$hide=/p/valores.html

Homem Transcendente. Quando o homem se tornará um deus

Indicar:

Documentário de Ray Kurzweil sobre as previsões tecnológicas e seu crescimento exponencial com transcrição em português.

Documentário de Ray Kurzweil sobre as previsões tecnológicas e seu crescimento exponencial com transcrição em português.

Esta é a história do destino da civilização humano-máquina. Um destino que temos chamado de Singularidade. - Ray Kurzweil



Vídeo com legendas em espanhol

Eu tenho um sonho recorrente. Tem a ver com explorar uma sucessão sem fim de salas vazias que me levavam de uma sala para outra, sentindo-me abandonado e sem esperança, sozinho e incapaz de encontrar alguém.
Esta é uma bela descrição da morte. Dizem que a morte tem uma finalidade. Mas na realidade é uma grande perda para quem se preocupa com o assunto. Às vezes tenho fantasias sobre a morte.
Sobre o que as pessoas sentem quando estão morrendo ou como eu me sentiria no momento de minha própria morte. É de tal forma profundo e triste, o sentimento de solidão, que eu realmente não o suporto.
Então voltei atrás e comecei a pensar em como não morrer.

Homem Transcendente

"Eu tenho um segredo" (Programa de auditório)

Apresentador: Primeiramente, nos diga o seu nome.
Ray: O meu nome é Raymond Kurzweil e sou de Queens, Nova York.
Queens, Nova York.
Apresentador: Antes de revelarmos qual é o seu segredo nós temos alguns segundos para Raymond tocar uma peça musical. Raymond, o piano é todo seu.
Ray: Obrigado.

(Ray toca uma música no piano)

Apresentador: O segredo do Raymond tem a ver com algo que ele fez e nós vamos começar, desta vez, com a senhora.

Senhora: Raymond, essa é uma peça musical de sonoridade improvável. Você a compôs?

Ray: Não, não fui eu.

Apresentador: Henry.

Henry: Esta coisa foi escrita por um computador?
Apresentador: Yeah! Sim.

(Aplausos)

Ray: Bem, eu construí um computador que me permitiu escrever música com ele.

Apresentador: Raymond que idade você tem?
Ray: Tenho 17 anos.
Apresentador: Os seus pais sabem o que você anda fazendo?
Ray: O meu pai é músico, então é como se fosse uma competição.
Apresentador: Raymond, eu me espanto com alguém que consiga fazer algo assim com computadores e prevejo um grande futuro para você. Foi um prazer tê-lo connosco esta noite. Parabéns.
Ray: Obrigado.

Apresentador: Ray Kurzweil está aqui.
Ele tem sido chamado de legítimo herdeiro de Thomas Edison. O seu novo livro "A Singularidade Está Próxima".

Quando humanos transcendem a biologia.

Eu li o seu livro... É uma das coisas mais assustadoras e, ao mesmo tempo, esperançosas que já li na vida.

Narrador: Ray kurzweil é um pioneiro no campo da inteligência artificial (IA). Ele é um cientista e engenheiro vencedor de vários prêmios.

Várias vezes milionário devido às suas invenções.
Registrou um total de 24 patentes nos EUA.
Foi o inventor-chefe do scanner de mesa.
De uma máquina que lê para os cegos.
Do teclado sintetizador Kurzweil.

Este cara é estonteante!

Bill Gates chamou-o de "o melhor do mundo para prever o futuro".

Quando Ray Kurzweil faz uma previsão é bom que prestem atenção.

Ele previu o colapso da União Soviética.
Descreveu a evolução da internet.
E errou por um ano, quando um computador derrotaria o campeão mundial de xadrez.
A Singularidade está próxima.

De acordo com Ray iremos ter relações com máquinas.

Computadores terão consciência em apenas 25 anos.
Kurzweil vê o dia em que computadores microscópicos irão tornar a aprendizagem tão fácil quanto fazer download.

Você está dizendo que milhões de pequenos computadores estarão na minha cabeça?

Fundamentalmente, você está falando em adulterar a espécie humana.

O inventor Ray Kurzweil pensa que um dia,
talvez, os seres humanos serão capazes de viver para sempre.

Voltando para este livro "A Singularidade está próxima", o que Singularidade significa?

Quando diz que a Singularidade está se aproximando, o que isso significa exatamente?

E é isso que quer dizer com o termo Singularidade?
O que é a Singularidade?

Singularidade é um período futuro em que as mudanças tecnológicas serão tão rápidas e os seus efeitos tão profundos que todos os aspectos da vida humana serão, irreversivelmente, transformados.

Não haverá uma clara distinção entre humanos e máquinas.

Os computadores não serão esses aparelhos retangulares que colocamos no bolso.

Eles estarão dentro dos nossos corpos e cérebros.
E seremos um híbrido de inteligência biológica e artificial.

Se voltarem 500 anos atrás, pouca coisa acontecia em um século.

Agora muita coisa acontece em apenas 6 meses.

A tecnologia alimenta-se a si própria e torna-se cada vez mais rápida E daqui a 40 anos o ritmo da mudança será tão assustadoramente rápido que não seremos capazes de acompanhá-lo a menos que aumentemos a nossa própria inteligência, fundindo-nos com a tecnologia inteligente que estamos criando.

Esta será uma profunda transformação.
Nós pegamos emprestada esta metáfora da física
e a chamamos de Singularidade.

As pessoas as vezes têm medo do futuro e se você fala sobre como a vida será, daqui a 10 ou 20 anos, poderá parecer assustador e então as pessoas imaginam cenários de destruição e distopia.

Mas, na realidade, a tecnologia tem sido a única coisa que nos tem permitido superar os problemas.

Quando tinha 5 anos, decidi que seria inventor. Tive esta ideia de que se você juntar as coisas da forma correta, pode criar efeitos transcendentes.

As outras crianças se perguntavam o que queriam ser: Bombeiro, professor...

E eu sempre soube o que queria ser. Fundei a minha primeira empresa quando tinha 18 anos. Desde então fundei outras. Uma dúzia, diria.

AAron Kleiner (vice-presidente, Kurzweil Technologies): Todos os dias ele me aparece com ideias loucas e eu dizia: Pois... certo... Eu já não tenho essa reação, porque ele já fez tantas coisas que eu pensei serem impossíveis.

Muitos inventores falham, não porque as suas invenções não funcionavam mas porque o "timing" estava errado.


A Medalha Nacional de Tecnologia

As pessoas não começam um projeto quando o hardware e as capacidades tecnológicas não existem para suportá-lo. Mas, na realidade, deveriam fazer isso. Reconhecendo isso, tornei-me um estudante da evolução tecnológica.

E isto começou há cerca de 30 anos. Sendo engenheiro, reúno muitos dados.

E comecei a ver que se se tratasse de tecnologia de informação, seguiriam trajetórias previsíveis e você pode usar isto como uma ferramenta de planejamento.

Agora eu posso ter projeções não apenas para 1, 2, 3, 4, 6 anos mas para daqui a 10 anos, 20 anos e prever as tecnologias de 2020 ou 2030.

Eu não posso construir esses aparelhos ainda mas eu posso descrevê-los e posso escrever sobre eles.

E esta tem sido o assunto dos meus livros. Eu escrevi o livro A Singularidade Está Próxima onde tento dar fundamentos científicos para este conceito e olhar para as tecnologias que estão causando as profundas mudanças que vemos.

Eu tenho uma certa perspectiva do futuro. Devido a investigações científicas que resultam em diferentes perspectivas sobre o que é importante hoje e como o futuro será.

E percebo que o senso comum é diferente disso. Penso que é importante que as pessoas entendam o que é importante. Se tiver a oportunidade de falar para uma audiência por uma hora farei progressos em termos de convencê-los de que existe outro ponto de vista para algumas destas questões.

Ele tem um certo ponto de vista sobre o que acontecerá e ele gostaria que o mundo soubesse disso para se preparar. Ele tem uma missão de dizer ao mundo o que vai acontecer em termos de tecnologia.

Tenho ansiado estar aqui, porque a indústria de jogos, se encaixa bem naquilo que eu quero falar.

Que é a aceleração do progresso tecnológico. Há 30 anos estudo o fenômeno do crescimento exponencial da tecnologia de informação.

Comecei sozinho, agora tenho um grupo de 10 pessoas que me ajudam a reunir dados em diferentes campos.

E nós fazemos modelos matemáticos de como a tecnologia evolui.

Quando eu entrei no MIT em 1965. Eu entrei lá porque o MIT era tão avançado, em 1965, que tinha o seu próprio computador.

Ocupava parte de um edifício, custava 11 milhões de dólares, era partilhado por milhares de estudantes e precisávamos de ser influentes
para chegarmos perto dele.

O computador do seu telefone celular hoje, é 1 milhão de vezes menor, 1 milhão de vezes mais barato e mil vezes mais poderoso.

Foi um aumento de 1 bilhão em termos de preço/performance que a computação experimentou nos últimos 40 anos.

Neil Gershenfeld (Diretor. The Center for Bits and Atoms MIT): O que Ray faz constantemente é seguir uma série de passos em que todos concordam e retirar princípios para extrapolar o que todos concordam e mostrar que esses princípios levam ao que mais ninguém concorda. E ataca-se quem "trás as más noticias" porque os resultados levam a coisas que parecem absurdas.

Robert Metcalfe (Co-inventor da Ethernet): Ele irrita as pessoas com a ousadia das suas projeções do futuro que, do meu ponto de vista, parecem estar baseadas em dados objetivos; extrapolações sistemáticas de:

"Vejam, isto é o que tem acontecido, porque acham que vai parar?"

Eu diria que a sua principal ferramenta é o exponencial.

Ray: As pessoas constantemente subestimam o que é alcançável em longos períodos de tempo como uma década, duas décadas Porque elas não pensam nas implicações radicais do crescimento exponencial.

Nós agora podemos sentir a velocidade maior das mudanças em apenas um ano do que anteriormente em anos.

Fale com crianças, adolescentes mesmo com poucos anos de vida, elas podem sentir o ritmo acelerado com que a tecnologia evolui hoje se comparado com 5 anos atrás.

A aceleração da tecnologia implica no que eu chamei de Lei do Retorno Acelerado.

A natureza do progresso tecnológico é exponencial. Se eu contar linearmente de 1 a 30, Assim: 1, 2, 3, 4, 5... eu chegarei no 30.

Mas, se eu contar exponencialmente: 2, 4, 8, 16, 32...
Após 30 passos eu chegarei em 1 bilhão.


É uma diferença dramática. Há cerca de 40 anos atrás, Gordon Moore percebeu que o crescimento do poder dos semiconductores dos chips era exponencial.

Basicamente, a cada 2 anos, podemos colocar o dobro de componentes num chip.

Como ficam mais juntos, podem ser mais rápidos e então os computadores e dobram a sua capacidade pelo mesmo preço todos os anos.

Ocorrerá outro crescimento de 1 bilhão em preço/performance nos próximos 25 anos e novamente o tamanho será reduzido em 100 mil vezes.

Um computador do tamanho de um prédio agora cabe no seu bolso Isso levou 40 anos.

Daqui mais 25 anos, esse computador de bolso
será do tamanho de uma célula sanguínea. A razão pela qual a tecnologia da informação cresce exponencialmente é que usamos a tecnologia já inventada para criar a próxima.

Cada nova geração de tecnologia cresce exponencialmente em capacidade e a velocidade desse processo se acelera ao longo do tempo.

Isto em geral é verdade para processos evolutivos
muito antes dos seres humanos evoluírem já se observava o mesmo fenômeno.

O primeiro paradigma da evolução biológica foi o surgimento do DNA, isso demorou 1 bilhão de anos, mas logo a evolução o adotou o DNA e passou a utilizá-lo.

O passo seguinte foi a Explosão Cambriana, quando todos os planos corporais dos animais evoluíram, isso foi 100 vezes mais rápido, levando apenas 10 milhões de anos.

Depois de mais alguns passos, o Homo sapiens, a primeira espécie criadora de tecnologia, evoluiu, em algumas centenas de milhares de anos.

Então da evolução biológica passamos para a evolução tecnológica. Foram necessários dezenas de milhares de anos para se criarem ferramentas de pedra, o fogo, a roda.

Sempre usamos tecnologia inventada para criar a próxima tecnologia. Portanto, o ritmo da tecnologia acelerou. Grandes mudanças de paradigmas como motores de busca evoluem em apenas 5 ou 6 anos.

A razão pela qual chegaremos à Singularidade, o ponto de mudanças espantosamente rápidas, é porque a mudança ficará ainda mais rápida nas próximas décadas.

Peter Diamandis (Presidente da X Prize Foundation): Para mim as previsões de Ray são óbvias.

Nós somos uma jovem estrela (Sol) e um jovem planeta e uma espécie muito jovem nesta galáxia de 15 bilhões de anos. As pessoas pensam que somos uma "espécie tecnologicamente avançada".
Por favor...

Nós temos sido tecnologicamente "avançados" há poucas centenas de anos. Temos sido a raça humana por 100 mil anos. Estamos apenas no início do começo.

Nós temos tanto para explorar...
Nós temos tanto para aprender...
Nós não sabemos nada.

Steve Rabinowitz (Colega): Logo depois da universidade nos encontramos em um restaurante em Cambrige.

E foi como se ele tivesse estabelecido os seus objetivos naquela época. E esses objetivos eram: inventar coisas para que os cegos pudessem ver,
os surdos pudessem ouvir e os aleijados pudessem andar.

Os problemas de leitura dos cegos poderão em breve ser significativamente reduzidos. Para o estudante cego nunca há manuais ou artigos científicos em braile ou material gravado suficientes.

Hoje o meu convidado do laboratório de pesquisa de Cambrige, foi quem inventou a única máquina que pode fazer qualquer livro falar.

O usuário pode controlar a sua leitura, pode voltar toda a linha atrás, pode ouvir palavra por palavra, pode ouvir soletrado.


Stevie Wonder (músico): Tudo começou em 1975, quando ouvi falar sobre um homem que permitiu que os cegos pudessem ler.
E pensei comigo: "Isto é loucura, eu tenho que conhecer este cara pessoalmente."

Obviamente, aquilo foi uma mudança na minha vida.
O aparelho era realmente grande mas, por maior que fosse, não importava.

Porque pela primeira vez um cego podia ler sua informação privada. Foi uma experiência fantástica. O custo entre 10 a 20 mil dólares torna a máquina prática apenas para bibliotecas,
institutos ou centros de reabilitação.

O leitor era muito caro naquela altura e tinha de o ser porque o seu desenvolvimento
foi muito caro.

Felizmente, há 10 anos atrás a tecnologia de leitura KURZWEIL, começou a ser comum como um dispositivo de consumo individual.

Ray: Veja, é muito pequeno. Este dispositivo é um pouco grande para o bolso mas este foi o nosso primeiro modelo de uma máquina portátil para os cegos.

O cego tira uma foto e ouve o texto. Os celulares estão se tornando cada vez mais poderosos e nós esperamos que em breve haverá um celular potente o suficiente para suportar toda esta tecnologia.

Eu penso que talvez haverá um dia em que ter ou não visão não será realmente, importante.
Kurzweil fala que iremos nos comunicar trocando pensamentos através da internet.

Que computadores estarão incorporados na nossa corrente sanguínea.

Realmente as previsões de Ray têm se concretizado e eu não tenho dúvidas de que estas também irão.


A mente do Homem

Colin Powell (ex-secretário de Estado): Olá, como vai? É bom vê-lo. Um cara superinteligente e não achou o caminho? Ele tem feito contribuições notáveis em diferentes campos.
Esses dias eu baixei a página na Wikipédia sobre ele e consumi metade da noite para a ler.

Ray: Faço parte de um painel de peritos sobre os grandes desafios de engenharia. Larry Page e eu escrevemos o plano de energia. Basicamente, dentro de 20 anos poderemos fazer a transição para a energia solar. Estamos convencidos de que em 5 anos atingiremos o ponto de inflexão em que o custo por Watt a partir da energia solar será menor que o custo por Watt do carvão e petróleo.

Nós temos que capturar apenas uma parte em 10 mil da luz do sol para suprimir todas as nossas necessidades de energia.
Então, dentro de 20 anos, poderemos substituir, completamente, os combustiveis fosseis com paineis solares de nanoengenharia.

Colin Powell: As nossas necessidades energeticas aumentando rapidamente devido aos países em desenvolvimento.

Ray: Bem, existem muitas tecnologias encorajadoras. Não vamos passar os próximos 100 anos aumentando o consumo de combustíveis fosseis. Não será este o caso.


Ray: Se perguntarem qual é o mais importante, mais poderoso, fenômeno no universo. É a inteligência. Todos os problemas com que nos debatemos. As pessoas preocupam-se com o ambiente e energia, saúde e doenças, pobreza.

Nós seremos capazes de resolver tais problemas, na realidade, bem antes da Singularidade, apenas com o aumento do poder da tecnologia da informação.

Porque 80% das doenças do mundo são causadas por água poluída. Estão surgindo tecnologias muito baratas. Eu conheço o inventor de uma dessas tecnologias, Dean Kamen.

Um pequeno dispositivo que transforma água muito poluída em água muito limpa de forma muito barata.
Com 3 bilhões de dólares desta tecnologia poderíamos suprimir todas as necessidades de água de África.
Eu não comecei com esta ideia de notáveis alterações no futuro procurando justificás-la com o passado.
Quando eu olho para as implicações de como a tecnologia será e como isso irá transformar a experiencia humana no mundo em que vivemos...

Se você avançar 20, 30, 40 anos começa a perceber quantas mudanças significativas estão à nossa frente.

As três grandes revoluções que irão sobrepor-se, são às vezes chamadas pelas iniciais GNR.

"G" de Genética, é outra palavra para a Biotecnologia. É o domínio dos processos de informação na nossa biologia. Em última análise, poderemos reprogramar a biologia, eliminando as doenças e o envelhecimento.

"N" de Nanotecnologia. Nos próximos 25 anos, teremos dispositivos do tamanho de glóbulos vermelhos circulando dentro dos nossos corpos.
e irão nos manter saudáveis a partir de dentro.
No seu cérebro, irão interagir com seus neurónios biológicos, e iremos nos fundir com a inteligência não-biológica.

A terceira letra "R" de Robótica. Significando a nossa primeira Inteligência Artificial real. E esta é a revolução mais significante de todas. Dentro de 20 anos - eu estabeleci a data 2029 - uma máquina, uma Inteligência Artificial será capaz de igualar-se à inteligência humana e ir além.


Então a inteligência artificial, que será muito superior à inteligência humana, irá permitir-nos resolver problemas que não conseguimos resolver hoje.

Nós ansiamos um tempo em que possamos fazer backup (cópia de segurança) dos nossos cérebros. Os nossos cérebros serão majoritariamente não-biológicos. Então seremos basicamente máquinas. Podemos parar o envelhecimento. Viveremos indefinidamente. Todos os nossos corpos biológicos são limitados.

E, de um jeito ou de outro, nós temos que lidar com as nossas limitações. Não há nada de bom ou nobre nas doenças e na morte.

No passado não havia alternativa a não ser tentar racionalizar:
- "Oh, esta tragédia é na realidade uma coisa boa!"
Mas a morte é uma profunda tragédia. É uma perda enorme em termos de relações, de conhecimento,
de habilidades e de sentido. Algumas pessoas articulam: "nós temos que aceitar a morte,
esse é o objectivo da vida."
E ficam confortáveis com isso, se conformam com a ideia. Eu não me conformo. Muitas coisas alteraram-se em apenas alguns anos. Então nós estamos expandindo, num ritmo acelerado, as nossas próprias fronteiras, as nossas próprias capacidades.

E, fundamentalmente, nós precisamos de nos tornar mais inteligentes, ampliando a nossa inteligência com este "amplificador mental" que é a nossa tecnologia.

De forma a continuarmos esta grandiosa busca por aumentar o conhecimento humano.

Uma das pessoas que discordam de você está na linha, de Knoxville, Tennessee.

Olá, eu sou um cientista de materiais. Trabalho num laboratório.

Sou um grande fan do Book TV (canal de TV).

A razão pela qual estou ligando hoje é para expressar minha decepção por terem convidado este lunático altamente sofisticado.

Dando-lhe um fórum nacional para ele expressar suas pseudo-religiosas previsões que não têm nenhuma base na realidade.

Eu levei algum tempo para mentalmente organizar minhas emoções e ideias sobre as implicações, dramáticas, do que eu vejo para o futuro.

Então, as pessoas que nunca ouviram ideias deste gênero e as ouvem pela primeira vez, têm reações superficiais.

Eu vejo-me há algumas décadas atrás e me dou conta de que é um longo caminho para sentir-se confortável com o futuro à nossa frente.

A Singularidade é o ponto em que uma máquina inteligente começa a alterar-se a si mesma.
A aprimorar a si mesma. A inteligência artificial fica cada vez melhor até chegar a um ponto em que... assume o controle.

A grande implicação da Singularidade é que não sabemos quais são as implicações da Singularidade.
O termo Singularidade é um termo da matemática.
Singularidade é quando o modelo quebra.
Como no centro de um buraco negro na física.

Singularidade, é um rompimento da fábrica do espaço-tempo. As coisas, simplesmente, mudam de repente, não há uma transição suave.

Será interessante ver se nós iremos além dos próximos 10 ou 20 anos.

Quando e se atingiremos um ponto em que as máquinas se tornarão mais capazes de fazer coisas como pensar.

As consequências disso, tais como: quem irá governar o mundo? E aonde isso nos levará, como estaremos relacionados.

É, realmente, difícil perceber. Eventualmente, transcenderemos a humanidade. Eventualmente, iremos além de toda a forma de pensar, sentir, existir e relacionar de que a humanidade é constituída.

A Singularidade é de proporções míticas, é uma ideia tão vasta que temos de lidar com ela.
Ainda que não fosse verdadeira.

Talvez a Singularidade, como outros eventos míticos, tenha muitas definições.
Uma dessas definições é a ascensão de uma superinteligência que, rapidamente, inventará soluções para os maiores problemas que temos.
Então, muito rapidamente, teremos coisas como a imortalidade, ou coisas parecidas com superpoderes.

Há muitas coisas em que o Ray está certo, mas está completamente errado nas datas.
Definitivamente, muito desta visão de futuro,
é uma profunda vontade das pessoas assistirem a estes eventos antes de morrerem.
Temos muitas pessoas imaginando que o futuro acontecerá em 2040, ou perto disso, mesmo antes de morrerem. Então eles conseguirão presenciar isso.
Imortalidade, sim, algum dia será possível mas não é para 2040. Os objetos estão por aqui.

Ray: Aqui está um Kurzweil Grand. É um piano Kurzweil.
O meu pai tinha este busto de Beethoven. Na verdade, é a máscara mortuária de Beethoven. Parece-se com o meu pai. As pessoas pensam que é a máscara dele.
Estes são livros restritos de negócios, colocações privadas, vendas de companhias.
Esta é a mesa de prêmios. Tenho cerca de 300 figuras de gatos.
"Saúde pra sempre".
Na nossa família, não é apenas uma saudação.
Este é o nosso jardim.
Está um pouco grande demais.
Eu sou o jardineiro assistente.
Sim... pois.
O meu pai realmente adorava jardinagem.
Ele adorava criar ele mesmo coisas lindas com diferentes tipos de flores.
Não é algo que eu tenha herdado dele.
Os meus pais evolviam-se em arte.
A minha mãe era uma artista muito talentosa.
O meu pai era um músico brilhante.
Geralmente, o tema de conversa à mesa de jantar tinha a ver com a excitação de alguma nova ideia que tivesse sido descoberta.
De teor científico ou social.
Havia um grande respeito pelo conhecimento humano.
Isto era parte da "religião" da minha família:
o poder das ideias humanas.
E o poder das ideias para moldar a história humana, superar problemas.
Era algo personalizado, assim "Você, Ray, pode encontrar ideias para superar desafios."
O meu pai era uma figura trágica e o seu gênio estava à frente do seu tempo.
Ele era capaz de criar efeitos mágicos com a sua música.
Ele trabalhava com paixão mas havia muitos desafios da vida real.
Ele lutava com a sua saúde.
Ele lutava com problemas financeiros de ser um músico e tentar suportar uma família.
E, também, suportando invenções tecnológicas dos filhos.
Se eu tivesse ideias, mesmo que fossem loucas, ele me dava suporte.
Fred era muito doente por causa dos problemas cardíacos e teve falhas cardíacas, uma em seguida da outra.
Quase mortais, infelizmente.
Fred trabalhava desde manhã cedo e nunca voltava a casa antes das 9 ou 10 horas da noite.
E eu penso que foi difícil para o Raymond.
Ele precisava de um pai e o seu pai nunca estava por perto.
Ele teve um ataque cardíaco quando tinha 51 anos.
E então teve falhas cardíacas e começou a ficar fraco.
Ele realmente esforçou-se muito para superar estes desafios mas nós não tínhamos o conhecimento médico naquela altura, simplesmente não existia.

Genética
Sala de Tratamento

O problema do meu pai foi uma nuvem na minha vida.
Eu tinha medo que as doenças do coração fossem hereditárias.
Nós somos, fundamentalmente, informação.
No núcleo de qualquer uma das nossas 10 trilhões de células estão os genes e genes são sequências de dados.
E eles evoluíram há milhares de anos atrás, muitos deles há milhões de anos atrás.
Nós temos todo este software (programa) que não é inteiramente importante para a era moderna em que vivemos.
E agora estamos compreendendo as implicações desses programas e aprendendo a mudá-los para substituir os problemas que encontramos.
Com que frequência faz isto?
Eu tiro sangue a cada 3 meses, talvez.
Tive uma dor um dia e fui ao hospital onde me diagnosticaram pancreatite.
Os meus níveis de protoporfirina estavam muito altos.
WholeHealth New England
O Farmacêutico Natural
Fui diagnosticado como portador de diabetes do tipo 2 aos 35 anos.
Eles deram-lhe um prognóstico muito delicado.
Isto foi muito difícil mesmo.
Assustou-me imenso, tenho de dizer.
Eu comecei com os métodos convencionais.
Foi-me dada insulina.
Que, na realidade, piorou as coisas.
Então eu tinha todos os indicadores de predisposição para doenças cardíacas.
Tivemos de tomar muito cuidado com isto.
Isto podia ser, realmente, mau.
Então eu comecei a conduzir isto com a minha própria abordagem.
Eu tenho esta disciplina de reunir conhecimentos em ciência, para superar problemas.
Ele é um grande gênio, mas também tem outro talento, sua habilidade para tomar pílulas.
Ele simplesmente... Eu espanto-me com isso.
A maioria das pessoas não o faria.
Mas ele está bem com isso.

Fórum de Inovação Mundial

Você esta com bom aspecto. Mas, você parece ainda melhor.
Tenho me esforçado muito.
O que você tem feito?
Bem, principalmente, reprogramo a minha bioquímica com muitos suplementos.
Tomo cerca de 200 pílulas por dia.
200? Vitaminas, minerais...
Vitaminas e minerais é o começo mas é realmente muito agressivo reprogramar a minha bioquímica para ser mais jovem.
Por exemplo, a sua membrana celular é feita de uma certa substância que se esgota ao longo do tempo.
É por isso que a pele num idoso perde flexibilidade e os órgãos não trabalham lá muito bem.
Você pode parar isso e, de fato, reverter esse processo de envelhecimento com esses suplementos, essas substâncias.
E onde eu encontro essas substâncias?
Bem, eu tenho delas para vender. Eu tenho uma empresa que comercializa suplementos para a longevidade.
Eu quero viver o mais que puder, eu não quero morrer.
Se, seguindo a dieta do Ray, eu atraso esse dia, então eu estou dentro.
A expectativa de vida era de 25 anos há milhares de anos atrás e é esse o nosso programa genético.
A biologia e a medicina costumavam progredir na base da tentativa e erro.
Agora, nós seremos capazes de reprogramar, tal como se reprograma um computador.
Eu tomo uma certa quantidade de suplementos, faço uma dieta e um programa de exercícios físico que, gradualmente, melhoram a minha sensibilidade à insulina. E levo em consideração o diagnóstico da diabetes tipo 2.
Eu obtive as ferramentas para perceber a biologia como sendo um processo de informação. O gene receptor de insulina de gordura diz:

"Segura aí todas as calorias, porque a próxima época de caça poderá não ser tão boa."

E essa era uma boa ideia há milhares de anos atrás. Mas, ao analisarmos a epidemia de obesidade, preferiríamos ajustar esse gene.
Então, quando esse gene é desligado em ratos diabéticos, eu trabalho com esses animais, e eles recebem insulina, e permanecem magros, não ficam diabéticos, não têm doenças de coração, vivem 20% mais.
Existem algumas empresas farmacêuticas apressadas em trazer para o mercado inibidores do gene receptor de insulina de gordura. Eu penso que será uma droga com bastante sucesso.
Todas as drogas disponíveis para dieta no mercado funcionam inibindo o apetite, o que não é realmente o que nós queremos. É como ter pílulas anticoncepcionais que inibissem o desejo sexual.
Eu penso que os seres humanos são maravilhosos. Nós somos os nossos corpos. Não existem genes bons ou genes maus, há um equilíbrio na genética. Nós podemos fazer uma série de coisas estúpidas, tentando alterar o ser humano para melhorá-lo. O resultado disso pode ser trágico.

Ray é uma pessoa muito interessante, divertido, uma espécie de visionário. Mas ele não é um biólogo. E acho que se ele fosse biólogo, seria mais moderado na extensão das suas extrapolações das aplicações da nossa tecnologia.

Usar a engenharia para criar um ser humano melhor será uma tarefa difícil. Nós tivemos 5 milhões de anos de testes de campo e isso filtrou a existência de um organismo que é muito sintonizado
com a organização do ambiente e com a organização das possibilidades.
Perturbar esse equilíbrio, exagerando algum traço, vai nos custar algo também.
Nós simplesmente, não deveríamos, arrogantemente, pensar que podemos transcender a sabedoria de milhares de anos de experiência humana.
A natureza do corpo humano é a mais milagrosa das criações. Talvez junto com a tangerina.
Mas ainda temos um longo percurso para desenvolver esta máquina notável.
Samantha vai cobrir este novo segmento.
Choque do Futuro!


Choque do Futuro

Nós estamos numa viagem dentro do corpo humano.
Então, como será nos próximos 100 anos?
O futurista e autor, Ray Kurzweil, vai dizer-nos.

- Choque de Futuro -

Imortalidade.
- Como será o corpo no futuro?
- Bem, o principal são os nanorobôs. Dispositivos do tamanho de células sanguíneas capazes de nos manter saudáveis por dentro.
- Então nós teremos robôs em miniatura nos nossos corpos?
- Exatamente.
- Nós seremos perfeitos.
- O que é perfeição para você?
- A capacidade de * com os olhos.
A biologia é impressionante, intricada, inteligente. Mas, também, é muito inferior quando comparada ao que, em última análise, poderemos construir com a nanotecnologia.


Nanotecnologia
Nós estamos construindo agora dispositivos à escala nano. Esta é uma animação de glóbulos vermelhos robóticos.


Análises demonstram que, se subsistirem uma porção do vosso sangue por estas versões robóticas, poderíamos fazer uma corrida olímpica por 15 minutos sem respirar ou sentar no fundo de uma piscina durante 4 horas.
Seremos capazes de descarregar software contra agentes patogênicos específicos.
Inclusive aqueles que nunca foram vistos. Não seremos alvo de doenças auto-imunes.

E se olharmos para o que será, em princípio, possível com a nanotecnologia, nós poderemos ir muito mais além das limitações dos nossos corpos "versão 1.0".
Estas questões vão dominar as nossas políticas globais este século.
Esta é a questão do século.

Boa noite.

Há mais capacidade computacional num pequeno grão de açúcar quando ele é "nanotecnologiado" a 1 bit por átomo sendo lançado para trás e para a frente em femtosegundos (10^-15).
Há mais capacidade computacional nesse grão de areia do que no nosso cérebro humano, na ordem de bilhões de vezes a mais ou algo parecido.
Então, estas máquinas, se decidirmos construí-las, estaremos construindo deuses.
Meu nome é Hugo de Garis, é um nome "afrancesado". Sou professor de ciência da computação e física-matemática na Universidade chinesa Xiamen. Tenho um contrato de 4 anos para criar o primeiro cérebro artificial chinês.
A inteligência artificial hoje, em termos de inteligência genuína, não estamos falando de IA, mas sim de EA, "estupidez artificial".
Ainda temos um longo caminho pela frente.
O problema é que a ciência do cérebro ainda não sabe o que realmente é a inteligência.
Nós ainda não sabemos realmente.
A neurociência ainda está engatinhando, ainda nem aprendeu a andar.
Aquilo fala.
A minha crítica ao ponto de vista do Ray é... Bem, eu penso que ele está sendo ingênuo, no sentido em que, ele não dá considerações suficientes sobre as possíveis consequências negativas destes desenvolvimentos.
O sentido dele, a sua razão de viver é criar invenções para ajudar a humanidade.
Então, para ele ouvir alguém como eu dizer que
estas invenções poderão acabar sendo o estopim da pior guerra que a humanidade já teve...
Enlouquece-o, ele não quer ouvir este tipo de coisas.

Milão, Itália

A natureza do progresso é exponencial e se pensares sobre o que isso significará
para a biologia, IA (inteligência artificial), nanotecnologia.
De fato, todas essas coisas vão acontecer simultaneamente, todas irão "construir-se" umas às outras.
O futuro será, a meu ver, mais fantástico do que qualquer coisa que já tenha sido imaginada.
Há inteligência artificial em todo lugar.
Cada vez que vocês fazem uma chamada telefônica, enviam um e-mail...
Algoritmos inteligentes lêem a informação.
Algoritmos inteligentes pilotam aviões, controlam sistemas de armamento inteligentes, fazem decisões financeiras de bilhões de dólares todos os dias.
Existem centenas de exemplos de software (programas) fazendo o que costumava ser feito por humanos.
É inteligência artificial estreita, mas a limitação é cada vez menor.
E a fonte de como criar sistemas mais inteligentes virá e tem vindo do próprio cérebro humano.
Descobrimos como olhar o cérebro mesmo através do crânio.


E a resolução desses scanners duplica todos os anos. A quantidade de dados que conseguimos duplica todos os anos.
E estamos aprendendo que, na verdade, podemos usar esses dados, para inseri-los em modelos funcionais e simulações de regiões do cérebro. E penso que é até conservador dizer que nesse ritmo exponencial, nós iremos compreender como o nosso cérebro funciona em 20 anos.
Nós teremos este "kit de ferramentas" de como a inteligência funciona. Seremos capazes de criar sistemas similares que trabalhem tão bem quanto o cérebro humano ou até mesmo melhor. Os computadores de hoje já conseguem fazer coisas que nós não conseguimos. Pegue as vantagens da máquina e junte-as com o poder de reconhecimento de padrões, inteligência emocional que nós temos.
E essa será uma combinação muito poderosa. E há mais uma observação:
Estas inteligências artificiais irão continuar a expandir-se mais do que o dobro todos os anos e vão continuar a crescer exponencialmente. Os nossos cérebros biológicos são constantes. O cérebro humano tem uma certa quantidade de coerência e complexidade.
E quando nós tivermos programas de software com essa complexidade e coerência, particularmente se eles forem simulações de cérebros humanos, eles parecerão muito humanos. E, realmente, não haverá muita diferença. Não há nada nos nossos corpos biológicos e cérebros que nós não poderemos recriar e aprimorar. E, de fato, criaremos IA's que serão pessoas reais.

Queens. Nova York

Esta é a casa, parece a mesma, penso que ainda temos a televisão. Houve muitos momentos felizes e tristes. Felizes, a maior parte. O meu pai era um homem muito ocupado na minha juventude. Quando eu tinha 15 anos, ele teve o seu primeiro ataque de coração.
E, depois disso, ele ficou mais em casa. Nós desenvolvemos uma relação adulta, eu tornei-me seu confidente, ele contava-me as suas preocupações.
Eu penso que o Fred sabia que estava prestes a morrer e ele era muito forte em relação à morte.
A saúde do meu pai foi diminuindo cada vez mais nos seus últimos meses de vida. Ele teve mesmo dificuldades em andar, porque o seu coração estava muito fraco.
Eu recebi uma chamada da minha tia, creio eu, dizendo que ele tinha falecido. A chamada não foi surpreendente, mas foi chocante. Eu nunca tinha tido essa experiência antes. Senti-me frustrado, mantê-lo vivo era um objetivo que tinha escorrido pelos meus dedos. O meu pai tinha 58 anos quando morreu. Houve um sentimento de tragédia por...
Eu penso que ele foi um grande talento que nunca teve oportunidade de se expressar plenamente.
Eu sabia que havia uma razão para eu guardar todas estas coisas. Ele guardava todas estas coisas.
Eu fiquei com todas as suas cartas, todas as suas músicas e todos os seus documentos e todas as suas faturas de eletricidade, todas estas coisas. Eu planejo trazer o meu pai de volta.
A minha memória dele já não é a mesma, mas ele ainda me visita em sonhos.

Kevin Kelly (Co-fundador da Wired Magazine): O que acontecerá daqui a 40 anos quando o Ray morrer sem trazer seu pai de volta. O que tudo isto significa? Estaria ele errado?
Bem, ele terá acertado sobre algumas coisas. Ele imagina uma série de tecnologias que ele terá, dentro de um certo tempo, antes de morrer. Na minha observação, os percursores dessas tecnologias que teriam de existir, simplesmente não estão aqui.

As expectativas de Ray são comoventes. Mas... Não vão acontecer.

Ben Goertzel (Engenheiro de IA): Certamente, haverá uma altura em que uma IA irá dizer: "Sim, sei que existo, tenho consciência e mereço direitos."
A mais sólida questão filosófica é: Quando você poderá acreditar nela?
Eu não quero minimizar o interesse nesta questão mas eu penso que quando nós criarmos IA's que digam que são conscientes e interajam connosco de forma influenciável, a questão filosófica tornar-se-á irrelevante.
Da mesma forma que é irrelevante agora, eu tenho que interagir com você quer você seja consciente ou não, porque eu acredito que você é.
Eu penso que as pessoas vão interagir com IA's quer queiram ou não.
Quando tivermos inteligências artificiais, significativamente, superiores à humana, elas serão capazes de fazer coisas incríveis, muito além do que nós podemos sonhar.

Na minha perspectiva, elas [as IA´s] se assemelharão a deuses tal como nós pareceríamos deuses para uma barata ou para um rato.

Quando tivermos uma IA que seja um cientista mais inteligente que qualquer humano, que seja 10 vezes mais inteligente que Albert Einstein, quem sabe o que essa IA será capaz de fazer?

Ray: Por volta de 2030, as IA's serão milhões de vezes mais inteligentes que os humanos. Então, estamos falando de um vasto nível de inteligência. Poderá ser considerado um pecado. Criar uma pessoa...

Para os defensores do sagrado é uma pessoa virtual existindo numa realidade virtual.
Essa é uma réplica muito próxima de uma pessoa real, baseada na informação que temos dessa pessoa.

O meu trabalho neste projeto, agora, é manter e reunir tanta informação quanto possível sobre o meu pai. Então, estas futuras IA's terão algo com que trabalhar. Ele gostava de papelada assim como eu. Tenho 50 caixas de documentos dele, todas as suas cartas.
Tenho suas músicas. Estes são livros de finanças do meu pai. E eu tenho as minhas próprias memórias dele, que estão começando a apagar mas estas futuras IA's que irão estar no meu cérebro, reavivarão até as memórias que eu tenho dificuldade de acessar
Estas são instruções do meu pai enquanto tocava piano. Ele era o meu professor de piano.


Então, com toda esta informação, eu penso que uma IA conseguirá criar algo muito parecido com o meu pai. Costumava achar inútil manter todos estes corpos mortos em nosso redor. Mas, agora, me parece útil do ponto de vista prático, ter um lugar onde esse DNA está acessível. As pessoas vivem nas nossas memórias e criam trabalhos que deixam para trás. Então, nós reunimos todas essas "vibrações" e trazêmo-las de volta, creio eu.

Ben Goertzel (Engenheiro de IA): O Ray é um pouco mais que um otimista orientado pela realidade. Eu penso que o cenário otimista poderá acontecer e eu espero que aconteça, que a Singularidade traga uma vida melhor e mais longa para os seres humanos e assim por diante.
Por outro lado há possibilidades perigosas e bastante plausíveis.
Não há a mínima hipótese de nós mantermos o controle de uma IA super-humana que tenhamos criado. Estas são as hipóteses. Eu não consigo imaginar o meu cão controlando-me.
Não deixaria uma bactéria me controlar. Quando se é 10 mil vezes mais inteligente do que nós... Quem garante que ela não descobrirá uma forma de reprogramar o seu cérebro ou o nosso cérebro de forma a contatar os alienígenas no universo mais próximo e falar:
"Oh! Finalmente alguém inteligente o suficiente para se juntar ao clube."
Aí, têm eles o controle sobre nós. Mas não há muita garantia sobre o que acontecerá se nós não construirmos uma IA.
Há outras tecnologias interessantes por aí nanotecnologia, biotecnologia.
Todas estas outras tecnologias têm os seus próprios riscos.
Então, não é evitando construir uma IA que tudo ficará seguro e fácil de compreender.
Eu penso que o Ray está errado em ser tão otimista e penso que outros que são mais distópicos estão errados sendo demasiado pessimistas.
Nós, simplesmente, não sabemos e, simplesmente, não podemos saber.

Hugo de Garis (Professor, Xiamen University): Acho que sou mais conhecido pelo conceito da Guerra dos Artilects.


Guerra dos Artilect

Artilect: são duas palavras juntas. Artificial Intellect (Intelecto Artificial), então: Artilect. Estas máquinas poderão, por qualquer razão, aniquilar a humanidade. Há sempre esse risco.
Pense no jeito como nós, seres humanos, olhamos para as formigas ou mosquitos.
Você sabe... nós matamos eles e não damos a mínima para isso, porque nos sentimos tão superiores a eles e eles são tão inferiores a nós.
Então quem pode dizer que um Artilect que se torne trilhões de trilhões vezes superior às capacidades humanas não olhará para nós da mesma forma? Nós nunca teremos garantia.
Eu prevejo que haverá uma grande guerra no final do século 21 entre dois grupos humanos.
Um grupo que acredita que a forma de assegurar que o risco será zero, é nunca chegar a construir tais máquinas.
Mas, para um segundo grupo, para eles será quase que uma religião construí-las, porque estas máquinas serão semelhantes aos deuses.
Portanto, você tem aqui uma fonte de conflito entre estes dois grupos humanos.

Bem, levando em consideração as armas do século 21, nós estamos falando de uma grande guerra que matará não milhões, mas bilhões de pessoas.

Eu próprio, como construtor de cérebros, estarei eu preparado para arriscar a extinção da espécie humana em prol da construção de um Artilect?
Porque é disso que se trata. Pois...

Ray: Nós podemos falar sobre soluções técnicas para vírus. Nós podemos falar sobre soluções técnicas para a nanotecnologia auto-replicável.
Mas para inteligência artificial, aí estamos falando do mais poderoso fenômeno no mundo, que é a inteligência. Não há soluções mágicas.

Não há: "Ok, nós apenas colocamos este pequeno código no programa e teremos a certeza de que estas IA nunca serão perigosas." Não existe solução técnica assim.
Se me perguntarem qual é o grande desafio o século 21? É manter as AI's "amigáveis", como alguns dirão. Mas, realmente, é manter as IA's refletindo os valores humanos.
Estes IA's serão muito mais inteligentes.

Começarão por ser tão inteligentes quanto nós, com limitações de conhecimento, mas começarão a melhorar-se farão descobertas e todo o processo será muito mais rápido.
Eu estou usando a terceira pessoa - eles - mas, de fato, seremos nós.

Kevin Warwick (Professor. Universidade de Reading, UK): O que eu sinto que a Singularidade é, é quando olhamos o futuro, chegamos a um ponto em que máquinas inteligentes superiores ou ciborgues começarão a dominar. A Singularidade é o ponto em que humanos perdem o controle.

Nós chegaremos ao cenário de "O Exterminador do Futuro", é isso que eu vejo.
As máquinas inteligentes são quem manda.

Os humanos... subservientes, escravos, talvez sejam criados em fazendas se tiverem sorte.

Olhando para como nós somos agora, não me parece que o futuro será bom. Se você é um humano depois da Singularidade, esqueça. A maioria das pessoas conhece-me pelas experiências com implantes que eu fiz em mim mesmo. Neste pequeno frasco está o primeiro implante que tive. Foi implantado aqui e identificava-me para o computador no edifício.

Olá, professor Warwick. O último implante que tive foi muito mais sério. O que temos aqui é um conjunto de 100 eletrodos. E isto foi implantado nos nervos medianos do meu braço esquerdo.
Então, tive fios que saiam do meu braço para um pequeno bloco conector e, assim, podíamos, simplesmente conectar a isto. Eu fui para Nova Iorque e pluguei o meu sistema nervoso na internet em tempo real. E ligamos ao robô que ainda estava aqui em Reading (Inglaterra). Então quando a mão robótica tocava um objeto, o meu cérebro recebia impulsos eléctricos.

O que os cirurgiões encontraram, quando tirei o implante, foi que o tecido corporal tinha crescido à volta do implante, colocando-o em posição.
Muito rapidamente, mentalmente e fisicamente, torna-se parte de você.

Quando você ligar o cérebro humano a uma rede de computadores, não só você poderá melhorar a comunicação sensorial como poderá pensar em muito mais dimensões.
E ter memória extra, claro, essa é a vantagem óbvia.
Como ser humano, sou muito limitado e restrito no que posso fazer.
Portanto, se eu puder sair da Singularidade, sendo mentalmente e fisicamente aprimorado...

Sim, eu quero isso.

Por isso, eu não me importo de alterar, dramaticamente, aquilo que sou.

Ben Goertzel (Engenheiro de IA): Eu acredito que no futuro haverá memórias flash
que você poderá ligar ao seu cérebro.
Poderemos ligar os cérebros a programas de cálculo e estatística.
E pesquisar no Google diretamente do lobo frontal (cérebro).
Haverá muitas expansões para a mente, através da interação entre cérebro humano e a tecnologia.

Há uma pergunta sem resposta:

Quão longe você pode ir e ainda ser humano?

Peter Diamandis(Presidente. X-Prize Foundation): À medida que nos fundimos com as máquinas, e eu penso que iremos, é inevitável, vamos nos transformar em algo novo.

Kevin Warwick (Professor. Universidade de Reading, UK): À medida que a tecnologia se torna vastamente superior ao que nós somos, aí, a pequena dimensão que ainda é humana vai tornando-se menor e menor e menor, até que que se torne insignificante.

Peter Diamandis(Presidente. X-Prize Foundation): Qualquer um que venha a resistir a este progresso, estará resistindo à evolução e, fundamentalmente, acabará por se extinguir. A questão não é se é bom ou mau. Vai acontecer.

Ray: Olhe para o ponto em que a maioria das ações provêm da nossa inteligência não-biológica e a inteligência não-biológica não será apenas nano-robôs em nosso cérebro.
Haverá computação fora da World Wide Mesh, a computação em nuvem que já está a emergir, todos os computadores do mundo interagindo.
Parte da nossa existência será programação, nesta computação em nuvem.
Se nós chegarmos a 2045, passaremos a maior parte do nosso tempo na realidade virtual.
Hoje em dia as pessoas passam parte do seu tempo em ambientes de realidade virtual, mundos virtuais como o Second Life.
Hoje em dia não parece tão real quanto a verdadeira realidade. Mas se você olhar para os video-games como nós fomos de jogos como "Pong" para os gráficos muito realistas de hoje. O mesmo acontecerá nestes ambientes de realidade virtual.

Philip Rosedale (Criador do Second Life): Este crescimento com tendências exponenciais, de que o Ray fala, não é mais visível em outro lugar como o Second Life. Onde, o crescimento exponencial dominou, sem variação. É interessante ver este tipo de fenômeno de crescimento exponencial aplicado ao nosso mundo.
E veremos que a realidade virtual está crescendo exponencialmente e o mundo real é claro que não está.

Ray: Esta realidade virtual acabará por estar dentro do nosso cérebro e aí estaremos completamente integrados com todos os nossos sentidos.
A realidade virtual acabará por ter todos os recursos da verdadeira realidade e muitos mais.

Você poderá escolher entre bilhões de ambientes diferentes.
Você poderá ser uma outra pessoa, não terá que ter sempre o mesmo corpo entediante.
Você poderá se transformar em pessoas diferente sem diferentes situações.
E ao longo do tempo os nossos corpos biológicos se tornarão obsoletos.
Teremos vários corpos e olharemos para trás, para a ideia de termos apenas um corpo e de sermos dependentes desse único corpo biológico que não pode criar uma cópia de segurança para um ficheiro principal, como uma era muito primitiva.

Robert Metcalfe (Co-inventor da Ethernet): O Ray fala de fazer upload (enviar dados) das suas... De tudo aquilo que caracteriza ser humano, todas as suas memórias e todas as suas experiências,poderão ser enviadas para a internet.
E rodar em computadores. E isso suscita questões filosóficas:

Isso é você? E se isso funcionar para sempre, isso é imortalidade?

Dean Kamen (Inventor): Eu penso que é altamente provável que as crianças nascidas hoje crescerão com o conceito de que a imortalidade é plausível.
Que os seus corpos só servem para viver um pouco.
Mais do que nós, com certeza, nós queremos viver por centenas de anos ou milhares de anos. Sendo realista, penso que estas questões não terminarão por aí, para as crianças nascidas agora.
Eles seguirão em frente para uma série de definições melhores e expectativas sobre a vida,como é composta e como é mantida.

Peter Diamandis(Presidente. X-Prize Foundation): A Vida neste planeta teve este processo evolutivo: Nós começamos na forma de uma célula procarionte unicelular e depois incorporamos tecnologia, o núcleo, o retículo endoplasmático.
E, então, uma célula unicelular complexa tornou-se uma forma de vida multicelular.
Nós estamos, simplesmente, seguindo esse mesmo exemplo de processo evolutivo agora.
Nós humanos vamos começara ligar-nos uns aos outros e a construir esta megainteligência.
E, eventualmente, toda a raça humana será interligada. E seremos como deuses.
As pessoas não gostam de ouvir isso mas, nós, em termos de ambições somos capaz de saber tudo ligando os nossos cérebros ao Google.
Capaz de controlar algo que esteja no outro lado do mundo. Onipresente, capaz de saber os pensamentos de alguém no Japão ou Havaí, onde quer que esteja,a qualquer hora.
E quando eu paro para pensar nisso, assim que você se liga a essa rede global e sabes os pensamentos e sentimentos de milhões de pessoas, se desligar será uma solidão.

Chuck Missler (Tecnologista/Radialista): Deus é quem ele é e o nosso desafio devia ser conhecê-lo e não tentar criá-lo. Ok, esta é a sessão Microfone Aberto. Nós temos o cenário previsto de que o mundo segue para um Armagedom.
E você e eu seremos a geração viva que verá o Sol acabar. As possibilidades do Ray para o ano 2040 e dali em diante... Há razões bíblicas para suspeitar que não chegaremos lá.
A perspectiva bíblica é de que o homem será abandonado e destruirá a si próprio.
Há aqui o risco começando a se desenvolver de uma visão panteísta de Deus,que deus está em todo lugar e que nos tornaremos deuses.
Esses tipos de conceitos podem ser muito elegantemente articulados mas também são um caminho para a destruição. Há o perigo de começarmos a nos levar muito a sério ao invés de levar Deus a sério.

Ray: Ele ligou-me muito triste e disse que estava só e com saudades de mim. Isso não era característico dele. Porque ele não era de fazer declarações sentimentais assim.
Ele deve ter sentido algo. Isto foi pouco antes de ele falecer. Provavelmente, a última vez que falei com ele.

Entrevistador: Ray, no que você está pensando?

Ray: Bem, eu estava pensando em quanta computação é representada pelo oceano. Todas estas moléculas de água interagindo umas com as outras, isso é computação. É muito bonito e eu sempre achei isto muito relaxante.

E a computação tem a ver com isso: capturar estes momentos transcendentes das nossas consciências.

Apresentador: Ray Kurzweil.


Forum Mundial de Negócios. São Paulo, Brasil

Ray: Nós somos a única espécie que realmente vai além das suas limitações.

Nós não ficamos no chão. Nós não ficamos no planeta. E não nos limitamos pela nossa biologia.
Apenas há 200 anos atrás, em 1870, a expectativa de vida humana era de 37 anos. Agora é quase 80.

De acordo com os meus modelos,daqui a 15 anos nós adicionaremos à nossa expectativa de vida um ano a mais para cada ano vivido...

Não apenas à expectativa média de vida dos recém nascidos, mas à expectativa de vida restante das pessoas vivas hoje.
À medida que avançamos um ano, a expectativa de vida média vai se afastando de vocês (aumentando).
Portanto, se conseguirem aguentar firme por mais 15 anos, poderemos vivenciar o notável século à nossa frente.



Ray: A humanidade passou milhares de anos racionalizando a morte e criando filosofias bastante elaboradas.

A tragédia da doença e da morte,têm que ser vivenciada pessoalmente para realmente avaliarmos seu significado.

Perder alguém que você ama é intolerável. É razão suficiente para trazer alguém de volta. As pessoas estão matando a si mesmas quando dizem que estão confortáveis com a morte. Elas se renderam à morte. Penso que estão se enganando.
Então me me dei conta de que esta missão de não morrer é realmente a escolha certa.
Não é garantido que eu conseguirei. Não sou imune a tudo o que me possa acontecer.
Se eu fosse um apostador, apostaria que conseguirei chegar ao momento em que poderei me aprimorar e obter proteção antes do "apagar das luzes".



Ray Kurzweil foi hospitalizado em 2 de Abril de 2008, no hospital Mt. Auburn em Boston, Massachusetts. Foi descoberto que a sua válvula cardíaca estava defeituosa devido a um defeito congênito.

Às 8 horas ele foi submetido a uma cirurgia cardíaca.



Bem, eles tiveram de cortar o osso do peito para chegarem ao coração. Depois, pararam o coração. Cirurgiões repararam a válvula cardíaca. Depois, fecham tudo,e reanimam o seu coração e a operação termina.

Eu ainda não vivo na Web (internet),eu ainda dependo deste corpo biológico e, na realidade, é um corpo biológico com alguns genes muito indesejáveis.

Eu tenho lutado com isso toda a minha vida e, na verdade, estou me saindo bem.

A incisão foi aqui.

Seis meses após a cirurgia.

Eu não tenho grande respeito por corpos biológicos,
estou sempre prevenido para o pior.

O que me preocupa é que alguma coisa corra mal e que não haja nenhum procedimento bem estabelecido e que eu tenha de fazer algo experimental e perigoso.
Ou, talvez, nem exista algo e eu tenha de inventar alguma coisa rapidamente.

Dr. William B. Hurlbur (Professor de Neurociência. Stanford University): Eu não acho que vamos ressuscitar um morto. E eu não acho que vamos migrar nossas mentes para a internet nem o nosso senso de significância para um computador. Não, não acho.

E eu não sou diferente de ninguém, eu tenho pavor de doenças e eu tenho pavor da minha própria morte até um certo ponto.

Eu não diria que tenho medo disso, eu sou um cristão praticante, acredito na vida eterna. Nós vamos superar a morte, não desta forma, não a morte física. A morte é superada espiritualmente.

Ray: As implicações das minhas ideias têm ressonância com algumas ideias religiosas tradicionais.

A ideia de uma profunda transformação no futuro, vida eterna, trazer de volta os mortos. O fato de usar tecnologia para atingir os objetivos que falei, que são comuns a todas as filosofias humanas não é mera coincidência, porque esses são os objetivos da humanidade.

Agora estamos ganhando mais ferramentas para atingir esses objetivos.

- Igreja Unida de Cristo 50º Convenção de Aniversário -

Penso que nós somos o ponto máximo de inteligência e beleza.
O quanto a tecnologia vai transformar a humanidade?
E nós temos poderes de deuses,porque nós podemos alterar o mundo.
Não facilmente mas as ideias são muito poderosas, olhe para o que elas já fizeram.

Barack Obama: Tenho esperanças porque eu penso que há um despertar, ocorrendo na América. As pessoas estão unindo-se em torno de uma simples verdade, a de que estamos todos conectados.

Ray: Todas estas diferentes tradições religiosas, descrevem deus da mesma forma, como sendo onipresente, sendo ilimitado em termos de criatividade, inteligência.
E de fato o processo evolutivo faz-se de forma exponencial nestas mesmas propriedades.
Nunca tornando-se infinito, nunca tornando-se deus mas evoluindo e se aproximando cada vez mais de algo semelhante a deus.
Então podemos dizer que a evolução é um processo espiritual.
O que o evolui é a nossa própria inteligência, nossa capacidade de apreciar a nós mesmos, nós somos uma espécie que se exprime. Nós podemos usar este grande insight para tornar o mundo melhor. Muito obrigado.

Penso que, a longo prazo, ele será visto como alguém que era mais um poeta do que um mecânico. A sua crença nesta completa...parece que ele não tem dúvidas disso, e nesse sentido eu penso que ele tem um aspecto profético, no sentido figurado, de que está completamente seguro e nada pode afetar a sua absoluta certeza sobre isto.
Portanto, eu diria que ele é uma espécie de profeta dos dias de hoje.
Isso é errado.

Ray: Ele pode ter tido uma vida difícil. Mas teve muita alegria da sua música e família. É reconfortante estar aqui. É de certa forma uma lápide encantadora.
Eu gosto desta frase. Frederic Kurzweil:

Minha passagem não terminará neste vale verde.


Definitivamente, a passagem dele não termina por aqui.

Conferência de Imprensa
Apresentação do Leitor Portátil Kurzweil
Apresentador: Esta tecnologia cabe nos seus bolsos. Eu estou retirando-o e aqui está ele.

Olá, eu sou a interface de teclas do seu leitor portátil.
Capturando a foto.
A incerteza da exploração procede para a localização especifica em que...

- Eu agradeço-lhe tanto! Todo o trabalho que fez.
- Ótimo.
- Eu apenas queria agradecer-lhe pessoalmente pelo leitor.
- Obrigado.
- Ok, bom, assim está bom.

Você não tem que imaginar a Singularidade para ver mudanças notáveis vindas da tecnologia. Veja hoje o quanto a tecnologia é notável. E não para de evoluir.

É importante perceber que estas poderosas tecnologias se tornarão muito baratas.
No início, elas são caras. Mas nesse estágio não funcionam muito bem. À medida que são aprimoradas Também vão ficando mais baratas. O computador que você têm no bolso é equivalente a um computador de 100 milhões de dólares há poucas décadas atrás. As ferramentas que alteram o mundo estão nas mãos de todas as pessoas.

Hoje, você pode copiar um arquivo de informação, um filme, um álbum ou um livro da internet.
Mas a verdadeira promessa da nanotecnologia é ter um dispositivo de mesa. Você pode ter um arquivo de informação e torná-lo num objeto físico. Imprimir uma camisa.
E enviar uma torradeira por e-mail ou uma tostadeira, ou uma maquete para que possa construir uma casa. A partir de matérias primas muito baratas, criaremos tudo que precisamos.

Portanto nós temos muita sorte, no sentido em que esta é a cornucópia desta explosão de informação. E por fim a informação será tudo. No futuro tudo se tornará inteligente. Nanorobôs vão encher toda a matéria à nossa volta com informação. Rochedos, árvores, tudo se transformará nestes computadores inteligentes.
Então, a essa altura iremos expandir-nos para o resto do Universo. Enviaremos enxames de nanotecnologia com inteligência artificial pelo Universo afora, à procura de outras matérias e energias que possamos aproveitar para expandir a inteligência da nossa civilização humano-máquina.

Nesse ponto, o Universo acordará, irá tornar-se inteligente. E isso multiplicará a nossa inteligência trilhões e trilhões de vezes. Nós não conseguimos compreender perfeitamente como isso será E e essa é a principal razão pela qual chamamos este evento de Singularidade. Mas independentemente do nome que se dê será o despertar do Universo. Então, se me perguntarem:
Deus existe? Eu diria: ainda, não...

Saiba mais sobre Ray Kurzweil e a Singularidade:

Raymond Kurzweil: Imortalidade e a Singularidade
Nicolelis ataca Kurzweil

[Via BBA]

Comentários

BLOGGER

$hide=/p/valores.html

[/fa fa-cloud/ Nuvem de categorias]$hide=mobile

Nome

A divulgar Abelha Acessibilidade acessório Acidente Acidentes Acústica Adágios Adestramento Administração adulto Aerodinâmica Aeronáutica África Agência Brasil Agência Fiocruz Agência Porvir Agência Senado Agência USP Agricultura Agropecuária AIDS Alcoolismo Alemanha Alerta Algoritmo Alimento Alzheimer Amazon Amazônia América Latina Análise Combinatória Anatomia Android Animação Animais de Estimação Animal Antropologia Apicultura App Apple Apresentação aquário Argentina Arqueologia arquitetura Arte Astrobiologia Astrofísica Astronomia Ativismo Áudio Audio FX Áustria Autismo Auto-ajuda Automobilismo Automóvel aventura Aviação Aviônica Bahia Balonismo Banco de Dados Beber e Dirigir biblioteconomia Bicicleta Biografia Biologia Biologia Marinha bioquímica Biotecnologia Bitcoin Blog Blogger Boato Bomba borderô de desconto Botânica BRASA Leads Brasil Brasília BRIC Browser Bugs CAD Calor Câmera lenta Campanha cardiologia Carnaval carreira Cartografia Casemods Caso Isabella Nardoni Caso Snowden Ceará Celebridades celular Células-Tronco Cérebro Charge China Cibercultura Ciclovia Cidadania Ciência Cinema Clip Cliparts Cloud computing Coaching Comédia competência Complemento de dois Comportamento Computação Computação em grade Computação forense Computação Gráfica Computação Móvel Comunicação e Marketing Concurso Concurso Cultural de Natal Concursos Público Concursos Públicos Conectômica Conferência Congresso em Foco Conspiração Consumidor Consumismo contabilidade Contos Copa do Mundo Cordel Coreia do Norte Coreia do Sul Corpo Coruja cosmética Cosmologia Crash Course Criança Criatividade Crime Crime Digital crise crise econômica crônica crônicas Cronologia CSS Cuba Culinária Cultura Curiosidades custos fixo custos variáveis Dança DAO Darwin Davos Debate Decoração demência Demografia Denúncia Dermatologia Desastre Natural Descoberta desconto duplicatas Desenho instrucional Desenvolvimento de jogos Design Design Instrucional Destaque Dia das Mães Dia do professor diabetes Dicas Didática Dieta diplomacia Direito Direito Eleitoral Direito Internacional Direito Tributário Direitos Humanos Disney Distrito Federal Documentário Doutorado download Drogas Drone Dubai e-Book e-governo EBC Ecologia Economia Editoração Eletrônica Educação Educação a Distância Educação Corporativa educação física Educação sexual Efeitos Sonoros Egiptologia Eleições Eleições 2014 Eleições 2018 Eletricidade eletrônica Embrapa empreendedorismo enciclopédia endocrinologia Enem Energia Energia Alternativa Energia Nuclear Engenharia Engenharia Agrícola Engenharia Civil Engenharia de materiais Engenharia de Software Engenharia Genética Engenharia Mecânica Enretenimento Ensino a Distância Ensino Superior Entomologia Entretenimento Entrevista Entrevista. Epidemiologia Epistemologia Equador Escândalo Escritório Espaço Espanha Espanhol Espeleologia Espetáculo Espionagem Esporte Estação Estágio Estatísticas estrutura de dados Ética EUA Europa Evento Evolução Exercícios físicos Exobiologia experiência fábulas Facebook Farmacologia Favo Feminismo Férias Ferramentas FIFA Filantropia Filmes Filosofia Finlândia Firefox Física Física Quântica Fisiologia Fisioterapia Flagrante Flamengo Folclore Fome Fonética Fonoaudiologia Fotografia Fotos em 360 graus França Francês frases Fraude Freeware Futebol Futurologia gadget Gafe Gastroenterologia Gastronomia Geek Genética Geofísica Geografia Geologia Geometria geopolítica Gerenciamento do Tempo Geriatria Gestão de Competências Gestão de Configuração Gestão de Pessoas Gestão de Projetos Gestão do conhecimento Ginecologia Glass Google Governo GPS Gradiente gramática Gravidez Grécia Grécia Antiga Guerra Guerra Civil Guinness H2 Haiti hardware História HIV Hololens homenagem Horologia HPV HTML Humor Humor Negro IBGE IBM ICIJ Idioma IHC ilo ilusão ilusionismo Imagem 3D Imagens Imagine Cup Império Romano Imprensa Impressora 3D Imunologia Incêndio Inclusão digital Índia Índios Infectologia Infográfico Informática Inglaterra Inglês Inovação Inspiração Inteligência Artificial intercâmbio Interface Interfaces Hápticas Internacional Internacionalização da Amazônia Internet Internet das Coisas Inundação Invenção Inventos iPad IPEA iphone Irã Iraque Israel Japão Java Java. jogos Jogos educativos Jogos Olímpicos Jornalismo Justiça Kinect Le Monde Diplomatique Brasil Le Monde Diplomatique Brasil Letras Lexicografia Liderança Life Hacking Linguística Literatura Livro Lógica Logística Loterias Lua Maçonaria Malásia Malvinas Malware Mapa Mário Sérgio Conti Marte Mastologia Matemática Matemática Financeira maternidade Mecânica Mecânica dos Fluidos Mecatrônica Medicina Medicina Esportiva Medicina Veterinária Meio Ambiente Mel melanoma Memória memorização Mente Mercado de Trabalho mercosul Mestrado meteorologia Metodologia Científica México Microbiologia Microsoft Mídia Social Militar Mineralogia Mistério MIT Mitologia Mobilidade Mobilidade Urbana MonaVie Montanhismo Moodle Mossad Motivação Movimento Maker MSF Mudança Climática Mulher Multimídia museu Música MVC Nanotecnologia Nasa Natação Natal Natureza Negócios Netflix Neurociência Neurologia Nicolelis Nordeste Noruega notícias Novidades Novo Enem Números Nutrição Obama Obesidade Observatório da Imprensa Obstetrícia Oceanografia odontologia Offshore Leaks oftalmologia Olimpíadas oncologia ONU Opinião Óptica Oracle Oriente Médio Orkut Ornitologia ortografia Ortopedia Ótica Otorrinolaringologia Oxfam Pacifismo Paginadores paleontologia Paquistão Pará Paraguai parkinson Passeio virtual Patinação Pedagogia Pediatria Pensamentos performance Periférico Pesca Pesquisa Petição Petrobrás Petróleo Photoshop Pirataria planilha de custo Playstation 3 Plebiscito Pneumologia Podcast Poesia Poítica Politica Política Portugal português Pós-graduação prazo médio Pré-sal Prêmio Nobel primatologia Primeira Guerra Mundial privacidade produtividade professor Hamilton Alves Programa Gratuito Programação Projeção Mapeada Projeto Truco Promoção Propaganda Psicanálise Psicologia Psicologia Animal Psiquiatria Pública publicidade Publieditorial Quadrinhos Quads Qualidade Qualidade de Vida química realidade aumentada realidade diminuída Realidade Misturada Realidade Virtual Reconhecimento de imagem Reconhecimento de voz Recorde Redação redes Referência Referendo Reforma Política Reino Unido Relacionamento Relações Internacionais Religião Responsabilidade Social Retrospectiva Review Rio 2016 Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul robótica Roda Viva Roma roteiro RSA Rússia Samsung Sanitarismo Santa Catarina São Paulo Saúde Savant Segunda Guerra Mundial Segurança Segurança da Informação Seleção Natural Séries serviço Serviço Online Sexologia sexualidade Show SIGGRAPH Simulação Singularity University Síria Sismologia Sistema operacional Sistemas de Numeração Sites de Busca Sociedade Sociologia Software Software Livre Sol Sono Sony SOPA Star Wars Suécia Sugestão de presentes Sun supercomputadores Sustentabilidade Tabagismo Taiwan Talento precoce taxa de juros efetiva taxa de juros nominal Taxas Equivalentes Taxidermia Teatro Técnicas de Estudo Tecnologia Tecnologia da Informação TED TED-Ed TedMed TEDx TEDx Rio+20 TEDxAmazônia TEDxAsaSul Telefonia Televisão Temas Tempo Tendências Teologia teoria das supercordas Terremoto Terrorismo Testes Tipologia Tomada de Decisão tradução Trânsito transporte tributo Trigonometria Tubarão Tunísia Turismo Tutorial Twitter Uber UFC UFG ufologia UFRJ Unicamp UNIFESP universidade Universidade Corporativa Universidade de Cambridge Universidade de Michigan Urbanismo Urologia USP Utilidade Pública Utilitário Vale Vaticano Veículo Autônomo Ventriloquismo Verão vestibular Vestimenta Vida Digital Vida Moderna Vida Selvagem Videogame Vídeos Vídeos 360 Violência Vírus Visão Computacional Vôlei Vulcanologia Watergate Política WCIT 2016 WCIT 2017 Web 2.0 Web Application Web Semântica Web Seminar webdesign Webinar widget WikiLeaks Wikipedia Windows Xadrez YouTube Zika Zoologia
false
ltr
item
Brasil Acadêmico: Homem Transcendente. Quando o homem se tornará um deus
Homem Transcendente. Quando o homem se tornará um deus
http://1.bp.blogspot.com/-KxmPcIFATn8/UzDmw0gy3DI/AAAAAAAAYco/NdcGPbpA290/s400/transcedente.jpg
http://1.bp.blogspot.com/-KxmPcIFATn8/UzDmw0gy3DI/AAAAAAAAYco/NdcGPbpA290/s72-c/transcedente.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2014/03/homem-transcendente-quando-o-homem-se.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2014/03/homem-transcendente-quando-o-homem-se.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Nenhuma artigo encontrado. VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTS Ver Todos Indicado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS ARTIGOS Nenhum artigo corresponde ao critério procurado Ir para Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir Este conteúdo é PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para o clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy