândia Firefox Física Física Quântica Fisiologia Fisioterapia Flagrante Flamengo Folclore Fome Fonética Fonoaudiologia Fotografia Fotos em 360 graus França Francês frases Fraude Freeware Futebol Futurologia gadget Gafe Gastroenterologia Gastronomia Geek Genética Geofísica Geografia Geologia Geometria geopolítica Gerenciamento do Tempo Geriatria Gestão de Competências Gestão de Configuração Gestão de Pessoas Gestão de Projetos Gestão do conhecimento Ginecologia Glass Google Governo GPS Gradiente gramática Gravidez Grécia Grécia Antiga Guerra Guerra Civil Guinness H2 Haiti hardware História HIV Hololens homenagem Horologia HPV HTML Humor Humor Negro IBGE IBM ICIJ Idioma IHC ilo ilusão ilusionismo Imagem 3D Imagens Imagine Cup Império Romano Imprensa Impressora 3D Imunologia Incêndio Inclusão digital Índia Índios Infectologia Infográfico Informática Inglaterra Inglês Inovação Inspiração Inteligência Artificial intercâmbio Interface Interfaces Hápticas Internacional Internacionalização da Amazônia Internet Internet das Coisas Inundação Invenção Inventos iPad IPEA iphone Irã Iraque Israel Japão Java Java. jogos Jogos educativos Jogos Olímpicos Jornalismo Justiça Kinect Le Monde Diplomatique Brasil Le Monde Diplomatique Brasil Letras Lexicografia Liderança Life Hacking Linguística Literatura Livro Lógica Logística Loterias Lua Maçonaria Malásia Malvinas Malware Mapa Mário Sérgio Conti Marte Mastologia Matemática Matemática Financeira maternidade Mecânica Mecânica dos Fluidos Mecatrônica Medicina Medicina Esportiva Medicina Veterinária Meio Ambiente Mel melanoma Memória memorização Mente Mercado de Trabalho mercosul Mestrado meteorologia Metodologia Científica México Microbiologia Microsoft Mídia Social Militar Mineralogia Mistério MIT Mitologia Mobilidade Mobilidade Urbana MonaVie Montanhismo Moodle Mossad Motivação Movimento Maker MSF Mudança Climática Mulher Multimídia museu Música MVC Nanotecnologia Nasa Natação Natal Natureza Negócios Netflix Neurociência Neurologia Nicolelis Nordeste Noruega notícias Novidades Novo Enem Números Nutrição Obama Obesidade Observatório da Imprensa Obstetrícia Oceanografia odontologia Offshore Leaks oftalmologia Olimpíadas oncologia ONU Opinião Óptica Oracle Oriente Médio Orkut Ornitologia ortografia Ortopedia Ótica Otorrinolaringologia Oxfam Pacifismo Paginadores paleontologia Paquistão Pará Paraguai parkinson Passeio virtual Patinação Pedagogia Pediatria Pensamentos performance Periférico Pesca Pesquisa Petição Petrobrás Petróleo Photoshop Pirataria planilha de custo Playstation 3 Plebiscito Pneumologia Podcast Poesia Poítica Politica Política Portugal português Pós-graduação prazo médio Pré-sal Prêmio Nobel primatologia Primeira Guerra Mundial privacidade produtividade professor Hamilton Alves Programa Gratuito Programação Projeção Mapeada Projeto Truco Promoção Propaganda Psicanálise Psicologia Psicologia Animal Psiquiatria Pública publicidade Publieditorial Quadrinhos Quads Qualidade Qualidade de Vida química realidade aumentada realidade diminuída Realidade Misturada Realidade Virtual Reconhecimento de imagem Reconhecimento de voz Recorde Redação redes Referência Referendo Reforma Política Reino Unido Relacionamento Relações Internacionais Religião Responsabilidade Social Retrospectiva Review Rio 2016 Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul robótica Roda Viva Roma roteiro RSA Rússia Samsung Sanitarismo Santa Catarina São Paulo Saúde Savant Segunda Guerra Mundial Segurança Segurança da Informação Seleção Natural Séries serviço Serviço Online Sexologia sexualidade Show SIGGRAPH Simulação Singularity University Síria Sismologia Sistema operacional Sistemas de Numeração Sites de Busca Sociedade Sociologia Software Software Livre Sol Sono Sony SOPA Star Wars Suécia Sugestão de presentes Sun supercomputadores Sustentabilidade Tabagismo Taiwan Talento precoce taxa de juros efetiva taxa de juros nominal Taxas Equivalentes Taxidermia Teatro Técnicas de Estudo Tecnologia Tecnologia da Informação TED TED-Ed TedMed TEDx TEDx Rio+20 TEDxAmazônia TEDxAsaSul Telefonia Televisão Temas Tempo Tendências Teologia teoria das supercordas Terremoto Terrorismo Testes Tipologia Tomada de Decisão tradução Trânsito transporte tributo Trigonometria Tubarão Tunísia Turismo Tutorial Twitter Uber UFC UFG ufologia UFRJ Unicamp UNIFESP universidade Universidade Corporativa Universidade de Cambridge Universidade de Michigan Urbanismo Urologia USP Utilidade Pública Utilitário Vale Vaticano Veículo Autônomo Ventriloquismo Verão vestibular Vestimenta Vida Digital Vida Moderna Vida Selvagem Videogame Vídeos Vídeos 360 Violência Vírus Visão Computacional Vôlei Vulcanologia Watergate Política WCIT 2016 WCIT 2017 Web 2.0 Web Application Web Semântica Web Seminar webdesign Webinar widget WikiLeaks Wikipedia Windows Xadrez YouTube Zika Zoologia
false
ltr
item
Brasil Acadêmico: Steve Jobs: O gênio malvado
Steve Jobs: O gênio malvado
http://1.bp.blogspot.com/-pMiY4lOaGFg/To3GNR_M_kI/AAAAAAAAHJY/FMt9-qgSpU0/s400/jobsApple.jpg
http://1.bp.blogspot.com/-pMiY4lOaGFg/To3GNR_M_kI/AAAAAAAAHJY/FMt9-qgSpU0/s72-c/jobsApple.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2011/10/steve-jobs-o-genio-malvado.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2011/10/steve-jobs-o-genio-malvado.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Nenhuma artigo encontrado. VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTS Ver Todos Indicado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS ARTIGOS Nenhum artigo corresponde ao critério procurado Ir para Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir Este conteúdo é PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para o clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy