Menu

O blog do acadêmico descolado

 

Cardiologista francês dependente do álcool acredita que droga usada para relaxar a musculatura o levou a abandonar a bebida.


Um dos mais conceituados cardiologistas da França, Olivier Ameisen, diz que ele conseguiu abandonar o vício usando um remédio hoje receitado para relaxar os músculos denominado baclofen.
Ameisen era professor de cardiologia na Universidade Cornell, de Nova York, e em 1994 abriu um consultório em Manhattan.
Seu consultório era lucrativo, porém, uma sensação de insegurança o acompanhava. Se sentia como "um impostor esperando ser desmacarado". Passou então a buscar alívio em doses grandes destilados como uísque e gim.
Com o tempo passou a ser dependente.

Eu detestava o gosto do álcool. Mas eu precisava de seus efeitos para existir em sociedade.
Dr. Olivier Ameisen. Cardiologista


Depois de esgotar todos os recursos sem sucesso, entre 1997 e 1999, ele passou um total de nove meses internado em clínicas para alcoólatras, o médico decidiu voltar a Paris, temendo pela segurança de seus pacientes. Foi quando, em 2000, que ele lendo um artigo sobre um norte-americano que fora tratado com bacoflen para espasmos musculares e, durante a terapia, sentiu que ficou mais fácil abandonar o vício.
outras pesquisas mostravam que a droga ajudava cobaias a se livrarem do vício em álcool ou cocaína. O que deixou perplexo o cardiologista, porém, é que especialistas em dependência desconheciam o baclofen.
Em 2002, resolveu testar a medicação em si mesmo e relatou tudo em seu livro Le Derrier Verre (algo como "O Último Copo").
No início usou doses de cinco miligramas com resultados animadores, "os efeitos iniciais foram um relaxamento muscular mágico e um sono de bebê", relata em seu livro que já é um best-seller. Nesse estágio já sentia menos necessidade de beber.
Poucoa pouco, ele incrementou a dosagem até atingir o pico de 270 mg e então se viu "curado". Atualmente, o médico utiliza doses diária entre 30 e 50 miligramas.

Meu caso é o primeiro em que um tratamento médico suprimiu completamente o vício em álcool. Hoje, eu posso beber um copo e não tem efeito. Acima de tudo, eu não tenho aquela necessidade irresistível de beber.
Dr. Olivier Ameisen. Cardiologista


Seu livro tem levado milhares de alcoólatras em busca de libertação da dependência a solicitarem que seus médicos lhes receitassem o baclofen.
Muitos médico têm ignorado que seu uso não esteja liberado para o tratamento do alcoolismo e afirmam terem resultados exitosos.
Por exemplo, o Dr. Pascal Garche, de Genebra na Suíça, disse ter submetido 12 pacientes ao tratamento, dos quais sete mostraram melhoria considerável. Já o Dr. Renaud de Beaurepaire, do hospital Paul-Guiraud, da cidade de Villejuif, perto de Paris, chamou os resultados obtidos com dois alcoólatras em estado deplorável de milagrosos.
Contudo, especialistas temem a euforia em torno da droga esteja tirando o foco da complexa natureza do problema da dependência alcoólica.

Nós precisamos de testes abrangentes para determinar como a droga age, se é eficiente e em qual dose, e se é verdadeiramente inofensiva no longo prazo. Mas mesmo se a droga realmente funcionar, isso não significa que só a droga, isoladamente, é a solução.
Alain Rigaud. Presidente da Associação Nacional para a Prevenção do Alcoolismo e da Dependência da França


(Atualização) Veja a reportagem do dia 14/03/2010 do Fantástico:


Francês diz ter encontrado cura para o alcoolismo - BBC Brasil

Postar um comentário

  1. Não é bem assim Margareth. Os alcoólatras costumam terminar suas vidas abandonados em sargetas após perder a carreira, família, dignidade e desgraçar a vida dos que os cercam.
    Uma pessoa com câncer terá amigos e familiares apoiando até última hora. Já o dependente químico dificilmente. Há casos de viciados que tomam até o alcoól do tanque de combustível do carro em desespero.
    Talvez fosse melhor ficar dependendo do relaxante nesse caso. Mas é uma questão a ser investigada. São muito fatores e talvez se o relaxante ajudasse a superar a fase que desencadeou o vício seria possível que o alcoólatra conseguisse evitar o reingresso no estado de dependência.

    ResponderExcluir
  2. agora ele fica viciado em baclofen. Mas qual será o mais prejudicial a saúde, penso que seja o álcool.

    ResponderExcluir
  3. Talvez ele nem esteja viciado em bacoflen (no sentido que conseguiria largá-lo a hora que quisesse). A questão é que ele não quer perder o controle sobre o consumo de destilados. Agora, acho temerário que ele tenha tomado uns drinks mesmo se submetendo a essa experiência (que possivelmente trará algumas seqüelas futuras). A aposta aqui é optar pelo mal menor. Um típico caso de paciente que pode morrer da cura (que pesadelo!) Como médico ele seguramente sabe que muitas terapias seguem processos crônicos de remédios que curam um órgão e faz outro padecer. Aí receita-se um segundo que também tem seus efeitos colaterais. E segue a vida...

    ResponderExcluir
  4. Acho que ninguém aí é viciado e não sabe a cruz que é o alcoolismo. Falar de sangue e não estar sangrando é hipocrisia

    ResponderExcluir
  5. vc tem razão anonimo, as pessoas não tem noção do problema alcoolismo. qualquer tentativa é valida, até encontrar a solução

    ResponderExcluir
  6. Senhores, a degradação fisica e moral causada pela dependencia ao alcool todos que lidam com um caso, ou são o caso, sabem como é terrível, e como "encurta" o tempo de vida do dependente.Sem trabalho, sem familia, sem saúde, claro, morre mais cedo e de maneira dplorável. Se êste Bacoflen vicia sem degradar, a troca de um vicio pelo outro é salutar.
    ( de um dependente de álcool )

    ResponderExcluir
  7. Olá Senhores, meu Pai bebe a muito tempo. Para resumir, agora está com idade de 63 anos. Minha Mãe largou ele. Os filhos são todos casados, e não dá para morar junto. Atualmente estou tentando leva-lo para fazer tratamento, mas ele não aceita.Diz assim: "Bebo porque quero, não sou alcoólatra". Tá assim, largado. Já estou enteressado neste remédio. DEUS queira que dê resultados.

    ResponderExcluir
  8. É triste o convívio com um doente de alcool, sou casada a sete anos e descobri que meu marido é alcoólatra. Trocou a mim e seus filhos pelo alcóol. Já participou dos AA, mas voltou a beber, a separação é inevitável, pois é insuportável ver quem voce ama se destruir. Este medicamento é umja esperança. Gosto de ler tudo sobre o alcolismo e acho de péssimo gosto as piadas de alcoolicos. Se as pessoas soubessem como eles sofrem

    ResponderExcluir
  9. ANTONIO FERNANDES DAS NEVES12 de setembro de 2009 13:05

    LI A MATÉRIA DA REVISTA VEJA DE 09 DE SETEMBRO DE 2009, E FIQUEI INTERESSADO NO BACOFLEN. SOU VICIADO EM ALCOOL. TENHO 54 ANOS UMA FILHA DE 16 E UM FILHO DE 6 ANOS. ME PREOCUPO COM O FUTURO DELES. NÃO GOSTARIA QUE FOSSEM DEPENDENTES CO EU. NÃO PASSO UM DIA SEM BEBER, APESAR DE BEM, OOU MAL CUMPRIR MINHA RESPONSABILIDADE. MEU PRIMEIRO GOLE, ACREDITO FOI QUANDO TINHA MAIS, OU MENOS QUATRO ANOS. PAPAI E MAMÃE SAIRAM PARA O TRABALHO, E DEIXARAM SOBRE O ARMÁRIO DA COZINHA UM LITRO QUE CONTINHA EM TORNO DE UM COPO DE ALCOOL, BEBI E SAI TROMBANDO PELAS PAREDES E MOVEIS. ACREDITO QUE FOI NESTE EPISÓDIO QUE ALTEREI MEU NEUROTRANSMISOR CELEBRAL GABA, E ESTIMULOU MINHA DOPAMINA. GOSTARIA DE APRENDER A BEBER COM MODERAÇÃO, E CUIDAR MELHOR DE MIM E DA MINHA FAMILIA. PORTANTO USARIA O BACOFLEN E ALGUNS CUIDADOS PARA NÃO ME ABORECER E SE ESTRESSAR.

    ResponderExcluir
  10. Antônio, vou dar minha opinião respeitosamente: acho que você teria que parar de querer beber socialmente e decidir NÃO beber nunca mais.
    Eu nunca quis beber pois sei que tenho casos de alcoolismo na família, que representa surras em filho e na esposa, degradação moral, delírios e internação em sanatório.
    Conhecendo a realidade do alcoolismo e sabendo que tem uma chance (talvez remota) de desenvolver o problema resolvi desde cedo não beber. Jamais saberei as delícias de beber até cair, cachorro lamber minha boca, embelezar as feias, reunir com os amigos e todas as falácias da indústria da cerveja. Nunca baterei meu carro por estar embriagado, deixar minha família triste e envergonhada, olhando para o chão devido ao meu vício. Eu não vou dar essa chance para o azar (azar esse que você teve). O melhor a fazer é ter uma conversa franca com seus pimpolhos e "tocar o terror" neles. Falar abertamente do mal que uma droga lícita pode trazer e deixar a responsa na mãos deles. Meu avô alcoolatra conseguiu parar na raça, quando já estava vendo coisas. Não podia comer nem bombom com licor, nem vinagre. Só tomava leite. Foi o que salvou um pouco a sua dignidade.
    Na nossa casa jamais se dava dinheiro para comprar cigarro ou bebia e só era admitido após os 18 anos (se fosse o caso). Essa é minha experiência própria. Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  11. Em tempo, faça a experiência com o Bacoflen e dê seu depoimento. Um abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
  12. Sou filha de um alcoolatra que infelizmente não aceita que é. A cada dia ele acaba mais com nossa familia eu e minha irmã somos casadas e moramos longe, mas tento ir sempre e falar sempre com minha mãe para lhe dar forças, mas no ultimo feriado ela estava decidida a abandonar mas eu como filha fui até lá pdi para minha mãe dar mais uma das muitas chances, é pedir para ele aceitar ajuda, iria levá-lo a uma clinica especializada que já me informei, mas ele acha que não é alcoolatra e que consegue sair dessa, dei uma ultima chance se ele recair ou vai realizar um tratamento ou minha mãe não irá continuar sofrendo, pois ele está com grande chance ou tenta sozinho ou vamos procurar ajuda, ver minha mãe sofrer, eu e minha irmã agora não quer mais.Dei mais uma das muitas chances, pois apesar do problema sempre foi um paizão.

    ResponderExcluir
  13. E vocês? Já procuraram ajuda especializada? É muito difícil pensar com clareza estando tão afetivamente evolvida. Nessa mesma clínica especializada veja se não há um terapeuta para conversar com você e com sua mãe. Ele certamente vai poder orientá-las sobre qual a melhor maneira de abordar o problema (tem hora que santo de fora opera milagres). Ele com certeza sabe o começo, o meio e o fim dessa jornada pela qual você está passando. A vida já é tão difícil quando não se tem problemas assim para resolver. Mas você não está em um deserto. Apenas os que passam por problemas como o seu escondem para não se exporem para o público. Eu entendo que essa é a melhor orientação que eu possa te dar. No mais desejo boa sorte nas escolhas e torço pela recuperação de todos vocês (não só a de seu father). Sucesso!

    ResponderExcluir
  14. Estou tomando. É otimo, eu aconcelho.

    ResponderExcluir
  15. É bom lembrar que deve-se tomar remédios somente sob orientação médica, hein?

    ResponderExcluir
  16. Sou filha de um alcoolatra. Tenho 26 anos e toda a minha vida tive medo do meu pai. Ele bebe e fica alterado, vira outra pessoa. Este Natal meu pai passou bêbado, e nem tivemos noticia dele durante a ceia. Eu fiz de tudo: busquei ajuda de especialistas, até fiz terapia por quase 3 anos. Mas ele não quer se tratar, diz que quer se matar.É muito difícil. Acho que a familia sofre mais que o próprio, porque ele nao tem noção, e não se lembra das coisas que faz ou diz. Seria importante que ouvesse um tratamento mais eficaz, mas acho que uma droga apenas não vai ser a salvação da pátria. Se precisa de apoio psicológico, principalmente para a familia poder se re-construir.

    ResponderExcluir
  17. Aqui: Sylvio Ribeiro;
    Fui um alcoólatra "intolerável" por uns 3 anos, e alcoólatra "tolerável" por uns 10 anos.
    Um dia a "ficha" caiu, e procuei ajuda, aliás, não há outro caminho, é preciso se desvenciliar do ORGULHO e adimitir sua fraquesa.
    Estou "limpo" há 10 meses, o caminho tem sido longo e sofrido, mas, satisfatório.
    Se você quer saber se existe um outro caminho, que não seja a cachaça para solucionar alguns dos seus problema, me contate.
    Não sei se poderei ajudá-lo, mas lhe relatarei a minha experiência, a qual não deve ser muito diferente da sua.
    F: 11 3906 9606
    email: sylvioribeiro1@hotmail.com.br
    Se vc não for alcoólatra e quizer alguma "dica", me contate.
    NÃO ESTOU VENDENDO NADA, NÃO ESTOU PREGANDO NENHUMA RELIGIÃO, estou simplesmente disposto a relatar a minha experiência.

    ResponderExcluir
  18. Quando lemos expriencias como essas que estao dando certo ficamos animadas, pois é muito deprimente conviver com alguém que é viciado em alcool e drogas.

    ResponderExcluir
  19. Olá meus qridos,preciso de ajuda sou casada a 13 anos e meu marido é viciado em drogas; o q ñ deixa de ser uma vicio tbm,o sonho dele é abandonar o vicio mais é mais forte q ele vivo uma situação te extremo conflito, pois játentamos de tudo as vezes pensamos em desistir, mais ñ qro ver ele nessa situação, (o bom disso tudo)é q ele reconhece q é uma doença e sabe q precisa de ajuda, eu ñ acreditva q era doença, mais depois q decidi lutar por ele e meus filhos comecei a ler mais sobre essas coisas,quando hoje assistindo o fantastico vi essa materia desse médico, dai vim correndo na net, procurar por esse remédio, acho q encontramos a ajuda precisavamos.Mais ñ tendi muito bem quanto tempo será q pessoa pode tomar esse medicamento, ele se vende sem receita médica?por favor se alguem faz uso desse medicamento me responda algo aguardo anciosa por ajuda....

    ResponderExcluir
  20. Ouvi esta noticia hoje no fantastico, fiquei muito feliz em saber que pode ter cura o alcoolismo, pois tenho meu marido com este problema, ele trabalha normal, mas bebi no final de tarde e a noite, no dia seguinte acorda como se nada tivesse acontecido,e trabalha normal, vou tentar este relaxante, será que precisade receita medicas?

    ResponderExcluir
  21. Li a materia do fantastico eu e minha sogra temos interesse nesse medicamento pois acho que esse remedio vai acabar com,o sofrimento de muitas familias.Que tem o doente em alcoolismo na familia.Estou torcendo para dar certo,porque essa materia deixou esperanca nos coracoezinhos de muitas maes,mulheres,e filhos ou ate de pais desesperados.

    ResponderExcluir
  22. Olá a todos. Andei pesquisando sobre esse assunto na internet e parece que o uso do baclofeno no tratamento do alcoolismo é realmente animador. Sou alcóolatra moderado, e estou tentando parar antes da decadência. Vou tentar esse remédio. A princípio, encomendei o livro do Dr. Ameisen, que no Brasil se chama "O fim do meu vício" para acompanhar seu processo de cura. Quanto ao remédio, é facílimo de achar, e pode ser vendido sem receita. Tem o Lioresal e o Baclon (esse último é mais barato), ambos com 20 comprimidos de 10 mg. Depois contos os resultados.

    ResponderExcluir
  23. Pessoal, vi esta notícia hoje no jornal. Sou acólatra há mais de 40 anos. Ninguém que não tenha a experiência pode imaginar o quanto este vício é prejudicial. Já não vivo com minha família há muitos anos,sou bem empregado.Por medo de perder o emprego depois de muitas bestiras estando até com processo na justiça por embriaguez ao volante, procurei ajuda médica e estou tomando um remédio chamado Tegretarde que está me ajudando muito. Se não fosse isso tentaria o baclofeno.Qualquer tentativa para sair do inferno é válida.

    ResponderExcluir
  24. Deus ajude que esta notícia possa ajudar a tantos infelizes como eu...

    ResponderExcluir
  25. acredito que nehum de voz, deu a verdade para a cura do alcoolismo, se não questionamentos, por tanto experimentos a verdade de que experimentou.

    ResponderExcluir
  26. tenho uma dúvida essa medicação também serve para o uso de drogas como por exemplo o crak?


    Katia

    ResponderExcluir
  27. trabalhando e bebendo18 de março de 2010 11:49

    OLÁ PESSOAL.

    Faço parte das pessoas que querem sair do inferno a qualquer preço.
    Já procurei tratamentos e tive recaídas.
    Ainda continuo trabalhando, mas consumo cervejas, muitas, todas as noites.
    Sofro muito pq tenho uma filha que precisa de mim. Esse fato me dá forças para tentar a cada dia ser melhor e me livrar dessa doença.
    Não posso me internar pq sou responsável pelo sustento da casa.
    Já comprei o remédio.
    no 1º dia tomei um comp de 10 mg. dormi, mas continuei consumindo.
    no 2º dia tomei 2 comp. de 10 mg. tb. dormi, e a tendência, pelo menos inicial é almentar a quantidade de alcool.
    Mas, uma melhora eu notei. Eu não dormia enquanto tivesse uma cerveja na geladeira. Agora durmo na marra.
    Vou vencer. E nunca mais chegarei perto do alccol.
    Peço a voçês que sempre que olharem para um bêbado, saiba que ele sofre muito por beber.
    aceito todas as ajudas.

    ResponderExcluir
  28. Já estou usando o remédio há dois dias

    ResponderExcluir
  29. Gostaria de saber como que eu faço para adquirir o remédio,por que tenho muito interece por ele. Sofro muito com meu marido a mais de 4 anos essa droga é realmente destruidoras de lares eu tenho fé em deus primeiramente, que vai ser a nossa salvaçâo.

    ResponderExcluir
  30. Trabalhando e bebendo25 de março de 2010 19:08

    Estou de volta para dizer que não sei se é por causa do remédio ou não, mas estou conseguindo suportar a vontade. já tem três dias que não bebo cervejas. Estou feliz, mas ainda sinto vontade e sei que posso recair a qualquer momento. Em 10 dias o resultado é maravilhoso. Porque antes eu não conseguia ir para casa sem as cervejas. Espero continuar firme e nunca mais pensar em beber. Estou em busca da minha felicidade novamente. Me entreguei para a bebida e já estava totalmente dependente. Agora choro de falta, mas cada dia eu me sinto melhor.

    ResponderExcluir
  31. Trabalhando e bebendo25 de março de 2010 19:11

    Fabiana,
    Minha experiência está sendo construtora, porque eu estou em busca da cura.
    Essa é a diferença!
    Nessa doença o tratamento tem que ser voluntário, pq é necessário muita força de vontade.
    Se a pessoa não quiser nenhum tratamento vai ajudar, nunca.
    felicidades para todos.

    ResponderExcluir
  32. gostaria de saber onde posso comprar o bacoflen p/ o meu cunhado,pois ele esta precisando muito.

    ResponderExcluir
  33. Trabalhando SEM beber29 de março de 2010 16:55

    Comunico que no final de semana senti vontade de beber, mas resisti. Estou na terceira caixa do remédio e nos piores dias tomo cinco comprimidos. Nos demais somente dois.
    Estou muito feliz de estar quase uma semana sem beber.

    Quanto ao anônimo supra me reporto a resposta que dei para a Fabiana.

    ResponderExcluir
  34. Olá Pessoal estou tomando esse remédio é muito bom mesmo acaba dom a vontade desenfreada pelo alcool estou tomando e bebendo bem pouco é muito bom acho que tenho que aumentar a quantidade de mg, estou lendo o livro também já fiz varios tratamentos contra o alcoolismo mas esse remédio é ótimo sucesso a todos

    ResponderExcluir
  35. OK, resolvi iniciar um teste com o Lioseral 10mg. Comecei hoje pela manhã. Estarei tomando o comprimido de 6 em 6 horas, ou seja uma média de 40mg por dia. Saliento que li a bula e tudo que a internet me oferecia como matéria tanto do Lioseral quanto do Baclofeno. Saliento que não me enquadro em nenhuma possibilidade de efeitos colaterais. Muito bem, vou relatando periodicamente o que tem acontecido comigo. Sou alcoolatra, me utiliso do wisk em média de 5 a 9 doses diarias. Sempre a noite na hora do jantar. Geralmente tenho ido dormir embreagado estando em uma situação que pela manhâ me lembro muito pouco do que falei e fiz. Me sinto muito envergonhado com tal situação.

    ResponderExcluir
  36. Estaremos na torcida para que você logre essa importante mudança na vida. FORÇA NANDO. :-)

    ResponderExcluir
  37. Bom pessoal como falei estou tomando o bacofleno, e sinto uma melhora apesar q continuo bebendo mas, com certo controle fim de semana bebi na na sexta e no Domingo mas não tenho tanto apetite pela bebida como tinha antes estou tomando de 30 a 40 mg diárias, e realmente está tirando a vontade de beber vou continuara tomando esse remédio sucsso a todos abraços

    ResponderExcluir
  38. sou casada com alcolatra há 12 anos,não sei se posso acreditar q um remedio assim possa acabar com todo esse sofrimento,meu marido não consegue mais trabalhar alias nunca trabalhou muito exatamente pq o alcool(PINGA) não deixa, hoje ele esta num estado lastimavel, vou comprar esse remedio,que tipo de efeito colateral devo me preocupar, alguém consultou um medico antes de tomar,Que Deus nos ajude a Todos alcolatras e familiares, a proposito para ajudar as familias existe o ALANON,procure um vc que tem um alcolatra em casa vai te fazer muito bem.

    ResponderExcluir
  39. gostaria de parabenizar todos que estão lutando ferozmente contra essa doença que pra mim pelo menos é a pior de todas.muita força e muita Fé .

    ResponderExcluir
  40. Olá pessoal, da pra perceber que algumas pessoas estão mais interessado em fazer uso desse medicamento para voltarem a serem um bebedor social ( pra nós isso é passado),Não da pra um alcoolatra tentar assiciar lazer ou vida social com o alcool. Sou um adicto em recupração( termo correto para alcoolatra que parou de beber) e estou sem fazer uso do álcool a 4 anos.
    Para quem estiver fazendo uso do bacoflen e ele esta diminuindo sua ansiedade ao ponto de afastalo da bebida aproveite e pare de uma vez.Haverá momentos que da vontade de fazer uso, mas lembre-se que são involuntários, uma especie de armadilha do subconciente e da para escapar simplesmente mudando o foco do penasamento.
    Um recado para "trabalhar sem beber", não se preocupe com o nº de dias sem beber use o seguinte mandamento do AA: só por hoje não farei uso do álcool Repetindo a frase no outro dia isto torna-se ifinito.
    O combate a ansiedade e a raiva é fundamental para manter-se sóbrio( nada nem ninguem tem o poder de me fazer feliz ou triste a não ser que eu permita).
    Mantenham sempre um contato com alguem que tem o seu mesmo problema e que esta lutando contra esta doença, isso é muito confortante.
    Parabéns para todos que estão relatando aqui a sua preocupação e sua vontade de superar o vício.
    Um abraço .

    ResponderExcluir
  41. preciso urgentemente saber onde encontrar esse medicamento para o meu irmão

    ResponderExcluir
  42. trabalhando e bebendo22 de junho de 2010 16:41

    Oi,

    Não voltei mais aqui, porque como é comum, tive uma recaída.

    Parei com o remédio.

    Estou bebendo, todos os dias, já faz um mês.

    Agora sei que posso conseguir e estou jintando forças para largar dessa droga de vez.

    atÉ BREVE.

    ResponderExcluir
  43. Meu marido é alcóolatra. Bebe há cerca de 35 anos e nos últimos anos vem aumentando progressivamente as doses de bebida. Tentou tudo: AA, naltrexona, topiramato e vários outros medicamentos, mas nada surtiu efeito. No último ano a situação se agravou e chegammos a nos separar no início de 2010. Em março desse ano comprei o livro do Dr. Ameisen (recomendo a todos a leitura) e resolvemos comprar o baclofeno e fazer o teste por conta próprio (não recomendo, sempre é melhor contar com a assistência médica). Ele começou com a dose de 30mg/dia e chegou até 270 mg/dia. Os efeitos colaterais quando as doses são elevadas são terríveis: insônia, pesadelos, rigidez muscular, tremor, dores de cabeça, vertigem, náuseas. Contudo, ele conseguiu o que nos fóruns de discussão estrangeiros estão chamado de "switch", ou seja, uma espécie de estalo em que a pessoa percebe q o álcool não é a coisa mais importante da vida. Hoje, ele está tomando uma dose de manutenção de 60 mg/dia. E não bebe desde 02 de abril de 2010. Recomendo a leitura dos fóruns de dscussão estrangeiros (http://www.mywayout.org/community/f20/consolidated-baclofen-information-thread-38718.html, http://www.forum-baclofene.fr/) e do site do Dr. Ameisen (http://www.olivierameisen.com/en/). Dá para ver que muitas pessoas já estão se beneficiando com o uso do baclofeno e muitos médicos já estão indicando. Existe um protocolo para o uso do remédio que ajudam a minimizar os efeitos colaterais. Parece-me que a regra é ir aumentando devagar a dose diária (passando, no mínimo 3 dias com cada dose) e também diminuir a dose devagar até chegar na dose de manutenção, que deverá, sim, ser tomada por toda a vida, assim como se tomam remédios para hipertensão e diabetes. No Brasil, o baclofeno é vendido livremente nas farmácias, sem necessidade de receita médica, tendo, inclusive, o genérico.Espero ter contribuído.

    ResponderExcluir

Deixe suas impressões digitais aqui...

 
Top