$hide=/p/valores.html

O que aconteceu no voo Air France 447

Indicar:

Era 01 de junho de 2009, e este foi o voo 447 da Air France do Rio de Janeiro para Paris. Apenas um voo internacional de rotina. Um dos maio...

Era 01 de junho de 2009, e este foi o voo 447 da Air France do Rio de Janeiro para Paris. Apenas um voo internacional de rotina. Um dos maiores e mais preocupantes desastres aéreos dos tempos modernos.

Painel do aeroporto francês mostrando que o voo AF 447 estava atrasado (delayed)


Esse voo é parte de um sonho coletivo de realização para muitos brasileiros: ingressar na Europa pela cidade Luz.

Certamente foi assim que planejou um casal de recém-casados do voo, um cônjuge era médico e o outro advogado. O casal havia se casado no dia anterior, após uma recepção de casamento em uma boate do Rio, eles embacaram no avião para começar sua lua de mel.

Um voo noturno em um grande e moderno avião, o que faz com que os passageiros possam dormir e com isso não ver boa parte da longa viagem.



Em um voo desse tipo pode-se monitor em que ponto do Atlântico se está pois uma tela mostra dados como a altitude, a velocidade e um mapa com o ícone de um pequeno avião indicando a posição no mapa (isso para os passageiros que estiverem acordados).



Nas primeiras horas daquela manhã fatídica, porém, algo terrível aconteceu. O AF 447 fez a sua transmissão por rádio final para, em seguida, todo o contato cessar.

O voo simplesmente desapareceu. Em solo, as autoridades francesas disseram a parentes desesperados: "Nós esperamos, nós rezamos, nós saberemos mais esta tarde."

Assim começou um dos desastres aéreos mais catastrófico e preocupante dos tempos modernos, um acidente que matou 228 pessoas de 32 nações.

Fernando Schnabl estava esperando por sua esposa, Christine, e seu pequeno filho Philipe em terra. Viajando separadamente, a fim de usar as suas milhas aéreas, ele beijou sua esposa na despedido no Rio de Janeiro e, em seguida, embarcou em um avião diferente para Paris com Celine, sua filha de três anos de idade.

No desembarque no aeroporto Charles de Gaulle em Paris na manhã seguinte, Fernando estava ansioso para ver sua esposa e filho pequeno novamente.

Mas, assim que seu avião taxiou para estacionar, um passageiro no assento ao lado ligou seu telefone celular e disse que um voo do Rio de Janeiro estava faltando.

Então ele disse que era a Air France e fiquei muito assustado. E quando a tripulação chamou meu nome, eu sabia que algo muito ruim havia acontecido. A maneira como eles me trataram com muita preocupação, mas não querendo me dizer algo, me deixou sem esperança.
Fernando Schnabl. Passageiro que escapou ao embarcar em outro voo para aproveitar as milhas aéreas do programa de milhagem. Perdeu a esposa e a flha de três anos


O que dificultou as buscas pelos destroços foi o fato de que ninguém sabia com exatidão o local exato onde o avião havia desaparecido. Ele havia deixado o espaço aéreo brasileiro, mas não tinha passado por rádio sua posição seguinte.

Nas primeiras horas e dias após o acidente, funcionários da Air France começaram a estudar uma série de mensagens de erro enviadas pelo sistema do plano de comunicação automática via satélite, que indicou que tinha experimentado "múltiplas falhas técnicas" em seu últimos minutos no ar.

Mas o que deu errado? Um terríveis cinco dias após o desastre, os destroços do voo 447 despedaçado foi descoberto, flutuando no Atlântico 750 milhas ao largo da costa do Brasil. Todos os 228 passageiros e tripulantes foram mortos.

Apesar de uma operação de busca que custou 24.000.000 de libras, as caixas pretas não puderam ser recuperadas.

Ninguém foi capaz de explicar o que tinha acontecido. Para a ira dos parentes, os investigadores franceses não farão um relatório final sobre o desastre, até as caixas-pretas serem encontradas.

Mas agora, pela primeira vez, a história por trás desta catástrofe aérea devastadora pode ser contada. Um documentário da BBC2, Lost: The Mystery Of Flight 447, reuniu especialistas em aviação para conduzir uma investigação forense sobre o acidente.



Surpreendentemente, eles têm sido capazes de identificar exatamente o que aconteceu naquela noite fatídica, apesar do avião ter deixado apenas vestígios quando caiu.

E vão além, eles são capazes de responder à pergunta: isso poderia acontecer novamente?

Tony Cable trabalhou para a UK Air Accidents Investigation Branch por 32 anos. Ele foi o investigador sênior sobre o acidente fatal do Concorde em Paris há dez anos e, no atentado de Lockerbie.

A maneira normal de se investigar um acidente é olhar para o local do acidente. Neste caso, porém, há apenas uma pequena quantidade de destroços flutuantes. Os dados de voo e gravadores de voz da cabine estão claramente no fundo do oceano com o resto dos destroços. Um handicap muito, muito grande à investigação.
Tony Cable. Investigador especialista em acidentes aéreos


Por onde a equipe deveria começar? Primeiro, eles eliminaram a possibilidade de um ataque terrorista.

As possibilidades que imediatamente vêm à mente seria uma bomba ou uma ruptura estrutural,

Junto com John Cox, um dos maiores consultores em segurança da aviação, reuniu as partes recuperadas da aeronave para descobrir que forças atuaram sobre elas nos últimos momentos do voo.

Esse método foi utilizado para resolver o mistério do voo TWA 800, que caiu ao largo da costa de Nova York em 1996. Ao examinar os fragmentos da fuselagem, os especialistas determinaram que a fiação defeituosa causou uma explosão do combustível.



O engenheiro Jim Wildey é um veterano do referido inquérito. Olhando as peças recuperadas do voo 447, ele fez a primeira descoberta importante: o avião apresentava sinais de um impacto de alta velocidade com a água.

O cone do nariz foi aplainado, esmagado e rasgado. Este é um sinal muito claro que esta peça estava no avião quando bateu na água.
Jim Wildey. Engenheiro


Uma seção de piso do compartimento de carga também revelou que o avião estava no nível do ponto de impacto e atingiu a água em alta velocidade.

Parece, então, que o voo 447 não explodiu no ar, ele simplesmente caiu do céu. Mas se não houve explosão, o que aconteceu?

O A330 é uma jóia da coroa da gigante aeroespacial européia, a Airbus. Ele já foi considerado extremamente seguro, com 700 em serviço em todo o mundo e sem sequer uma fatalidade antes do voo 447.

O avião utiliza um sistema informatizado de controle estado-da-arte fly-by-wire, onde alavancas mecânicas são substituídas pela eletrônica. Quando o piloto automático está ligado, o avião voa sozinho.

Noventa e nove por cento do tempo que você está sentado como um passageiro voando a 35.000 pés, o piloto automático está pilotando o avião.
Capitão Martin Adler. Ex-presidente do Grupo de Segurança em Voos dos Pilotos da British Airline.


Usando transcrições Controle de Tráfego Aéreo, Cable tem sido capaz de reunir os devastadores últimos momentos no cockpit.

Ele acredita que o voo 447 estava no piloto automático, enquanto se dirigia para o Oceano Atlântico, com o capitão Marc Dubois, 58 anos, e seu co-piloto. Three hours out from Rio de Janeiro, Flight 447 was still on track. Três horas após deixar o Rio de Janeiro, o voo 447 ainda estava rastreado.

A última conversa da tripulação com os controladores em solo foi de rotina. O co-piloto informou a posição do avião usando o alfabeto fônico reconhecido internacionalmente: "Papa Charlie Hotel Quebec".

Mas às 1h35, todas as comunicações de rádio cessaram. Contudo, por mais 35 minutos, o computador do voo 447 continuou a enviar relatórios automáticos de posição por satélite para a base da Air France no aeroporto Charles de Gaulle.

A última leitura às 2h10 mostrou um local, 70 quilômetros de onde os destroços foram descobertos.

Então, o que derrubou o avião? Olhando através de dados meteorológicos, a equipe descobriu que havia uma tempestade na região na época. Mas por que pilotos experientes voariam em uma tempestade?

A idéia de que um piloto poderia voar através de uma tempestade com relâmpagos. Não, absolutamente não.
John Cox. Especialista em segurança da aviação


Vários outros voos, naquela noite, fizeram a mesma rota que o voo 447, mas os pilotos fizeram desvios de até 90 quilômetros para evitar o sistema de tempestades, que se elevou a uma altitude de 50.000 pés (15.240 metros).

A equipe de investigação acredita que uma tempestade menor em frente à maior confundiu o sistema de radar do voo, de forma que a tripulação não viu a tempestade vindo.

Isso significa que eles não tinham escolha, iriam enfrentar a turbulência. O piloto teria abrandado os motores - o método padrão para voar em tais condições.

02h10 A última posição conhecida do avião, parece que o voo 447 entrou em uma tempestade em rápido desenvolvimento que o seu radar detectou tarde demais. Um pouco mais de quatro minutos mais tarde, todos a bordo estavam mortos.

Então o que aconteceu naqueles minutos cruciais de intervenção? Logo após as 2h10, o computador de voo enviou uma enxurrada de mensagens de erro automáticas à Air France em Paris.

Chamado por um piloto de "a última vontade e testamento da aeronave", essas mensagens revelam que Flight 447 sofreu 24 falhas críticas em apenas quatro minutos e 16 segundos.

A primeira mensagem mostrou que tinha o piloto automático desligado automaticamente, assim que o piloto teve de assumir o controle manual. Então aos sistemas de controle de velocidade do ar e altitude falharam.

Na cabine, as telas dos instrumentos teriam apagado, e os computadores de controle de voo teria desligado. Um por um, os recursos de segurança mais críticas na cabine falharam.

Deve ter sido uma situação muito ocupada e confusa na cabina de pilotagem.
Tony Cable


É uma imagem angustiante, na verdade. O cockpit estava repleto de uma infinidade de alarmes sonoros e visuais, enquanto os pilotos lutaram desesperadamente uma batalha perdida para controlar a aeronave e mantê-la no ar, uma vez que foi fustigada por uma tempestade gigantesca.


As mensagens automáticas enviadas pelo ACARS (Veja)





Por fim, um último aviso sinistro foi enviado do avião para Paris: "Advisory Cabin Vertical Speed", o que significa que o avião estava descendo em alta velocidade.

Essa última mensagem aterrorizante, veio pouco antes do voo 447 e seus passageiros bater na água a centenas de quilômetros por hora. Mas o que poderia ter feito todos os sistemas automáticos vitais falharem simultaneamente?

Não houve despressurização - como provam as máscaras de oxigênio, intactas - nem alerta de emergência, pois as aeromoças estavam em seus assentos e os coletes salva-vidas, intocados.
Estadão


Parece que os três tubos pitot (sensores de velocidade) falharam ao mesmo tempo. Pode ser que eles foram incapazes de lidar com as condições da tempestade que colheu o voo 447.

Os investigadores acreditam que a água super-arrefecida nas nuvens - bem abaixo de zero, mas muito pura para se transformar em gelo - pode ter desabilitado as sondas Pitot.

Cable descobriu que desde 2003, houve 36 incidentes envolvendo tubos pitot congelados no A330 ou no similar A340.

De fato, em 2007 Airbus recomendou uma adequação dos aviões A330 com pitots atualizados. O voo 447 ainda não tinha sido reformado.

Sem dados de velocidade, os sistemas automáticos do voo 447 teriam entrado em colapso, um por um - que é exatamente o que aconteceu.

Parece que na escuridão total, e no meio de uma tempestade, a tripulação fora obrigada a retomar o controle manual do avião.

Esse grupo enfrentou uma quase inédita série de fracassos, um após o outro.
John Cox


O perigo mais imediato era do avião entrar em "stall" (ou seja, perder sustentação por estar muito lento e cair), o que levaria a uma descida súbita e incontrolável (e ele já havia sido desacelerado de repente para se lidar com a turbulência).

Há uma boa possibilidade de que em algum momento nos últimos quatro minutos, ele entrou em stall.
John Cox


Uma série de eventos infelizes causou o acidente, então, culminando com a falta de sistemas automatizados e mecanismos em stall.

Acostumados a voar com altos níveis de automação, parece que os pilotos não tiveram as habilidades necessárias para recuperar a situação.

Tragicamente, pela forma como o avião bateu na água - o nariz para cima, com as asas niveladas - parece que a tripulação chegou perto de salvar as vidas dos seus passageiros.


