Menu

O blog do acadêmico descolado

 


Coca-Cola mata? Se você tomar de oito a dez litros por dia, é bem provável.

 Natasha Harris [Foto: AP]

Na Nova Zelândia, médicos suspeitam que o excessivo consumo de Coca-Cola possa ter levado uma mulher à óbito. Segundo seu parceiro, Natasha Harris bebia entre oito e dez litros por dia do refrigerante. Ela e veio a falecer em fevereiro desse ano, em consequência de um ataque cardíaco.

O patologista Dan Mornin afirmou em inquérito que ela provavelmente sofreu de hipocalemia, ou falta de potássio. O problema teria sido causado pela má nutrição e pelo consumo excessivo da Coca, sendo que um dos sintomas é justamente o funcionamento anormal do coração.

Ainda segundo Mornin, a cafeína incluída no refrigerante pode ter contribuído com a morte.

Chris Hodgkinson, que vivia com Natasha, a descreveu como “viciada em Coca[-Cola]”. Ele afirmou também que a mulher fumava 30 cigarros por dia e vinha tendo problemas de pressão e sentindo falta de energia nos meses que antecederam a morte.

Uma notícia nada abonadora para a marca, principalmente depois da notícia de que o corante contido na fórmula da Coca-Cola seria cancerígeno. Após o anúncio a empresa decidiu mudar a fórmula do produto e diminuir a quantidade da substância, embora afirme que a substância seja segura.

Médicos que não participaram do inquérito, concordaram que o consumo excessivo do refrigerante pode até levar à morte em casos específicos. Eles apontaram, inclusive, que o abuso de qualquer líquido em um clima frio pode afetar o equilíbrio do corpo.

A Coca-Cola Oceania divulgou uma nota afirmando que seus produtos são seguros para consumo.
Concordamos com a informação do médico legista de que a ingestão demasiadamente excessiva de qualquer produto alimentício, inclusive a água, em um curto período de tempo com consumo inadequado de nutrientes essenciais, e a ausência de intervenção médica apropriada quando necessário podem causar sintomas muito graves.

Muito bem, água pode matar. Mas o que não está explicado é porque Natasha tomava até dez litros de Coca-Cola por dia (acho que podemos dizer que ela era viciada, né?). Isso sim mereceria um aprofundamento.

Fonte: G1
[Via BBA]

Postar um comentário

  1. Ela era viciada em cigarro e coca e viveu até (não cita a idade que ela morreu)... anos? Isto é um milagre, pela qualidade de vida (provavelmente péssima alimentação e sedentarismo) devia ter morrido antes. E a culpa é da coca... Anh sei...

    ResponderExcluir
  2. Natasha tinha 30 anos. O problema das corporações em geral é que a responsabilidade social é quase nula. A Coca, o McDonalds, a Pepsico, e tantas outras pesquisam a fundo para saber como influenciar psicologicamente e fisiologicamente nossas atitudes para vender mais. E casos como a de Natasha é considerado apenas um efeito colateral. Ela fumava, bebia, comia mal. O que tem todas essas atitudes em comum? Corporações. Se ela vivesse na selva não conseguiria comer mal (alguém já viu um pé de Cheetos?), fumar (no máximo: fumo de rolo. Sem milhares de aditivos que maximizam o poder de viciar). Beber? Talvez. Mas com certeza ela se exercitaria bem mais. A geração moderna é muito criada pela TV e pelo marketing corporativo. Que não dá a mínima para os efeitos danosos à sociedade. Desde que venda sempre mais... Pena!

    http://noticias.r7.com/saude/noticias/mulher-que-bebia-10-litros-de-refrigerante-por-dia-morre-aos-30-anos-20120420.html?question=0

    ResponderExcluir

Deixe suas impressões digitais aqui...

 
Top