Atualização: especialista brasileiro analisa o AF 447


É provável que eles estavam se recuperando, mas não tiveram tempo suficiente, e sofreu um segundo, e definitivo, stall.

Mais do que isso, nós provavelmente nunca saberemos.



As caixas-pretas do avião, a gravação dos últimos momentos no cockpit, pararam de transmitir sinais de localização após um mês. Os esforços para encontrá-las usando sonar com imagem continuam.

Atualização: Apesar dos esforços aparentes, o Escritório de Investigação e Análises para a Aviação Civil (BEA), órgão do governo francês responsável pela investigação, perdeu muito de sua credibilidade e é abertamente contestado por todos os lados.

Peritos das Forças Armadas, conforme o jornal Le Figaro, estão insatisfeitos com o menosprezo demonstrado pelo escritório em relação à informação colhida em alto-mar. E o episódio serviu para reforçar as teses conspiratórias de quem desconfia do trabalho dos investigadores, em especial porque não localizá-las significa, segundo os próprios peritos do escritório, não descobrir jamais as causas do acidente, uma informação com potencial para movimentar até 1 bilhão em indenizações.
Estadão


Então, essa tragédia poderia acontecer novamente? Cable acredita que o voo 447 levanta algumas questões vitais para as companhias aéreas.

Ele (o acidente) levantou a questão sobre se a situação realmente está sendo agravada pelo aumento da automação, em que as tripulações não tem uma grande oportunidade de controlar manualmente a aeronave.
Tony Cable


Airbus também tem sido criticado por não ter feito ainda a substituição de todas as sondas Pitot em sua frota. Em face às novas evidências, ela alega que mesmo se eles falharem, os pilotos devem ser capazes de operar o avião.

O corpo de nacionalidade sueca de Christine Schnabl foi um dos 51 recuperados, mas o seu filho Philipe, de cinco anos, nunca foi encontrado. Ela não estava vestindo um colete salva-vidas - parece que não houve tempo.



Seu marido, Fernando, está preparando um álbum de fotos e recortes para dar à sua filha Celine, quando ela tiver idade suficiente para entender. Um dia, ele espera, ele será capaz de lhe dar mais respostas.

Por enquanto, porém, ele simplesmente diz que a mãe e o irmão foram a um "bom lugar no céu".

Traduzido e adaptado de Daily Mail.

Comentários

BLOGGER: 4
Loading...

$hide=/p/valores.html

[/fa fa-cloud/ Nuvem de categorias]$hide=mobile

Nome

A divulgar Abelha Acessibilidade acessório Acidente Acidentes Acústica Adágios Adestramento Administração adulto Aerodinâmica Aeronáutica África Agência Brasil Agência Fiocruz Agência Porvir Agência Senado Agência USP Agricultura Agropecuária AIDS Alcoolismo Alemanha Alerta Algoritmo Alimento Alzheimer Amazon Amazônia América Latina Análise Combinatória Anatomia Android Animação Animais de Estimação Animal Antropologia Apicultura App Apple Apresentação aquário Argentina Arqueologia arquitetura Arte Astrobiologia Astrofísica Astronomia Ativismo Áudio Audio FX Áustria Autismo Auto-ajuda Automobilismo Automóvel aventura Aviação Aviônica Bahia Balonismo Banco de Dados Beber e Dirigir biblioteconomia Bicicleta Biografia Biologia Biologia Marinha bioquímica Biotecnologia Bitcoin Blog Blogger Boato Bomba borderô de desconto Botânica BRASA BRASA Leads Brasil Brasília BRIC Browser Bugs CAD Calor Câmera lenta Campanha cardiologia Carnaval carreira Cartografia Casemods Caso Isabella Nardoni Caso Snowden Ceará Celebridades celular Células-Tronco Cérebro Charge China Cibercultura Ciclovia Cidadania Ciência Cinema Clip Cliparts Cloud computing Coaching Comédia competência Complemento de dois Comportamento Computação Computação em grade Computação forense Computação Gráfica Computação Móvel Comunicação e Marketing Concurso Concurso Cultural de Natal Concursos Público Concursos Públicos Conectômica Conferência Congresso em Foco Conspiração Consumidor Consumismo contabilidade Contos Copa do Mundo Cordel Coreia do Norte Coreia do Sul Corpo Coruja cosmética Cosmologia Crash Course Criança Criatividade Crime Crime Digital crise crise econômica crônica crônicas Cronologia CSS Cuba Culinária Cultura Curiosidades custos fixo custos variáveis Dança DAO Darwin Davos Debate Decoração demência Demografia Denúncia Dermatologia Desastre Natural Descoberta desconto duplicatas Desenho instrucional Desenvolvimento de jogos Design Design Instrucional Destaque Dia das Mães Dia do professor diabetes Dicas Didática Dieta diplomacia Direito Direito Eleitoral Direito Internacional Direito Tributário Direitos Humanos Disney Distrito Federal Documentário Doutorado download Drogas Drone Dubai e-Book e-governo EBC Ecologia Economia Editoração Eletrônica Educação Educação a Distância Educação Corporativa educação física Educação sexual Efeitos Sonoros Egiptologia Eleições Eleições 2014 Eleições 2018 Eletricidade eletrônica Embrapa empreendedorismo enciclopédia endocrinologia Enem Energia Energia Alternativa Energia Nuclear Engenharia Engenharia Agrícola Engenharia Civil Engenharia de materiais Engenharia de Software Engenharia Genética Engenharia Mecânica Enretenimento Ensino a Distância Ensino Superior Entomologia Entretenimento Entrevista Entrevista. Epidemiologia Epistemologia Equador Escândalo Escritório Espaço Espanha Espanhol Espeleologia Espetáculo Espionagem Esporte Estação Estágio Estatísticas estrutura de dados Ética EUA Europa Evento Evolução Exercícios físicos Exobiologia experiência fábulas Facebook Farmacologia Favo Feminismo Férias Ferramentas FIFA Filantropia Filmes Filosofia Finlândia Firefox Física Física Quântica Fisiologia Fisioterapia Flagrante Flamengo Folclore Fome Fonética Fonoaudiologia Fotografia Fotos em 360 graus França Francês frases Fraude Freeware Futebol Futurologia gadget Gafe Gastroenterologia Gastronomia Geek Genética Geofísica Geografia Geologia Geometria geopolítica Gerenciamento do Tempo Geriatria Gestão de Competências Gestão de Configuração Gestão de Pessoas Gestão de Projetos Gestão do conhecimento Ginecologia Glass Google Governo GPS Gradiente gramática Gravidez Grécia Grécia Antiga Guerra Guerra Civil Guinness H2 Haiti hardware História HIV Hololens homenagem Horologia HPV HTML Humor Humor Negro IBGE IBM ICIJ Idioma IHC ilo ilusão ilusionismo Imagem 3D Imagens Imagine Cup Império Romano Imprensa Impressora 3D Imunologia Incêndio Inclusão digital Índia Índios Infectologia Infográfico Informática Inglaterra Inglês Inovação Inspiração Inteligência Artificial intercâmbio Interface Interfaces Hápticas Internacional Internacionalização da Amazônia Internet Internet das Coisas Inundação Invenção Inventos iPad IPEA iphone Irã Iraque Israel Japão Java Java. jogos Jogos educativos Jogos Olímpicos Jornalismo Justiça Kinect Le Monde Diplomatique Brasil Le Monde Diplomatique Brasil Letras Lexicografia Liderança Life Hacking Linguística Literatura Livro Lógica Logística Loterias Lua Maçonaria Malásia Malvinas Malware Mapa Mário Sérgio Conti Marte Mastologia Matemática Matemática Financeira maternidade Mecânica Mecânica dos Fluidos Mecatrônica Medicina Medicina Esportiva Medicina Veterinária Meio Ambiente Mel melanoma Memória memorização Mente Mercado de Trabalho mercosul Mestrado meteorologia Metodologia Científica México Microbiologia Microsoft Mídia Social Militar Mineralogia Mistério MIT Mitologia Mobilidade Mobilidade Urbana MonaVie Montanhismo Moodle Mossad Motivação Movimento Maker MSF Mudança Climática Mulher Multimídia museu Música MVC Nanotecnologia Nasa Natação Natal Natureza Negócios Netflix Neurociência Neurologia Nicolelis Nordeste Noruega notícias Novidades Novo Enem Números Nutrição Obama Obesidade Observatório da Imprensa Obstetrícia Oceanografia odontologia Offshore Leaks oftalmologia Olimpíadas oncologia ONU Opinião Óptica Oracle Oriente Médio Orkut Ornitologia ortografia Ortopedia Ótica Otorrinolaringologia Oxfam Pacifismo Paginadores paleontologia Paquistão Pará Paraguai parkinson Passeio virtual Patinação Pedagogia Pediatria Pensamentos performance Periférico Pesca Pesquisa Petição Petrobrás Petróleo Photoshop Pirataria planilha de custo Playstation 3 Plebiscito Pneumologia Podcast Poesia Poítica Politica Política Portugal português Pós-graduação prazo médio Pré-sal Prêmio Nobel primatologia Primeira Guerra Mundial privacidade produtividade professor Hamilton Alves Programa Gratuito Programação Projeção Mapeada Projeto Truco Promoção Propaganda Psicanálise Psicologia Psicologia Animal Psiquiatria Pública publicidade Publieditorial Quadrinhos Quads Qualidade Qualidade de Vida química realidade aumentada realidade diminuída Realidade Misturada Realidade Virtual Reconhecimento de imagem Reconhecimento de voz Recorde Redação redes Referência Referendo Reforma Política Reino Unido Relacionamento Relações Internacionais Religião Responsabilidade Social Retrospectiva Review Rio 2016 Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul robótica Roda Viva Roma roteiro RSA Rússia Samsung Sanitarismo Santa Catarina São Paulo Saúde Savant Segunda Guerra Mundial Segurança Segurança da Informação Seleção Natural Séries serviço Serviço Online Sexologia sexualidade Show SIGGRAPH Simulação Singularity University Síria Sismologia Sistema operacional Sistemas de Numeração Sites de Busca Sociedade Sociologia Software Software Livre Sol Sono Sony SOPA Star Wars Suécia Sugestão de presentes Sun supercomputadores Sustentabilidade Tabagismo Taiwan Talento precoce taxa de juros efetiva taxa de juros nominal Taxas Equivalentes Taxidermia Teatro Técnicas de Estudo Tecnologia Tecnologia da Informação TED TED-Ed TedMed TEDx TEDx Rio+20 TEDxAmazônia TEDxAsaSul Telefonia Televisão Temas Tempo Tendências Teologia teoria das supercordas Terremoto Terrorismo Testes Tipologia Tomada de Decisão tradução Trânsito transporte tributo Trigonometria Tubarão Tunísia Turismo Tutorial Twitter Uber UFC UFG ufologia UFRJ Unicamp UNIFESP universidade Universidade Corporativa Universidade de Cambridge Universidade de Michigan Urbanismo Urologia USP Utilidade Pública Utilitário Vale Vaticano Veículo Autônomo Ventriloquismo Verão vestibular Vestimenta Vida Digital Vida Moderna Vida Selvagem Videogame Vídeos Vídeos 360 Violência Vírus Visão Computacional Vôlei Vulcanologia Watergate Política WCIT 2016 WCIT 2017 Web 2.0 Web Application Web Semântica Web Seminar webdesign Webinar widget WikiLeaks Wikipedia Windows Xadrez YouTube Zika Zoologia
false
ltr
item
Brasil Acadêmico: O que aconteceu no voo Air France 447
O que aconteceu no voo Air France 447
http://3.bp.blogspot.com/_cM2l6Y3Ulgg/TAKHI17zFZI/AAAAAAAAD8E/M51JLPEJ7Vs/s400/af447Atrasado.jpg
http://3.bp.blogspot.com/_cM2l6Y3Ulgg/TAKHI17zFZI/AAAAAAAAD8E/M51JLPEJ7Vs/s72-c/af447Atrasado.jpg
Brasil Acadêmico
http://blog.brasilacademico.com/2010/05/o-que-aconteceu-no-voo-air-france-447.html
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/
http://blog.brasilacademico.com/2010/05/o-que-aconteceu-no-voo-air-france-447.html
true
3049085869098582068
UTF-8
Nenhuma artigo encontrado. VER TODOS Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início PÁGINAS POSTS Ver Todos Indicado para você CATEGORIA ARQUIVO BUSCA TODOS ARTIGOS Nenhum artigo corresponde ao critério procurado Ir para Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir Este conteúdo é PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para o clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy